CPI pode atingir Mauro Mendes | MUVUCA POPULAR

Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2019

COLUNA POPULAR Sexta-feira, 08 de Fevereiro de 2019, 05h:58 | - A | + A




Incentivos fiscais na mira

CPI pode atingir Mauro Mendes

Por: Da redação

Embora ainda não chame atenção, a possível abertura da CPI proposta pelo deputado Wilson Santos (PSDB), mirando as sonegações e renúncias fiscais, pode atingir em cheiro o núcleo do governador Mauro Mendes (DEM). Isso porque o grupo que comanda o estado é composto por empresários que recebem benefícios do estado, entre eles o próprio governador (Bimetal), e seu chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho (Skol).

O parlamentar tucano anunciou que já possui as nove assinaturas necessárias para a abertura da CPI. Assinaram o documento os deputados Elizeu Nascimento (DC), Valdir Barranco (PT), Lúdio Cabral (PT), Janaina Riva (MDB), Dr. João (MDB), Thiago Silva (MDB), Delegado Claudinei (PSL), João Batista (Pros) e o próprio Wilson Santos.

A Comissão de Inquérito, foramada logo no início da 39ª legislatura, colocará a prova o comportamento dos parlamentares, e já começa mostrando o posicionamento dos que assinam e os que preferem não se comprometer.

“As outras duas CPIs, de 2014 e 2016, não produziram os resultados necessários. Não houve devolução de valores para os cofres do Estado e punição de ninguém. Nós vamos começar esta CPI dando aos órgãos de controle, como Ministério Público do Estado, Ministério Público Federal, Controladoria-Geral do Estado, a oportunidade para que eles possam apresentar quais foram os procedimentos, quais foram as medidas tomadas pelas CPIs de 2014 e 2016”, disse Wilson.

A sociedade tem um 'pré conceito' de que toda CPI acaba em pizza, afirmou o deputado sindicalista João Batista. Essa nova legislatura tem a oportunidade de provar o contrário.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários