Blairo perde imunidade e já pode ser investigado por assassinato | MUVUCA POPULAR

Sábado, 19 de Janeiro de 2019

INVESTIGAÇÃO Terça-feira, 01 de Janeiro de 2019, 08h:56 | - A | + A




Reviravolta no "Caso irmãos Araújo"

Blairo perde imunidade e já pode ser investigado por assassinato

Ex-ministro é apontado por pistoleiro como mandante do crime

Por: José Marcondes / Muvuca Popular

Após ter seu último dia na vida pública ontem (31/12), o ex-senador e ex-ministro, Blairo Maggi, já não possui mais imunidade parlamentar, nem passaporte livre, e agora terá, como cidaddão comum, que responder pelos seus possíveis crimes. Entre eles, o que foi apontado pelo pistoleiro Cabo Hércules como mandante de assassinato. Conheça os detalhes da história:

Brandão Araújo Filho estava dentro do seu Fiat Uno, estacionado no centro de Rondonópolis, quando as 08h40 do dia 10/08/1999, apareceram dois homens em uma moto e o garupa atirou duas vezes com uma pistola 9 mm. O caso ganhou comoção na cidade, e logo correu o boato de que seus irmãos também seriam assassinados.

O cabo Hércules ao ser preso confessou muitos crimes, incluído o “Caso dos irmãos Araújo”. A história toda foi contada em detalhes, e ele escreveu no papel o nome do mandante: "Maggi"

Várias testemunhas depois apontariam o advogado Ildo Roque Guareschi como o autor das ameaças. O advogado defendia Sérgio João Marchett e a filha Mônica Marchett Charafeddin na briga pela posse da fazenda Três Irmãos. O advogado aconselhou que José Carlos Machado Araújo, o Zezeca, saísse de Rondonópolis com a família

Zezeca Araújo não saiu. Acabou morto no dia 28/12/2000, as 11h00 dentro do estacionamento do banco Bradesco, no centro, quando um homem se aproximou e deu um tiro de 9 mm, caído, levou outro tiro. O pistoleiro fugiu de moto. O terceiro irmão Araújo, Antônio Carlos Machado Araújo, vítima de um derrame que paralisou seu corpo, não foi executado devido a recusa do pistoleiro.

O “Caso dos irmãos Araújo” entrou para as páginas policiais de Mato Grosso.

A polícia apurou que a fazenda Três Irmãos, de 2.175 hectares, localizada na região do “Mineirinho”, próximo a Itiquira, e avaliada na época em mais de US$5 milhões, foi arrendada pelos Marchetti em 1992, porém apenas as primeiras parcelas do contrato foram pagas. A recusa em pagar, e a desocupar as terras, levou os Araújo a entrarem com ação contra os Marchetti, que queriam resolver o caso amigavelmente. Os Araújo, em especial Brandão, não toparam porque queriam o acordo na Justiça.

O delegado Henrique Freitas Meneguello investigou o caso, e depois o então promotor Marcos Henrique Machado, no GAECO, chegaram aos nomes dos executores. Inicialmente o contrato de pistolagem foi aceito por José Jesus de Freitas, o sargento Jesus, que depois repassou para o ex-soldado Célio Alves, tendo como apoio logístico Marcos Divino Teixeira da Silva, o capitão Marcos Divino. Depois Célio Alves chamou Hércules de Araújo Agostinho, o cabo Hércules para a empreitada.

O cabo Hércules ao ser preso confessou muitos crimes, incluído o “Caso dos irmãos Araújo”. A história toda foi contada em detalhes, como a transferência de um gol branco, de Mônica Marchetti para Célio Alves. A perícia feita pela Politec, de Rondonópolis, atestou autenticidade, a Politec de Cuiabá, acusou assinatura falsa, e a perícia da PF, de Brasília, apurou a autenticidade na assinatura de Mônica. O vínculo entre mandantes e executores estava estabelecido.

Apesar da prisão de Mônica Marchetti por alguns dias em 2004, a história continua, porque desde o começo foi fortemente combatido nos tribunais.

O “caso dos irmãos Araújo” abriu novo capítulo após decisão da 2ª câmara criminal do TJ da última quarta-feira (30). Segundo a decisão Mônica não irá enfrentar o Tribunal de Juri, e a sua sorte será decidida apenas por um juiz, apesar das mortes. O relator Alberto Ferreira de Souza foi voto vencido por Pedro Sakamoto e Rondon Bassil Dower Filho. Os dois desembargadores não a consideram culpada dos homicídios.

Anteriormente, o mesmo Tribunal de Justiça a considerou culpada em 2013. O problema é que quando o caso subiu para o Superior Tribunal de Justiça, tendo como advogado o famoso Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, o ministro Reynaldo Soares da Fonseca, concordou com a anulação do processo em 2017 porque um o desembargador Luiz Carlos da Costa disse em seu voto a frase: “a asquerosa, abjeta empreitada foi

O “caso dos irmãos Araújo” abriu novo capítulo após decisão da 2ª câmara criminal do TJ da última quarta-feira (30)

contratada por preço global”.

