MP abre inquérito no Pronto Socorro de Cuiabá | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 20 de Agosto de 2018

INVESTIGAÇÃO Terça-feira, 05 de Junho de 2018, 11h:20 | - A | + A




SAÚDE

MP abre inquérito no Pronto Socorro de Cuiabá

Segundo denúncias, a ausência de materiais como gazes e luvas, estariam impedindo o funcionamento do Pronto Socorro

Por: Redação

O Ministério Público Estadual instaurou um inquérito para apurar a falta de insumos e medicamentos no Pronto Socorro da capital. A Secretária de Saúde de Cuiabá disse ao site G1 que até o momento não foi avisada sobre o inquérito.

Segundo denúncias feitas ao órgão, a ausência de materiais básicos como gazes e luvas, por exemplo, estariam impedindo o devido funcionamento do Pronto Socorro.

A apuração das irregularidades foi aberta em maio deste ano, após vistoria e relatório elaborado pelo Núcleo de Assistência Social do Ministério Público.

Conforme consta no documento, o hospital já teve que suspender parcialmente suas atividades por falta de medicamentos e foi confirmado pela equipe do órgão a escassez de itens básicos como água bidestilada, luvas de todos os tamanhos, esparadrapos, gazes, aparelhos de barbear e seringas.

Alguns dos medicamentos que faltam e foram listados são: carvão ativado, óleos e pomadas cicatrizantes, antitrombóticos, diuréticos, anticonvulsivantes, sedativos, antifugicidas e antiparasitas, entre outros.

A equipe do núcleo de assistência constatou, ainda, ausência ou erro de informações nos lotes e validades dos fármacos e a falta do preço unitário dos medicamentos.

A carência de controle na entrada de remédios no hospital também foi apontada, "visto que os acompanhantes dos pacientes compram os medicamentos e os entregam na farmácia da unidade para que sejam utilizados no tratamento", finaliza.  

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

paulo - 06-06-2018 18:40:35

no pronto socorro esta faltando ate pomada para curativo, pacientes sendo furados com agulhas grossas, nao compatíveis esta um caos,e o prefeito preocupado em demissão, os funcionarios ja trabalham em condicoes precarias, agora com medo de ser mandado embora, para colocarem os endicados politicos, quem esta sendo contratado entrando ja entra falando (e vim indicada, da secretaria) acorda prefeito ,cuida e comprar medicamento para o ps.o povo esta morrendo

Responder

1
0


1 comentários