OAB questiona BNDES por operação inútil que custou R$ 48 milhões | MUVUCA POPULAR

Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020

BRASIL Quarta-feira, 22 de Janeiro de 2020, 13h:43 | - A | + A




POLÍTICA

OAB questiona BNDES por operação inútil que custou R$ 48 milhões

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) informou nesta terça-feira (21), que vai notificar o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para solicitar informações sobre o contrato do banco público com o escritório estrangeiro de advocacia Cleary Gopttlieb Steen & Hamilton LLP. O objetivo, de acordo com a entidade, é “verificar se foram cumpridas as normas legais que disciplinam o exercício da atividade de consultores em direito estrangeiros no País”.

Conforme revelou o Estadão, o BNDES gastou R$ 48 milhões com auditoria que prometia abrir a “caixa-preta” em operações relacionadas ao grupo J&F, que controla a JBS. Após um ano e dez meses de investigação, o banco divulgou, no fim de dezembro, relatório que não apontou nenhuma evidência direta de corrupção em oito operações com a JBS, o grupo Bertin e a Eldorado Brasil Celulose, realizadas entre 2005 e 2018.

O valor da auditoria foi pago a um escritório estrangeiro, o Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP, que subcontratou outro brasileiro, o Levy & Salomão. A assessoria do BNDES informou que o relatório de oito páginas é um resumo crítico da auditoria e que outro parecer, “mais robusto” foi entregue às autoridades.

A conclusão nos dois documentos é a mesma: as decisões do banco “parecem ter sido tomadas depois de considerados diversos fatores negociais e de sopesados os riscos e potenciais benefícios para o banco”. “Os documentos da época e as entrevistas realizadas não indicaram que as operações tenham sido motivadas por influência indevida sobre o banco, nem por corrupção ou pressão para conceder tratamento preferencial à JBS, à Bertin e à Eldorado”, diz trecho do relatório.

Desde setembro de 2019, o Estadão tenta obter informações com o BNDES sobre o contrato da instituição com o escritório internacional. Num primeiro pedido feito via Lei de Acesso à Informação, o banco chegou a negar que tivesse gasto dinheiro com empresa estrangeira para realização de auditoria.

Em resposta encaminhada à reportagem no dia 9 de setembro de 2019, o banco informou que “todas as auditorias internas realizadas, nos últimos cinco anos (incluindo o primeiro semestre de 2019) foram realizadas por empregados do BNDES admitidos por concurso público, lotados na Unidade de Auditoria Interna Governamental, não tendo sido contratada empresa ou pessoa física terceirizada para este fim”. O contrato do banco com o Cleary Gottlieb Steen & Hamilton LLP, pelo valor de R$ 48 milhões, só veio à tona após a reportagem fazer um recurso junto ao Comitê da Lei de Acesso à Informação do BNDES.

A abertura da “caixa-preta” foi uma das missões conferidas por Jair Bolsonaro ao presidente do BNDES, Gustavo Montezano, que tomou posse em julho, em substituição a Joaquim Levy, primeiro nomeado pelo governo para comandar a instituição. Ele e outros executivos que passaram pelo banco após o fim da gestão Dilma não conseguiram comprovar irregularidades na concessão dos financiamentos.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

olavo - 22-01-2020 16:27:20

https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,presidente-do-bndes-diz-que-auditoria-de-caixa-preta-foi-contratada-em-gestao-anterior,70003168174

Responder

2
0


olavo - 22-01-2020 16:10:44

E AÍ DILMA E TEMER, VCS VÃO DEVOLVER OS 48 MILHÕES DESSA AUDITORIA FAKE NEWS, QUE NO JARGÃO DO MEIO, ISSO É LIMPAR A BARRA DA DIRETORIA INTERNA E DOS FUNCIONÁRIOS COM CARGOS DE CHEFIA... agora só falta a esquerda bobalhona querer dizer que foi bolsonaro isso, bolsonaro aqui, eu li diretamente no site do Estadão dá pra ver como a reportagem, tenda ludibriar o leitor, a achar que foi bolsonaro que pediu e pagou essa auditoria, inclusiva como vemos nas ultimas estrofes, querem jogar a culpa no tal Caixa preta do BNDES, para os esquerdista que vem aqui e leen somente o título da máteria, essa auditoria foi especificamente nos contratos da controladora da JBS(antiga Friboi que depois de comprada pelo Lulinha virou JBS) com o BNDES...sic.

Responder

2
0


Oia - 22-01-2020 15:41:14

Quem vai pagar essa conta? Adivinha... Quem saiu ganhando com essa "consultoria"? Adivinha...

Responder

1
0


3 comentários

coluna popular
Parlamentar é acusado por tráfico de drogas
Grupo protesta contra “Parlamentarismo branco”
Prefeito de Cuiabá tem surpresa positiva
Dedicada aos trabalhos sociais
Audiência pública debate regularização fundiária

Últimas Notícias
26.02.2020 - 18:29
26.02.2020 - 18:10
26.02.2020 - 16:26
26.02.2020 - 15:37
26.02.2020 - 14:56




Informe Publicitário