Bandeiras do movimento LGBTQI+ são arrancadas da fachada do MISC | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 19 de Novembro de 2018

CIDADES Terça-feira, 23 de Outubro de 2018, 10h:58 | - A | + A




DIVERSIDADE

Bandeiras do movimento LGBTQI+ são arrancadas da fachada do MISC

Por: Redação

Vândalos estão arrancando as bandeiras coloridas instaladas desde setembro na  fachada do Museu de Imagem e Som de Cuiabá (Misc). A decoração faz referência à mostra de artistas LGBTQI+ "Viver é um Ato Político: Nossa Arte é Nossa Voz".

De acordo com o diretor do museu, Cristóvão Gonçalves, as bandeiras de baixo começaram a sumir primeiro, mas a administração achou que seria por acidente. Quando as bandeiras nas janelas mais altas foram arrancadas foi que perceberam que se tratava de uma ação criminosa.   

 

“Muitos LGBTQI+ estão sendo exterminados, mortos pelo preconceito, violência ou suicídio. Nosso papel é abrir este espaço para incentivá-los a resistir e pra que, a população que ainda têm ressalvas, possa conhecer sua produção. A ideia é que a sociedade reconheça esta contribuição para cultura regional", disse.   

 

Com a denúncia a secretaria de Cultura, Esporte e Turismo deve registrar um boletim de ocorrência para que o caso seja investigado pela Polícia. "Não podemos dizer o que motivou a ação. Contudo, a depredação do patrimônio público é crime e deve ser investigada pelas autoridades competentes", explicou o secretário adjunto de Cultura, Justino Astrevo.   

 

À época da abertura, o curador da mostra, Rodolfo Carli falou sobre a importância de realizar um evento do tipo, designando-o como fruto do trabalho de LGBTs. “A questão é reforçar a existência desses cidadãos, que ainda vivem rodeados de preconceitos e desigualdade. Nós estamos aí no mercado, nas escolas, nos museus, nos teatros, repartições públicas, como todo mundo. O Intuito é incluir, não separar.”  

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários