Machado recebe autos do processo e votação pode ser retomada no próximo dia 14 | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 18 de Junho de 2018

PODERES Domingo, 03 de Junho de 2018, 20h:07 | - A | + A




HABEAS CORPUS DE SAVI

Machado recebe autos do processo e votação pode ser retomada no próximo dia 14

Desembargador pediu vistas para analisar melhor o caso; outros magistrados podem mudar de opinião e votarem pela liberdade do deputado

Por: Marcio Camilo

Divulgação

Divulgação

O Tribunal de Justiça (TJ-MT) enviou os autos da prisão do deputado estadual Mauro Savi (DEM) para o gabinete do desembargador Marcos Machado. Ele foi o responsável pelo pedido de vistas que suspendeu o julgamento do habeas corpus do deputado pelo pleno do TJ que conta com 30 desembargadores.

Machado pediu vistas para analisar melhor o processo e, assim, proferir o seu voto pela manutenção ou relaxamento da prisão preventiva de Savi, que foi preso no último dia 9, no âmbito da operação da Bereré, acusado de liderar um esquema de corrupção no Departamento Estadual de Trânsito (Detra-MT).

O julgamento que analisa o habeas corpus do parlamentar teve início em 25 de maio. Até o momento a votação dos desembargadores está em 16 a 2 para manter Savi na prisão. Ainda faltam o voto de 12 magistrados.

Embora seja raro de acontecer, se no pedido de vistas, Machado concluir pela soltura de Savi, alguns dos desembargadores que votaram a favor da prisão podem mudar de opinião, dependendo dos argumentos de Machado.

Vale destacar que ainda há dois desembargadores que não proferiram seus votos, pois estão aguardando a conclusão do pedido de vistas de Machado para se posicionarem diante do caso.
O julgamento do habeas corpus deve ser retomando entre os dias 14 ou 28 deste mês, quando ocorrerão as sessões do Tribunal Pleno do TJ.

Entenda

Pela acusação do Ministério Público do Estado (MPE), Savi é um dos políticos acusado de operacionalizar e receber propinas oriundas do Detran-MT, desde o início do esquema em 2009.

As propinas eram viabilizadas através das empresas EIG Mercados e Santos Treinamentos – responsáveis pelos contratos de registro de financiamentos de veículos no Detran.

Conforme as investigações, 30% do que era arrecado pela EIG Mercados era desviado dos cofres públicos para políticos, empresários e servidores públicos, sendo que funcionários da Assembleia Legislativa (AL-MT) eram responsáveis por ‘lavar o dinheiro’ por meio da Santos Treinamentos. Segundo o MPE, para ser operacionalizado o esquema contava com mais de 40 envolvidos.

Estima-se que cerca de R$ 30 milhões foram desviados do Detran-MT por conta do esquema de corrupção.

Savi foi preso na segunda fase da operação Bereré, denominada de Bônus. Junto com ele, o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do MPE cumpriu mandados de prisão contra os empresários José Kobori (dono da EIG Treinamentos) e Claudemir Pereira dos Santos, conhecido como “Grilo”; e os primos do governador Pedro Taques (PSDB), os irmãos Pedro Zamar e Paulo Taques – este último ex-chefe da Casa Civil.

Todos foram presos no início deste mês (9 de maio), acusados de participarem do esquema de corrupção no Detran-MT. 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Zico - 03-06-2018 21:41:10

Votação, só politico para ter essa mordomia, era para estar preso alékm de devolver o que foi tirado do povo

Responder

3
0


1 comentários

coluna popular
Ciro é o quarto a tentar gerenciar
Pacote de regalias deve animar a côrte
Marrafon e Russi buscam aproximação com Mendes
A bola da vez fez com que muitos mudassem discurso
Reviravolta no tabuleiro político

Últimas Notícias
17.06.2018 - 23:16
17.06.2018 - 17:24
17.06.2018 - 17:15
17.06.2018 - 16:33


Fábio Garcia

Ezequiel Fonseca

Vitório Galli

Valtenir Pereira

Neri Geller

Carlos Bezerra

Ana Poncinelli

Emanuelzinho

Professor Bispo

Barbudo

Rafael Ranalli

Cledison Gonçalves

Wanderson Nunes

Gisela Simona

Marco Marafon

Antônio Carlos

Dr. Leonardo

Renato Gouveia

Max Campos



Informe Publicitário