Editorial: Crise financeira, RGA, Greve; Taxar o Agro pode ser um começo | MUVUCA POPULAR

Sábado, 17 de Novembro de 2018

POLÍTICA Quarta-feira, 07 de Novembro de 2018, 10h:01 | - A | + A




Luz no fim do Túnel

Editorial: Crise financeira, RGA, Greve; Taxar o Agro pode ser um começo

Mendes afirma: "Todos terão que ajudar"

Por: Daniela Castro

Os trabalhos de transição do governo iniciaram essa semana com mais um capítulo da novela da Revisão Geral Anual (RGA) 2018. Depois que o Tribunal de Contas do Estado (TCE) emitiu uma nota técnica admitindo que não pode pagar a reposição inflacionária aos servidores, o governador eleito, Mauro Mendes (DEM), precisou entrar em campo nesta terça-feira (06), para defender que se pague a RGA apenas se tiver condições financeiras.

Mendes apelou ainda para consciência dos servidores públicos do estado e pediu para que tenham responsabilidade diante da situação econômica. Afinal, começar o governo enfrentando uma greve não seria o ideal. O fórum sindical lançou nota de repúdio e afirmou que se Taques não pagar a RGA, eles param no dia 13.

“Falta dinheiro para tudo. O Estado continua sem pagar saúde no interior, sem pagar fornecedores, paga em atraso os salários. Tem que ter responsabilidade de todos, saber que temos que economizar. Eu farei minha parte e espero que todos façam a sua, inclusive os próprios servidores precisam ter responsabilidade com o Estado, sob o ponto de vista de comprometer [o caixa] no médio e longo prazo”, disse.

A reportagem do MPopular lembra ao governador eleito que a (i) responsabilidade não deve ser jogada nos ombros dos servidores, mas sim, nos ombros do atual governador Pedro Taques (PSDB). Os servidores estão fazendo o papel que lhe cabe: reivindicar seus direitos.

Diante da crise, Mauro Mendes parece ter dado ouvidos ao colega de partido, o senador Jayme Campos (DEM), que vem defendendo arduamente a taxação do Agronegócio. Mendes não descarta essa possibilidade, principalmente agora, com essa crise da RGA prestes a explodir no seu colo. "Todos terão que ajudar", declarou.

O estado de Mato Grosso precisa arrecadar para ter dinheiro, mas não adianta sobrecarregar o povo com cobranças de impostos, é preciso ter coragem para não se tornar refém dos ‘barões do agronegócio’ e cobrar impostos.

O MPopular já abordou essa temática e volta a se posicionar a favor do povo mato-grossense ao defender a taxação deste que é o maior setor econômico, que lucra milhões ao ano.

Como afirma o senador do democrata: “Eu pergunto qual a participação desse setor na receita do Estado? Eles não pagam coisíssima alguma. E tem que cobrar, não tem muita saída para MT. O setor do algodão, a margem de lucro aqui em R$ 15 mil por hectare de produção. Não pagam nada. A lei Kandir favorece o setor. Estão livres de pagarem ICMS, PIS, Confins. Sou favorável que paguem e se depender de Jayme Campos, serão taxados”.

Jayme.jpg

 

Em entrevista ao MPopular, a pesquisadora do curso de serviço social da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Vera Bertoline, apontou que a desigualdade social no estado é em decorrência aos privilégios dados ao agronegócio, que não dão um retorno social. “A pecuária e a agricultura se voltam para a monocultura que não é geradora de empregos, mas gera renda para o dono da propriedade".

Nesse momento de crise, o novo governador vai precisar de apoio dos setores, sim, mas não pode exigir do pequeno, do servidor e do povo mais sacrifícios. É hora de coragem e a população que elegeu Mauro Mendes de forma expressiva no primeiro turno das eleições 2018, vai apoiar e legitimar a decisão de cobrar impostos do Agronegócio para voltar a equilibrar a balança do orçamento.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Fenix - 08-11-2018 06:39:50

NÃO INTERESSA QUEM PINTOU A ZEBRA SEU MAURO, NÓS SERVIDORES QUEREMOS O RESTO DA TINTA. SE O ESTADO ESTA FALIDO É POR CULPA DE VCS MESMOS QUE SUCATEIAM O COFRE PUBLICO E DEPOIS VEM COM ESSA DE PACIENCIA DOS FUNCIONARIOS PUBLICOS. E AI COMO FICARÁ O ERARIO QUE SILVAL, RIVA, EDER, E OUTROS CURRUPTOS LEVARAM DO ESTADO? VOCES ROUBAM A NACAO E DEPOIS CRIAM ATE DELAÇAO PREMIADA PRA OFUSCAR SEUS ERROS. E DEPOIS QUEREM QUE OS TRABALHADORES PAGUEM PELA GANANCIA EXARCEBADA DE TODOS VOCÊS. SAI FORA COM ESSE ARGUMENTO, NÓS TE COLOCAMOS NO PODER PRA GERIR O ESTADO E ASSIM COMO TIRAMOS TAQUES APÓS 4 ANOS DE GOVERNO CONTIGO NAO SERA DIFEENTE.FICA A DICA.

Responder

5
1


Pardal - 07-11-2018 13:37:55

O novo governador têm uma tarefa bastante árdua, mas eficaz. Tem que arrumar a casa em 30 dias, ajeitar a situação em 60 dias, e começar a arrecadar mais em 90 dias. Terminando assim o primeiro semestre de 2019 com grande chance de prosperar. Os Servidores sempre trabalharam e ajudaram o estado a crescer, onde houve a economia da água, do café, e da luz. Os Servidores precisam ser melhores valorizados, pois tem uns que ganham muito e outros poucos. Estão recendo RGA de 2017, sendo que 2018, ainda não comentou... Bem vindo 2019! Que Deus dê ao novo governador MT, sabedoria, entendimento e bom senso para governar.

Responder

18
0


Sensatez - 07-11-2018 10:36:21

Tomada de posição pontual e importante deste veículo de comunicação

Responder

14
0


3 comentários