Governo atrasa repasses e Unemat deve milhões aos fornecedores  | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 18 de Junho de 2018

EDUCAÇÃO Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2018, 14h:22 | - A | + A




CRISE FINANCEIRA

Governo atrasa repasses e Unemat deve milhões aos fornecedores

Enquanto o governo gasta milhões na Caravana da Transformação, a Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) continua passando por sérias dificuldades financeiras, que envolvem pagamento de fornecedores, auxílio alimentação para estagiários e bolsas de estudos aos acadêmicos.

Acontece que, desde julho do ano passado, o governo atrasa constantemente os repasses à instituição. A situação gerou, por exemplo, um protesto dos vigilantes que cuidam da segurança dos 13 campus da unidade em Mato Grosso.

Durante o período do carnaval, os trabalhadores ameaçaram interromper as atividades em todos os polos da Unemat no estado. O contrato com a empresa de vigilância é terceirizado e atende a instituição de uma forma global. A situação só foi resolvida com muita pressão e na última hora pelo governo.

Os atrasos também comprometem o pagamento de bolsa-alimentação aos estagiários e de bolsa-auxílio aos estudantes que desenvolvem projetos científicos pela Unemat.

A principal receita da Unemat é garantida por uma lei estadual que prevê que o governo separe 2,5% da receita liquida do estado para o empenho de pagamento das despesas da instituição.  O governo alega crise financeira para justificar os constantes atrasos.

Ao todo a Unemat conta com mais de 22 mil alunos distribuídos em 60 cursos de graduação (oferta continuada) e outros 129 cursos de graduação em modalidade diferenciada. A instituição possui campus nas cidades de Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Bugres
Cáceres, Colíder, Diamantino, Juara, Luciara, Nova Mutum, Nova Xavantina, Pontes e Lacerda, Sinop e Tangará da Serra.

Unemat Cáceres

No final do ano passado os estudantes da Unemat de Cáceres usaram fitas de lacre em algumas salas para simbolizar a falta de pagamento dos fornecedores da instituição.

Os estudantes cobravam do governo uma dívida de R$ 9 milhões, pois as prestadoras de serviços não aceitavam mais fazer a manutenção da unidade, enquanto os pagamentos não fossem regularizados.  

Entenda o caso AQUI 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Ciro é o quarto a tentar gerenciar
Pacote de regalias deve animar a côrte
Marrafon e Russi buscam aproximação com Mendes
A bola da vez fez com que muitos mudassem discurso
Reviravolta no tabuleiro político

Últimas Notícias
17.06.2018 - 23:16
17.06.2018 - 17:24
17.06.2018 - 17:15
17.06.2018 - 16:33


Fábio Garcia

Ezequiel Fonseca

Vitório Galli

Valtenir Pereira

Neri Geller

Carlos Bezerra

Ana Poncinelli

Emanuelzinho

Professor Bispo

Barbudo

Rafael Ranalli

Cledison Gonçalves

Wanderson Nunes

Gisela Simona

Marco Marafon

Antônio Carlos

Dr. Leonardo

Renato Gouveia

Max Campos



Informe Publicitário