TJMT decide hoje se empresário deixa prisão | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 19 de Setembro de 2018

INVESTIGAÇÃO Quinta-feira, 28 de Junho de 2018, 18h:18 | - A | + A




Liberdade vai cantar?

TJMT decide hoje se empresário deixa prisão

Kobori foi preso no dia 9 de maio pelo Gaeco, na segunda fase da Operação Bereré, a Operação Bônus

Por: Redação

Na tarde desta quinta feira (28), o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) julgará o novo pedido de Habeas Corpus do empresário José Kobori, preso desde o dia 9 de maio pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), na segunda fase da Operação Bererê, a Operação Bônus.

A investigação temo objetivo de apura fraudes envolvendo o contrato firmado pela EIG com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran). 

Kobori é acusado de ter repassado propina ao advogado e ex-secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, em troca da manutenção do contrato de concessão e execução das atividades de registros dos contratos de financiamentos de veículos com cláusula de alienação fiduciária, de arrendamento mercantil e de compra e venda com reserva de domínio ou de penhor.

O desembargador José Zuquim Nogueira, no final de maio, negou a liminar do empresário sob o argumento de que a organização criminosa atua “colocando em risco a ordem pública”, em razão das evidências de que “continuam agindo delituosamente nas questões relativas às propinas e transações financeiras questionáveis”.

“Já disse e repito, que o crimes do colarinho branco, como se sabe, é espécie de crime que, no mais das vezes se caracteriza pela reiteração de condutas, pela habitualidade e profissionalismo, características estas que faz forçosa a conclusão de que, em liberdade, os investigados neste tipo de delito colocam em risco a ordem pública”, disse.

O MP tem ressaltado o papel de cada um nos núcleos da organização: O de "Liderança", "Operação" e "Subalterno". De acordo com a denúncia, Mauro Savi e Paulo Taques atuavam no núcleo de liderança. Já José Kobori, Pedro Zamar Taques e Roque Anildo atuavam no núcleo de operações.

Além de José Kobori, foram presos preventivamente Pedro Jorge Zamar Taques, Paulo Taques o deputado estadual Mauro Savi e os empresários Roque Anildo Reinheimer e Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo”.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

ANA - 28-06-2018 15:54:25

SÓ FALAR COM MINISTRO , TEM UM LÁ QUE É PROTETOR DOS BANDIDOS DA CORRUPÇÃO, SOLTA TODOS! PODRIDÃO SEM FIM...

Responder

4
2


Primos - 28-06-2018 15:53:39

A família do governador também

Responder

1
2


Silvio - 28-06-2018 15:51:50

TRE tem que manter preso, se errou tem que pagar uma novvela mexicana isso, engraçado quando é pobre morre na cadeia

Responder

3
1


3 comentários

coluna popular
MM usou incentivos e não pagou funcionários
Mauro Mendes se humilha por apoio de Maggi
“Teve uma credibilidade que não merecia”
Arca de Noé
Briga pelo tempo

Últimas Notícias
19.09.2018 - 18:00
19.09.2018 - 17:50
19.09.2018 - 17:48
19.09.2018 - 16:47


Pedro Taques (PSDB)

Mauro Mendes (DEM)

Wellington Fagundes (PR)

Moisés Franz (Psol)

Arthur Nogueira (Rede)



Informe Publicitário