Segundo o ministro Reynaldo, a frase poderia influenciar o Tribunal de Júri em Rondonópolis a condenar Mônica Marchetti, ou seja, todo o processo de condenação voltou ao início devido ao que chamou de “excesso de linguagem”, e os magistrados devem apenas mencionar indícios, provas e teses, não entrando no campo da subjetividade.

Curioso que o desembargador Luiz Carlos da Costa é reconhecido nacionalmente há anos por usar cultura popular nos processos. Em uma das suas decisões, ao condenar uma empresa usou a letra da música “Baba, baby”, da cantora Kelly Key, e em outro caso, usou o bordão “Oh, coitado!” da personagem Filomena. O desembargador também usa poesia e outros elementos de estilo que não a formal em suas decisões.

Há um fato novo no caso.

O desembargador Rondon Bassil disse que não ficou convencido da culpa dos Marchetti porque o delegado não abriu outras linhas de investigação.

Uma delas é a que os pistoleiros do crime eram ligados ao círculo de João Arcanjo Ribeiro, o comendador Arcanjo, que mesmo homenageando o marido de Mônica na praça de alimentação do Plaza Shopping, de sua propriedade em Rondonópolis (a praça tem uma placa com o nome do médico Charafeddin), teria múltiplos interesses na região.

Outra linha que o delegado Henrique Meneguello, e o promotor Marcos Machado deveriam ter seguido na época é que o pistoleiro cabo Hércules, em um depoimento em juízo, pediu para ficar sozinho e escreveu o nome do mandante dos crimes, contradizendo tudo o que havia dito antes. Misteriosamente, ele escreveu o nome do mandante: “Maggi”. A acusação consta nos autos, ainda que hoje seja vendido barato para a sociedade que o mandante dos crimes seja João Arcanjo Ribeiro.

P.S. Coincidências da vida, João Arcanjo Ribeiro foi posto em liberdade no mesmo dia em que Blairo Maggi anunciou sua aposentadoria política, de onde saiu colecionando amigos, como o próprio desembargador Marcos Machado, que chegou a ser seu Secretário.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(8) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

wagner - 03-01-2019 07:20:46

Quando todos saíram da sala !!! Leia-se ; detento não fica só ,ainda mais numa sala de Fórum . É mais que lógico , que ali ficaram , guardas ,Promotor ,Juíz ,Escrivão e quem de direito.

Responder

0
2


Carlos Roberto - 02-01-2019 16:55:35

Se todos saíram da sala para Hércules dizer quem era a pessoa, fica a pergunta??? Como sabem que ele escreveu Maggi?????E se alguém vazou essa informação não adiantou todos saírem da sala.

Responder

2
1


mané - 02-01-2019 12:47:58

Fala QUEIRÓZ !!! Faça como o Cabo Hércules ,seja homem !!! FALA QUEIRÓZ !!! Ajude a SALVAR O BRASIL !!!

Responder

10
1


Juao - 02-01-2019 17:19:56

Queiroz tá com câncer, entrevista no SBT, aos manes petistas fãs do bêbado Luladrão, não vão conseguir denegrir o Mito. Chora petista, surfando na lágrima de vcs

Responder

1
2


mané - 02-01-2019 18:54:11

Tá com câncer no JUCAO !!!

Responder

2
1


Pedro Silva - 02-01-2019 22:34:28

Juao, você é mais um tapado baba ovo do lixo, 1.200.000, e vai pedir 40.000, emprestado e você vem com essa de não denegrir o mito ops. Lixo. Acorda trouxa tem mais uma eu não sou PT. E nem votei no PT, porem a denúncia é séria e merece ser investigado.

Responder

5
1


Carlos Nunes - 01-01-2019 09:27:00

Pois é, o Brasil mudou...Cadeia não é mais só pra pobre, p... e p... Agora é também pra ex-presidente, ex-governador, ex-ministro, ex-senador, ex alguma coisa. Depois que acaba o mandato e perde a blindagem do cargo, até delator premiado fica mais audacioso, abre mais o bico e começa a contar estórias. Já vi esse filme...tinha um cara que dizia ser o mais honesto do país, vem aí a divulgação da delação do tio Palocci, que contou COM DETALHES como passaram a mão na propina dos Fundos, dos Aviões, do Pre-Sal. O que mais o tio Palocci contou? Saberemos em breve. Pra todas as pessoas que farão delação premiada no Brasil, neste começo de ano, a gente só pode pedir uma coisa: CONTEM TUDO O QUE SABEM! SALVEM O BRASIL! AINDA HÁ TEMPO! Se os delatores premiados não abrirem o bico, jamais saberemos de nada.

Responder

20
6


Me arrependi - 01-01-2019 09:35:48

Pois é, espero que o Queiroz também delate tudo e salve o Brasil!!!

Responder

28
7


8 comentários