Após delatar os Taques, cabo diz correr risco de vida | MUVUCA POPULAR

Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018

POLÍTICA Segunda-feira, 30 de Julho de 2018, 14h:07 | - A | + A




Após delatar os Taques, cabo diz correr risco de vida

Operador dos grampos confessou que fez tudo a mando de Pedro e Paulo Taques

O cabo Gerson da PM, que abalou Mato Grosso ao confessar e detalhar o esquema de interceptações telefônicas ilegais, imputando o mando aos primos Pedro e Paulo Taques, disse temer pela vida e sua defesa vai pedir proteção. Gerson Correa Jr.diz que ele e sua própria família correm risco de vida.

Ele depôs durante toda a madrugada de sábado (28), por mais de 5h, e confessou ter interceptado ilegalmente adversários políticos do governador Pedro Taques (PSDB) a mando do ex-comandante da corporação, coronel Zaque Barbosa, com os custos bancados pelo ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, em interesse de Pedro Taques.

A defesa do cabo Gerson disse que entrará com pedido de proteção ao cabo. “Vai ser pedida a proteção para ele. Dos fatos declarados aqui [no Fórum], a coragem dele tem que ser elencada no pedido que iremos fazer”, disse o advogado Neyman Monteiro, segundo relata o midianews. 

Confissão

Na madrugada de sábado, o cabo detalhou como funcionava o esquema de interceptações telefônicas e acusou o ex-secretário da Casa Civil Paulo Taques como sendo o líder do “grampos ilegais”.

De acordo Neyman Monteiro, no depoimento o cabo acabou “escrevendo um livro” na história mato-grossense. Ele fala que a orientação da defesa era para que o PM confessasse os crimes que praticou, no entanto Gerson foi além.   

“Apenas ele e a mulher dele sabiam. Ele quis mostrar para sociedade e para os julgadores o que foi a grampolândia pantaneira. Ele explicou. Vão julgá-lo e vai ter uma decisão, favorável ou desfavorável”, disse a defesa.

Depoimento

Em seu depoimento, o cabo disse que em 2014 foi chamado pelo coronel Zaqueu Barbosa para criar um escritório para interceptar policiais militares que estariam cometendo crimes. 

Segundo sua confissão, esse escritório, que foi montado por Gerson e aperfeiçoado por outros policiais militares, foi financiado pelo ex-secretário da Casa Civil Paulo Taques.

Os trabalhos na sala de interceptação começaram, conforme Gerson, em setembro de 2014 com interceptações de policiais que estavam em desvio de conduta.

No entanto, na semana que antecedeu a eleição de outubro daquele ano, ele conta ter recebido do coronel Zaqueu mais uma leva de números que correspondiam a “barriga de aluguel”. Estes números seriam de políticos adversários, jornalistas e advogados.

As vítimas

Entre as vítimas da espionagem em 2014 estão os dois coordenadores jurídicos das campanhas adversárias de Taques naquele ano, José do Patrocínio (campanha de Lúdio Cabral, PT) e José Antônio Rosa (campanha de Janete Riva, PSD). E também o ex-candidato a governador José Marcondes, o Muvuca, a deputada estadual Janaina Riva (PMDB) e o desembargador aposentado José Ferreira Leite.

"Aí eu fiz um segundo relatório, entreguei pra ele e ele começou a explicar a inclusão de cada número, nomes ligados a campanha daquele pleito de 2014, seja do candidato Lúdio Cabral (PT), seja do José Riva, mas os nomes estavam com apelido. Um deles era o Muvuca, que o apelido era o 'Mumu', foi aí que liguei uma coisa com a outra, com as conversas com Paulo Taques", revelou.

"José Antônio Rosa, José do Patrocínio, vereador Chico 2000. É difícil lembrar, assessores de vereadores, advogados", complementa.

"Dentro do gabinete do Zaqueu eu tomei conhecimento do pano de fundo que existiria... cada um dos alvos ele me explicou os motivos", garante Gerson

"Ele disse que o Muvuca era uma ameaça real ao governador, tinha ação contra ele, ameaça. Os assessores, José Patrocínio, o objetivo era pegar um flagrante de crime eleitoral nas coligações adversárias", revelou.

O depoimento acabou às 5h40. A defesa de Gerson alega que irá solicitar os benefícios do instituto de delação premiada.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(4) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos Nunes - 30-07-2018 18:25:42

Pro Cabo a gente só pode pedir uma coisa: CONTE TUDO! SALVE MATO GROSSO! AINDA HÁ TEMPO!

Responder

22
0


Pardal - 30-07-2018 17:30:08

Temos o Governador como Homem Sincero e Honesto, mas após essa denúncia num país sério ele seria afastado do cargo por 60 dias para as investigações.

Responder

18
0


ANA - 30-07-2018 15:48:31

SE FOSSE EU TBM TERIA. APESAR QUE EU NÃO ACREDITO EM PUNIÇÃO DO GOVERNADOR E DO PRIMO DELE.. AQUI NO BRASIL TDS FICAM LIVRES.. É SÓ VER A QUANTIDADE DE CRIMINOSOS DA CORRUPÇÃO QUE ESTÃO LIVRES QUE MINISTRO E JUIZES SOLTARAM. AQUI É BRASIL GENTE.. TRISTE.

Responder

17
0


Omar Telo - 31-07-2018 11:45:02

Na verdade, querida, somente criminosos ligados ao PSDB/DEM é que estão livres, com processos esquecidos nas gavetas do judiciário partidário e golpista.

Responder

9
3


4 comentários