UEE afirma que se inicia uma era sombria na UFMT  | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 16 de Outubro de 2019

EDUCAÇÃO Quinta-feira, 05 de Setembro de 2019, 11h:01 | - A | + A




Cortes na Educação

UEE afirma que se inicia uma era sombria na UFMT

Universidade anunciou que irá suspender o RU e bolsas de acolhimento para estudantes carentes


redacaomuvuca@gmail.com

 Biblioteca da UFMT | Foto: montagem 

Por meio de nota, a União Estadual dos Estudantes (UEE-MT) afirmou que se inicia uma era sombria na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), após o contingenciamento do Ministério da Educação que levou a reitora da instituição, Myrian Serra, a fazer cortes que irão prejudicar os estudantes.

“No dia 04 de setembro de 2019, inicia uma era sombria na Universidade Federal de Mato Grosso, a magnifica reitora realizou uma reunião com os diretores da universidade informando às medidas que serão tomadas devido ao contingenciamento do MEC. O terceiro corte financeiro anunciado pelo ministro da educação Abrahan Weintraub, cominou com o estrangulamento financeiro da universidade”, declaram na nota.

As medidas emergenciais adotadas pela reitoria a partir de 9 de setembro são: a suspenção do RU, suspensão do ligeirão e as bolsas de acolhimento imediato, esses são alguns dos auxílios imprescindíveis na vida dos estudantes da universidade.

“A União Estadual dos Estudantes do Mato Grosso repudia os cortes que ocorreram na UFMT, é sábio que a comunidade acadêmica oferece serviços de grande valor a sociedade mato-grossense, os cortes irresponsáveis do (des)governo Bolsonaro golpeiam gravemente a autonomia universitária”, afirmou a UEE.

Além disso, enfatizaram que o intuito do presidente Jair Bolsonaro (PSL) é enfraquecer o ensino superior brasileiro, levando o Brasil a um colapso educacional. Os estudantes também criticaram o projeto FUTURA-SE, que é visto por muitos especialistas como uma medida que pretende privatizar as universidades, é uma grande afronta a autonomia das universidades publicas brasileiras.

“A UEE/MT não aceitará retrocessos, não permitiremos o desmonte da coisa pública, do ensino público gratuito, democrático e universal. Convocamos há todas as representações estudantis e de cursos da UFMT a se posicionarem contra esse violento ataque a universidade”, declararam.

Para combater os retrocessos, os estudantes convidam os trabalhadores da educação, os movimentos sociais e a todos os mato-grossenses que se indignam com as medidas tomadas pelo governo Bolsonaro para se manifestarem em 07 de setembro por uma educação pública, gratuita e de qualidade.

Mobilização.jpg

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(12) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Olavo - 05-09-2019 21:50:17

Esses dias passei na ufmt e vi uma faixa escrito "abaixo a ditadura"... Realmente nessa ufmt só forma cabeça de bagre! Esses dia guzzo disse com todas as letras tem que tirar dinheiro das universidades de humanas e alocar no ensino básico e técnico é disso que o Brasil precisa... SIC, agora contagem regressiva pra esquerdalha dar dsslike... Kkkkk

Responder

4
2


josiane - 06-09-2019 09:51:23

Os cabeças de bagre e burrinhos estão nas universidades PARTICULARES....tipo VC OLAVO!!

Responder

1
2


jose a silva - 05-09-2019 15:40:56

Ao menos vai diminuir um pouco a fara que ainda é nos CAMPUS dessa universidade! Muito "filho de papai", fora o que descobriram agora, as falcatruas no FIES! Como bem disse a JOSEANE, quem pode pagar, que pague! Como comprovar? Uai, não tem como comprovar cotas raciais? Comprove que não tem condições de pagar também! Agora, é riquinho em universidades de graça e pobres pagando em particulares, sabe-se a lá a que custo!

Responder

7
2


Olavo - 05-09-2019 21:58:03

Com muito custo amigo eu paguei a minha na Unirondon, trabalhava de dia e estudava a noite, tinha que pegar 4 ônibus e só tinha passe pra três, ou ia a pé do serviço até a faculdade ou ia embora da faculdade pra casa, não mori e me formei, essa turminha não sabe dar valor no que tem! Em vês de estudar de verdade e sério fica fazendo essa balbúrdia...

Responder

5
1


EU - 05-09-2019 15:07:35

ATÉ QUE ENFIM, CHEGA DE CABIDE DE EMPREGO!!!

Responder

6
1


alexandre - 05-09-2019 14:46:45

Ficou sombrio quando a universidade deixou de ser pública, e passou a ser diretório de partido politico...com doutrinação Gramicista.

Responder

7
3


Joseane - 05-09-2019 14:30:42

Faz assim, quem pôde deve pagar , assim sobra verba para outras áreas também para quem não pôde pagar, tem muito rico nas federais

Responder

5
1


Jean - 05-09-2019 14:29:03

Esse é o legado do PT

Responder

5
3


Melck - 05-09-2019 14:28:07

O povo tem o governo que tem

Responder

1
1


Diane - 05-09-2019 14:25:40

Interessante em, os investimentos em educação caíram 56% de 2014 a 2018. As pessoas tem que ser menos partidária para enxergar as coisas

Responder

6
0


Marques - 05-09-2019 14:24:24

Não entendi...porque só ficou sombrio agora?

Responder

4
1


alexandre - 05-09-2019 12:11:44

A UNE representa partido politico, perdeu credibilidade,A receita gerada pela emissão das carteirinhas é a principal fonte de renda das entidades estudantis, que durante este ano protagonizaram alguns dos maiores enfrentamentos ao governo Bolsonaro.

Responder

6
1


12 comentários