Família Bolsonaro é líder em ataques à imprensa em 2020, aponta levantamento | MUVUCA POPULAR

Terça-feira, 02 de Março de 2021

BRASIL Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2021, 13h:52 | - A | + A




BRASIL

Família Bolsonaro é líder em ataques à imprensa em 2020, aponta levantamento

Jair Bolsonaro ao lado dos filhos Flávio, Eduardo e Carlos

 

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o vice, Hamilton Mourão (PRTB), ministros, os filhos e também assessores ligados à secretaria de Comunicação foram responsáveis por 580  ofensas a profissionais da imprensa no Brasil, em 2020, segundo levantamento feito pela organização internacional Repórteres sem Fronteiras, divulgado nesta segunda-feira. A família do presidente aparece nas principais posições do ranking de agressores da imprensa , com 85% das ofensas compiladas pela organização não-governamental.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) lidera a pesquisa, com 208 casos registrados , seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com 103 ataques, pelo vereador do Rio Carlos Bolsonaro (Republicanos), com 89, e pelo senador Flávio Bolsonaro (Republicanos - RJ), com 69 agressões.

Segundo a ONG, as redes sociais foram uma das principais arenas usadas pelo " sistema Bolsonaro " para hostilizar a imprensa: 85% das agressões foram realizadas por meio do Twitter, seja por republicações ou agressões de autoria própria.

"Até o momento, nada indica que o "sistema Bolsonaro" vá interromper sua lógica de ataques e sua operação orquestrada para desacreditar a mídia. O desafio para a imprensa brasileira é imenso. O caminho para enfrentá-lo aponta na direção da coragem e da resiliência, para seguir levando informações confiáveis ao público e, assim, recuperar a confiança no jornalismo de qualidade", diz o relatório.

O levantamento aponta ainda que o Palácio do Alvorada, residência oficial do chefe do Executivo, "se tornou símbolo da sua hostilidade aos jornalistas ".

Um dos episódios citados pela ONG foi quando Bolsonaro apareceu na porta do Alvorada acompanhado por um humorista disfarçado de presidente, a quem pediu para distribuir bananas aos jornalistas presentes. Naquele dia, Bolsonaro ignorou o resultado do PIB do seu primeiro ano de gestão, e não fez nenhum comentário dobre a menor taxa desde o fim da recessão.

Você viu?

 

Apoiadores de Bolsonaro também começaram a insultar cada vez de forma mais agressiva os profissionais de imprensa, que trabalhava no local.

A escalada de agressões a imprensa fez com que o Grupo Globo e outros veículos de imprensa decidissem, em maio do ano passado, que seus profissionais não fizessem mais plantão na porta da residência oficial do presidente.

Segundo o levantamento, o Grupo Globo foi o principal alvo de ataques no ano passado, com 192 agressões registradas. Os ataques tinham o "objetivo de abalar a credibilidade de importantes veículos de comunicação", diz a ONG.

O relatório mostra ainda que metade dos ministros (11 dos 22) promoveu ataques à imprensa em 2020. A titular Damares Alves, da pasta da Mulher, Famílias e Direitos Humanos, lidera o ranking de ataques na Esplanada, com 19 agressões contabilizadas pela ONG.

Em todo o mundo, o Brasil ocupa a 107ª colocação no Ranking Mundial da Liberdade de Imprensa de 2020, estabelecido pela Repórteres sem Fronteiras.

Fonte: IG Nacional
VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos Nunes - 25-01-2021 15:07:27

Pois é, em Cuba, na Coreia do Norte, na China, e em outros países comunistas... nem Imprensa tem. Só tem o Órgão de Imprensa do Governo, e o povo não pode reclamar de nada. Reclama, pra ver o que acontece. Vai dizer que tio Raul é feio, ou o coreano é ditador. Em Cuba tio Fidel fazia aqueles discursos quilométricos de 4 ou 5 horas...e todo mundo escutava quietinho, ninguém ousava interromper, pra dizer que não concordava com isso ou aquilo. Na China o coitado do Dr. LI tentou alertar o mundo sobre o aparecimento do Covid-19, mas recebeu em casa a visita da delicada polícia chinesa, sendo obrigado a retratar, dizendo que não tinha Covid nenhum...era FAKE NEWS. Dr. LI morreu pra não contar estórias...apagaram ele. Aqui no Brasil é uma beleza...tio Ciro Gomes, numa entrevista recente com o Datena, chamou o BOLSONARO de canalha...Lembrei da peça de Natal do Porta dos Fundos, onde taxaram JESUS de gay, São José de corno...e disseram que era Arte, porque não fizeram uma peça teatral com o Maomé. Vão brincar com Maomé pra ver o que acontece. Ataques à Imprensa? Qual delas? Os verdadeiros jornalistas e repórteres que procuram A Verdade...ou os mercenários, onde, se correr dinheiro falam bem...se não correr, falam mal. É o tal do Trigo e do joio. Hoje a diificuldade tá em separar Quem É Quem.

Responder

2
3


Alex r - 25-01-2021 15:37:10

Cara realmente tú é sem noção.... O senhor Lê os absurdos que escreve? Vou te ilustrar : 1 º o Brasil não é e nunca foi comunista... 2º AO que parece o senhor deseja que o país seja comunista. 3º O senhor usa como argumento algo ilógico. Sendo assim procure uma avaliação psicológica. Leve a sério e vá a um psiquiatra seu caso é sério. Usar argumentos ilógicos que não se aplicam é como Dom quixote brigar com moinhos de vento....

Responder

2
1


2 comentários

coluna popular
Deputado apareceu deitado em sessão
Vitima da covid
Medidas mais severas
Em busca da vacina
Governador não dá exemplo

Últimas Notícias
02.03.2021 - 15:47
02.03.2021 - 15:44
02.03.2021 - 15:41
02.03.2021 - 15:40
02.03.2021 - 15:38




Informe Publicitário