Parlamentares "anti-indígenas" são financiados pelo agronegócio  | MUVUCA POPULAR

Quinta-feira, 13 de Dezembro de 2018

POLÍTICA Sexta-feira, 28 de Setembro de 2018, 12h:09 | - A | + A




Eleições 2018

Parlamentares "anti-indígenas" são financiados pelo agronegócio

Dos 50 parlamentares mais "anti-indígenas", 3 são de MT

Por: Helena Corezomaé

Um levantamento inédito do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) identificou os parlamentares que mais atuaram no Congresso contra os direitos indígenas nos últimos anos.

Dos 513 deputados e 81 senadores, 50 são listados como os mais "anti-indígenas". Dentre eles, três são de Mato Grosso: Adilton Sachetti (PSB), Carlos Bezerra (MDB) e Nilson Leitão (PSDB).

Em 2017, foram registrados 110 assassinatos de indígenas. Os estados com maior número de casos foram Roraima (33), Amazonas (28) e Mato Grosso do Sul (17).

Conforme o documento divulgado nesta quinta-feira (27), os 50 políticos considerados anti-indígenas citados - 40 deputados e 10 senadores - estão ligados a projetos de lei que fragilizam os direitos dessas populações.

O levantamento mapeou pelo menos 33 propostas no Congresso: a maior parte busca alterar o processo de demarcação, explorar recursos naturais em terras indígenas e permitir que esses territórios sejam arrendados para produção agropecuária.

"São parlamentares ruralistas que trabalham incansavelmente para fazer com que as propostas contra os indígenas avancem", diz o relatório.

A maior parte dos políticos citados no relatório é investigada por corrupção.

Dinheiro e política

O documento do Cimi aponta a Frente Parlamentar Agropecuária na dianteira dos retrocessos nas políticas indígenas. Com 207 deputados e cerca de 20 senadores, o grupo ruralista receberia apoio ainda das chamadas bancadas da mineração, da bala, evangélica, empreiteiras e construtoras.

Com informações obtidas junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Cimi identificou a origem de doações de campanha nas últimas eleições feitas aos 50 parlamentares mapeados no relatório.

Conforme o relatório o grupo recebeu R$ 145 milhões de empresas como fabricantes de insumos agrícolas e agrotóxicos, fazendas, produtores e compradores de bovinos, bancos privados, indústria da mineração e armamentista, empreiteiras.

Recurso recebido

Segundo dados do TRE Adilton Sachetti, Nilson Leitão e Carlos Bezerra receberam doações de setores ligados ao agronegócio, que são considerados os mais interessados na desmobilização de políticas indígenas.

O candidato ao senado Adilton Sachetti (PSB) recebeu da empresária Natasha Preza Sachetti, sua sobrinha que atua no ramo agropecuário, R$ 50 mil reais. A sobrinha do candidato é a 8ª maior doadora do país para campanhas eleitorais deste ano, segundo o Tribunal Superior Eleitoral.

A empresária realizou até o momento doações que passam de R$ 1,6 milhão. O maior beneficiário de suas doações é o Diretório do PRB em Mato Grosso, que recebeu R$ 1,2 milhão.

Já o candidato Nilson Leitão (PSDB) recebeu a maior quantia de pessoa física de Odilio Balbinotti Filho, presidente da Sementes Adriana. O pai de Odilio é um dos maiores produtores de semente de soja do país, em 17 de março de 2007 abriu mão da indicação para o Ministério da Agricultura após ser massivamente noticiada na imprensa brasileira à tramitação, no Supremo Tribunal Federal, de um inquérito sigiloso, que investigava a suspeita de falsidade ideológica e de crime contra a fé pública, no qual Balbinotti era apontado como suspeito de ter forjado documentos para obter empréstimo do Banco do Brasil.

Carlos Bezerra do MDB candidato a deputado federal recebeu recursos de Kassie Regina Riedi Queiroz, presidente do Sindicato das Indústrias de Extração de Calcário de Mato Grosso.

Confira o documento de 148 páginas apresentado pelo CIMI aqui

Clique aqui e veja os valores recebidos pelos candidatos.    

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(8) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Jorge - 28-09-2018 15:24:18

Vixeeeeeeeee. Olha a cara desses dois figura carimbada da política Nãu tem meu voto esses dois

Responder

7
0


Arlindo - 28-09-2018 14:26:18

Agronegócio são os que mais acaba com as nossas terras

Responder

8
2


Alberto - 28-09-2018 14:20:42

O que temos para a Agricultura Familiar

Responder

6
0


Maya - 28-09-2018 12:57:18

Que horror!

Responder

8
0


Isabel - 28-09-2018 12:54:27

Excelente muvuca, difícil mesmo é fazer com que o povão entenda isso.

Responder

7
0


Selma - 28-09-2018 12:51:11

SÃO GRILEIROS DE TERRAS PÚBLICAS, INVADEM O QUE NÃO LHES PERTENCEM, ALGUNS USAM CARTÓRIOS FRAUDULENTOS E AINDA QUEREM EXPULSAR OS NOSSOS VERDADEIROS DONOS DAS TERRAS BRASILEIRAS. NOSSOS ÍNDIOS TEM QUE TER SUAS TERRAS DEMARCADAS.

Responder

10
1


Juvenal - 28-09-2018 12:49:34

assim funciona essa REDE de CORRUPÇÃO quem tem dinheiro vai vencer os coitado, ainda mais esses índios, apesar que tem índio não sujo quanto certos políticos

Responder

10
0


Jobuti - 28-09-2018 12:44:00

Coitado dos índios, e o Nilso Leitão no meio

Responder

10
0


8 comentários