Desigualdade de renda é a maior em sete anos, indica FGV | MUVUCA POPULAR

Quinta-feira, 19 de Setembro de 2019

BRASIL Segunda-feira, 20 de Maio de 2019, 20h:37 | - A | + A




Governo Bolsonaro

Desigualdade de renda é a maior em sete anos, indica FGV

O índice de 0,627, medido no primeiro trimestre deste ano, é o maior desde o primeiro trimestre de 2012

Com a taxa de desemprego em alta, atigindo os 12,7% no primeiro trimestre do ano, aliada aos efeitos prolongados da recessão iniciada em 2014, a desigualdade de renda atingiu o nível mais elevado em sete anos, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), divulgado nesta segunda-feira (20/5).

O índice de 0,627, medido no primeiro trimestre deste ano, é o maior desde o primeiro trimestre de 2012, início da série histórica, quando o número era de 0,608. Este foi o décimo sétimo aumento trimestral consecutivo do indicador.

No quarto trimestre do ano passado, o índice de Gini do rendimento domiciliar per capita do trabalho estava em 0,625. Após o primeiro trimestre de 2019, o indicador subiu para 0,627.

O índice é calculado a partir de dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e mede a desigualdade numa escala de zero a um. Zero representaria a igualdade perfeita.

De acordo com o autor do levantamento e pesquisador do Ibre/FGV, Daniel Duque, não há uma solução imediata. "Eu não vejo soluções a curto prazo. Estamos vendo que, desde a metade de 2016, os mais ricos estão recuperando as rendas deles. Temos uma situação em que parece que só os mais bem posicionados na sociedade estão conseguindo ter ganhos desde o fim da crise", afirma o pesquisador.

Para Duque, o maior desafio para a redução da desigualdade é a oferta de emprego para as pessoas de menor qualificação. "O que precisa ser feito é ter um cenário de melhora na economia baseado no emprego da população de classes mais baixas", pontua.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos Nunes - 22-05-2019 08:05:31

Herança maldita dos 16 anos do PT...do tio Lula, da tia Dilma e do tio Temer. Todos serão presos...tio Lula já tá, tio Temer já tá a caminho de ser...e tia Dilma será a próxima. É que o tio Palocci fez a delação e disse: pegaram propina dos Fundos, dos Aviões, do Pre-Sal. Disse, com detalhes, que tia Dilma pegou a propina dos Fundos. Cadê essa Delação Premiada? Pegou ou não pegou? Aí, quando a vaca da Economia tava no meio do brejo, atolada até o pescoço, tio Lula teve a cara de pau de dizer: Não se preocupem, é só uma marolinha. Não era só uma marolinha, era um tsunami, pior do que rompimento de barragem em Brumadinho. 14 Milhões de desempregados, mais 30 Milhões jogados, NA MARRA, no Setor Informal pra sobreviver, rombo dentro de rombo. BOLSONARO só cometeu um erro fatal...assim que assumiu, devia ter ocupado uma rede nacional, e narrado pro eleitor como encontrou o Brasil...Qual foi a herança maldita que recebeu? Devia narrar com detalhes, numa linguagem bem popular...pros Eleitores, os verdadeiros donos do Poder através do voto. Como não fez isso...vão colocar a culpa pela crise, pela desigualdade de renda, nas costas dele. Como se os 14 Milhões de desempregados aparecessem da noite pro dia...Vapt-vupt, apareceu toda crise no governo do BOLSONARO. Como dizia o Chacrinha: Quem não se comunica, se estrumbica. Agora, mesmo se quiser explicar tudo isso, ninguém vai acreditar mais...tudo tem o seu "time" pra dizer. Passou do tempo certo.

Responder

2
0


alexandre - 20-05-2019 21:07:35

Quem causou esta crise não foi o PT ?

Responder

1
0


2 comentários