Paulo Taques pede liberdade ao STF  | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 20 de Junho de 2018

GOVERNO Sexta-feira, 08 de Junho de 2018, 08h:32 | - A | + A




JUDICIÁRIO

Paulo Taques pede liberdade ao STF

Sua vontade é ser liberado antes mesmo de completar um mês de prisão preventiva.

Por: Redação

Preso em Cuiabá desde o dia 9 de maio, Paulo Taques, advogado e ex-secretário chefe da Casa Civil de Mato Grosso, recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para ganhar liberdade. Sua vontade é ser liberado antes mesmo de completar um mês de prisão preventiva.

O habeas corpus  está curso para julgamento desde quinta-feira (7), com relatoria da ministra Rosa Weber. Ele é acusado de participar de uma organização criminosa suspeita de ter movimentado mais de R$ 30 milhões em propina.

Processos semelhantes foram indeferidos em instâncias inferiores, no Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), sob relatoria do desembargador José Zuquim, e no Superior Tribunal de Justiça (STJ), sob relatoria da ministra Maria Thereza de Assis Moura.

O HC de Paulo Taques foi solicitado pelos advogados Claudio Demczuk de Alencar, Pedro Correa Pertence e Marina Antunes Lima.

De acordo com os autos, após as operações Bereré e Bônus, processo foi formulado e entre os denunciados estão 7 deputados estaduais, um ex-governador e seu chefe de gabinete, um ex-deputado federal, um ex-secretário de Estado e um ex-chefe de autarquia.

Da Assembleia Legislativa, foram denunciados: o presidente do Parlamento Estadual, José Eduardo Botelho (DEM) e os deputados Mauro Luiz Savi (DEM), José Domingos Fraga Filho (PSD), Wilson Pereira dos Santos (PSDB), José Joaquim de Souza Filho (PSDB), Ondanir Bortolini (PSD) e Romoaldo Aloisio Boraczynski Júnior (MDB).

Também são réus o ex-governador Silval da Cunha Barbosa, o ex-deputado federal Pedro Henry, o ex-presidente do Detran, Teodoro Moreira Lopes e o ex-chefe de gabinete do ex-goveranador, Sílvio Cézar Corrêa Araújo.

Conforme o MPE, os acontecimentos vieram à tona a partir de colaborações premiadas. O esquema girou em torno da contratação da empresa responsável pela execução das atividades de registros junto ao Detran dos contratos de financiamentos de veículos com cláusula de alienação fiduciária, de arrendamento mercantil e de compra e venda com reserva de domínio ou de penhor.

Na data, para obter vitória na contratação, a empresa concordou em repassar parte dos valores recebidos com os contratos para pagamento de campanhas eleitorais. Estima-se, que foram pagos cerca de R$ 30 milhões em propinas.  

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Marcelo - 08-06-2018 10:31:44

Se cair na mão do Gilmar Mendes, já tá solto...

Responder

3
0


1 comentários

coluna popular
Silval teria pago com dois apartamentos
Mesmo com salário de R$ 30 mil ela não quer pagar
Passagem dá duplo sentido e sugere suicídio
Selma Arruda e Nilson Leitão ficam de fora
Ciro Gonçalves é filho de ex-secretário de Lucimar

Últimas Notícias
20.06.2018 - 01:13
19.06.2018 - 18:46
19.06.2018 - 18:17
19.06.2018 - 17:03


Fábio Garcia

Ezequiel Fonseca

Vitório Galli

Valtenir Pereira

Neri Geller

Carlos Bezerra

Ana Poncinelli

Emanuelzinho

Professor Bispo

Barbudo

Rafael Ranalli

Cledison Gonçalves

Cel. Wanderson Nunes

Gisela Simona

Marco Marrafon

Antônio Carlos

Dr. Leonardo

Renato Gouveia

Max Campos

Carlos Naves

Renata Viana

Cabo Dr Laudicério

Vinícius Brasilino

Josair Lopes

Ícaro Reveles

Gordim Tur



Informe Publicitário