Após ordem do STF, governo Bolsonaro tira Força Nacional de assentamento do MST no sul da Bahia | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 19 de Outubro de 2020

BRASIL Segunda-feira, 21 de Setembro de 2020, 14h:54 | - A | + A




Força Nacional

Após ordem do STF, governo Bolsonaro tira Força Nacional de assentamento do MST no sul da Bahia

mst-bahia2-696x522.jpeg

 

Após determinação do ministro Edson Facchin, do Supremo Tribunal Federal (STF), o Ministério da Justiça do governo Bolsonaro tirou neste fim de semana os homens da Força Nacional de Segurança das cidades de Mucuri e Prado, no sul da Bahia.

A tropa tinha sido enviada ao local a pedido do Ministério da Agricultura, no último dia 3. Ali, há um assentamento agrário com famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Mas o governo estadual da Bahia contestou a ação, por não ter sido consultado. No STF, reclamou que o envio das tropas sem prévia consulta ou pedido das autoridades locais feria princípio constitucional de autonomia dos estados. Facchin deferiu o pedido e, na última quinta-feira (17), deu 48 horas para que os homens fossem retirados.

O Ministério da Justiça publicou nesta segunda-feira (21) portaria mudando a data de término da operação para o dia 18 – anteriormente, ela era prevista até o dia 3 de outubro. A portaria previa ainda que todos os homens seriam retirados do local até o sábado (19). Consultado, o Ministério da Agricultura não respondeu à Fórum, até a publicação desta reportagem se recorrerá da decisão do STF.

O caso
A Força Nacional fio enviada ao local depois que o assentamento foi atacado, na noite do dia 28 de agosto. Casas foram destruídas, um trator e uma moto incendiados e oito pessoas ficaram feridas. O MST local denunciou, com informações de assentados, que o ataque foi perpetrado por pessoas levadas ao assentamento pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no dia anterior e colocada em um dos lotes.

Em um vídeo, o secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia, acusava o MST pela ação criminosa e de ameaçar os colonos.

O MST nega e, com informações de assentados, afirma que o crime foi cometido exatamente por essa família levada pelo Incra ao local.

Nabhan foi presidente da União Democrática Ruralista (UDR), representante dos grandes ruralistas, de 2013 a 2018. Ele sempre esteve do lado contrário de uma reforma agrária ampla e do MST. E foi colocado por Jair Bolsonaro na função exatamente de cuidar da reforma agrária.

O MST afirma que uma quadrilha vem atacando os assentados, sob pretexto da emissão de supostos “títulos da terra”. No entanto, segue o movimento, há por trás uma operação para extorquir e criminalizar os assentados.

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Solenidade virtual
Racha no grupo de Pivetta
Luto em VG
Evento on-line
Vice-governador pode ser expulso do partido

Últimas Notícias
19.10.2020 - 22:47
19.10.2020 - 21:13
19.10.2020 - 20:53
19.10.2020 - 20:07
19.10.2020 - 19:00


Muvuca (PL)

Adevair Cabral (PTB)

Chico 2000 (PL)

Misael Galvão (PTB)

Ricardo Lobo (PL)

Aladir (PL)

Sargento Joelson (SD)

Juca do Guaraná (MDB)

Luluca Ribeiro (MDB)

Macrean

Renivaldo Nascimento

Toninho de Souza

Edna Sampaio (PT)

Robson Cireia (PT)

Ricardo Saad

Oseas Machado (MDB)

Rogério Varanda

Alex Ribeiro (PP)

Maurélio (PSDB)

Dudu Santos

Marcelo Bussiki

Vinícyus Clovito

Diego Guimarães

Mário Nadaf

Marcos Veloso

Gisele Almeida

Orival do Farmácia

Wilson Kero-Kero

Dr. Xavier

Justino Malheiros

Zidiel Coutinho

Sargento Vidal

Dídimo Vovô

Clebinho Borges

Júlio da Power

Jamilson Moura

Emídio de Souza (PSL)

Adalberto Cavalcanti

Ricardinho

Kako do CPA

Dilemário Alencar

Max Campos (PSB)

Cezinha Nascimento

Edienes Hadassa

Dr Luiz Fernando

PF Rafael Ranalli

Gabriel Henrique

Itamar Jefferson (PL)

Cristiano Paraqueda

Sebastião Moraes

Daniel

Justino Campos

Rafael "Faré"

Darley Gonçalves

Osmar Rodrigues "Chefinho"

Elenir Pereira

Prof.instrutor Joaquim Neto

Diogo Fernandes

Ade Silva

Sargento Ozeni

Dito Paulo

Paulo Macedo

Luiz BA

Professor Frankes

Paulo da VGDI

Valdemir MM

Weto Salgado

Dr. Daúde

Bob Medina

Wagner Vinícius

Luis Carlos

Carlos Henrique do Correio

Adv Cris

Elenir Pereira

Zé Carlos

Luis Cláudio

Huelton Souza

Rosenil Luiz (Canelinha de pacu) (PL)

Sargento Ozeni

Luiz Poção (PL)

Edilson Odilon (PL)

Paulinho CPA

Germânio Araújo

Chico do Leblon

Delegado Garcia

Renato Anselmo

Cleber Adôrno

Doidinhoducorte

Neno do Pascoal Ramos

Prof. Jorginho

Itamar Carvalho

Sidney de Souza

Marquinhos Carioca

Renato Anselmo

Pablo Queiroz

Pastor Jeferson

Paulo do Carmo

Vinícius Pardi

Aroldo Telles

Marcus Brito Jr.

Elzio Xaulin

Ledevino Conceição

Elias Santos

Edmilson Carmo

Gato Louco

Nilda Tosca



Informe Publicitário