Justino Malheiros insiste em reeleição | MUVUCA POPULAR

Terça-feira, 16 de Outubro de 2018

POLÍTICA Domingo, 10 de Junho de 2018, 07h:47 | - A | + A




Justino Malheiros insiste em reeleição

 

O presidente da Câmara de Cuiabá Justino Malheiros (PV), descarta a possibilidade de vir a apoiar a candidatura do vereador Misael Galvão (PSB) a presidência da Casa de Leis.

O parlamentar garante que continua trabalhando no seu projeto de reeleição, aguardando apenas um posicionamento favorável do poder judiciário quanto a lei que permite que ele dispute o pleito que ocorre em agosto deste ano.

“Continuo firme na minha reeleição, e além de continuar firme, estou indo pra cima, trabalhando no convencimento dos demais vereadores. Já estou sendo bem recebido por alguns companheiros”, afirma.

As declarações do presidente diem respeito ao posicionamento de Misael, que em entrevista a veículos de comunicação cobrou o apoio de Justino, tendo em vista que na última eleição ele recuou de ser candidato para apoiá-lo.

“Impossível é Deus pecar, mas com todo respeito ao vereador Misael Galvão, ele não conseguiu viabilizar na passada. Na hora que ele veio para o grupo já tinha 18 vereadores fechado, aí fica fácil você desistir”, rebateu.

Justino afirma que, assim como o seu concorrente socialista, já conta com o apoio de 13 vereadores, e garante que chegará a 15 no dia da eleição. O parlamentar, entretanto, não quis citar nomes.

“Eu estou caminhando para fechar nessa eleição com o apoio de 15 vereadores, e nós vamos fechar com 15 com toda certeza. Nós estamos apenas aguardando a decisão judicial, temos total razão naquilo que a gente entende que e certo e nós vamos caminhar para isso” finalizou.

O grupo pró-Misael reúne o líder do prefeito Lilo Pinheiro (PRP) e os vereadores Chico 2000 (PR), Paulo Araújo (PP), Adevair Cabral (PSDB), Sargento Joelson (PSC), Abilio Júnior (PSC), Gilberto Figueiredo (PSB), Dilemário Alencar (Pros), Toninho de Souza (PSD), Juca do Guaraná Filho (Avante) e Marcelo Bussiki (PSB).

Para disputar a reeleição, Justino tem que derrubar uma decisão judicial que suspendeu os efeitos do projeto de resolução 001 de 2018, que permite a reeleição para Mesa Diretora da Câmara de Cuiabá. A decisão é do juiz da 3ª Vara da Fazenda Pública, Agamenon Alcântara Moreno Júnior.

Na decisão, o magistrado afirma que o presidente não cumpriu com o que determina o Regimento Interno no que tange ao quórum de votação, e ainda não levou em consideração o fato de que a recondução sucessiva dos membros da Mesa Diretora só pode se dar através de alteração da Lei Orgânica do município.

CPI DO PALETÓ - O presidente da Câmara de Cuiabá, vereador Justino Malheiros (PV) afirma que não irá tomar qualquer decisão quanto a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), instaurada no Parlamento Municipal contra o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB). O parlamentar irá esperar uma decisão da justiça quanto ao caso.

Isto porque, afirma que não quer “agir sob pressão, impulso e em retaliação”. “A CPI está paralisada judicialmente. Alguns vereadores entraram com pedido para que seja reaberta, e nós estamos analisando isso, mas a priori eu acredito que nós vamos continuar aguardando a decisão judicial”, enfatiza.

A Comissão está suspensa desde abril deste ano devido a uma determinação da Justiça, que identificou uma manobra da base aliada do chefe do Executivo Municipal para fazer parte da Comissão.

A decisão se deu em face de uma ação protocolada pelo vereador Diego Guimarães (PP), onde alega que, após a oposição conseguir as 9 assinaturas necessárias para abertura da CPI, diversos parlamentares da base aliada do prefeito também assinaram o requerimento.

O objetivo, segundo a ação, era garantir que aliados do prefeito ocupassem maioria na comissão. Guimarães alega que os vereadores Adevair Cabral (PSDB) e Mário Nadaf (PV), relator e membro da CPI, só assinaram o requerimento após ele ter sido protocolado já com objetivo de compor a comissão. Os argumentos foram acatados pelo magistrado de 1º grau.

Diante disso, a Câmara recorreu para manter os trabalhos da CPI, que já estavam na fase de elaboração de relatório, mas a desembargadora Helena Maria Bezerra Ramos, manteve a decisão de primeiro grau. Agora, o presidente aguarda o julgamento do mérito para tomar qualquer atitude quanto ao assunto.

“Eu tenho essa prerrogativa de mudar os membros e reabrir a CPI, mas eu tenho que respeitar, primeiramente o povo cuiabano. Eu tenho que ter muita tranquilidade para que a gente possa tomar o caminho certo, não agir por impulso e nem em retaliação a alguma coisa”, disse Justino.

A CPI contra o prefeito foi instaurada após a veiculação de um vídeo, no qual ele aparece recebendo propina de Silvio Cesar Correa, ex-chefe de gabinete do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

 

Kamila Arruda/DC

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Edison compartilhou imagens do presidenciável
Juiz proíbe ex-bicheiro de dormir em fazenda
Redução já gera atrito entre poderes
Deputado vai se dedicar aos negócios
Críticos serão indenizados após 10 anos

Últimas Notícias
16.10.2018 - 18:25
16.10.2018 - 16:46
16.10.2018 - 16:36
16.10.2018 - 16:08




Informe Publicitário