Igreja Batista Getsemâni

Governo Taques não repassa R$ 33 milhões e filantrópicos padecem

Informação é do diretor da Santa Casa, Antônio Preza

Marcio Camilo
Redação

Centro Oeste Popular

Centro Oeste Popular

O governo não repassou os R$ 33 milhões para pagar as dívidas do Estado com os seis hospitais filantrópicos de Mato Grosso. A informação é do vice-presidente da Federação das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, Antônio Preza.

Ele afirma que o valor faz parte de um acordo entre o governador Pedro Taques (PSDB) e o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB), de que dos R$ 156 milhões em emendas da bancada federal, R$ 33 milhões seriam destinados aos filantrópicos Santa Casa de Misericórdia, Santa Helena, Hospital do Câncer, Hospital Geral e Santa Casa de Rondonópolis.

Só a Santa Casa da capital, Preza, que é presidente da unidade, afirma que o governo deve 3,5 meses em repasses para o custeio das Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs): “O governo deve mais de R$ 4 milhões para a Santa Casa de Cuiabá”, reforçou.

A dívida também gera dificuldades para que a administração toque o hospital de uma maneira geral: fornecedores estão sem receber e os médicos plantonistas não recebem há três meses.

Em relação aos fornecedores a principal preocupação é com a empresa que fornece o oxigênio. Preza disse que na base do diálogo e sensibilização tem convencido os empresários a esperarem pelo pagamento: “O oxigênio é colocado num tanque, em que ele é distribuído para todos os setores do hospital. Sem oxigênio a Santa Casa não funciona”, ressaltou Preza que é médico há 40 anos na unidade.

“A gente está ficando numa situação quase insustentável, porque estamos devendo fornecedores, os médicos... vão atrasando as coisas. Tudo isso reflete no ambiente hospitalar. Felizmente os médicos estão compreendo a situação a mantendo as atividades”, completou Preza.

Os R$ 156 milhões em emendas da bancada federal de Mato Grosso foram entregues ao governo em dezembro do ano passado, como forma de custear a saúde pública no Estado. Na prática, o valor foi destinado com o objetivo de o governo pagar as dívidas com os hospitais, além de outros custeios do setor.

Outro lado

Nota da SES

Não existe atraso de 3,5 meses.Os pagamentos do custeio dos leitos de UTI estão regulares. A competência de março, cujo prazo de pagamento é de 60 dias, com vencimento no final de maio, será pago esta nesta semana.

Em Cuiabá, o dinheiro é repassado para o Fundo Municipal de Saúde que faz o pagamento dos serviços contratados nas unidades hospitalares, incluindo os hospitais filantrópicos.Sobre os 33 milhões.

A SES desconhece qualquer dívida no valor de R$ 33 milhões com os hospitais filantrópicos. Se existe algum acordo entre o prefeito Emanuel Pinheiro e o governador Pedro Taques, a informação deve ser apurada na Prefeitura de Cuiabá e junto ao Governo do Estado.

 


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: http://www.muvucapopular.com.br