Fundada em 1987, rede Droga Chick tem falência decretada pela justiça | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 19 de Outubro de 2020

GERAL II Sexta-feira, 11 de Maio de 2018, 14h:51 | - A | + A




Fundada em 1987, rede Droga Chick tem falência decretada pela justiça

A Primeira Vara Cível Especializada em Recuperação Judicial decretou a falência da rede de farmácias Droga Chick, em Cuiabá. A empresa enfrentava recuperação judicial desde 2015, com dívida estimada em R$ 9,6 milhões. A decisão foi proferida nesta quarta-feira (09). 

Formado por seis lojas distribuídas pela Capital, o grupo Droga Chick atuava no segmento de varejo de remédios desde 1987 e atribuiu sua dívida milionária às dificuldades em disputar mercado com outros empreendimentos. Segundo a companhia, os concorrentes atuam de maneira desleal, vendendo seus produtos abaixo do preço de custo, e inviabilizando a margem de lucro.

A recuperação abrangeu as empresas Drogaria Droga Chick Ltda., Drogasarah Medicamentos Ltda. Epp, Maxmed Medicamento e Perfumaria Ltda. Epp, Chick Prime Drogaria Ltda. Epp, C.H.K. Drogaria Ltda.-ME e DJ Drogaria Ltda.-ME.
 

A recuperação judicial era medida tomada para evitar a falência da empresa e quitar as dívidas. Pedida quando a corporação perde a capacidade de pagar suas dívidas, ela serve como meio para reorganização dos negócios. Entretanto, conforme os autos, a empresa decidiu desistir do processo.

“As razões que nos levaram a tal decisão foram exclusivamente de ordem econômica, e apesar dos esforços empreendidos, assim como a solidez conquistada desde a origem, não foram suficientes para afastar a crise econômico financeira derivadas do custo crescente de encargos sem que pudéssemos repassá-los aos preços praticados”, diz trecho do comunicado.

"O administrador judicial noticiou ao Juízo que as recuperandas, por intermédio de 'comunicado público' (paragrafo acima), datado do dia 13/04/2018, e afixado nas portas das empresas do grupo, encerraram suas atividades por razões 'exclusivamente de ordem econômica', haja vista que a despeito da 'solidez conquistada' desde sua constituição, os esforços empreendidos não foram suficientes para afastar a crise econômico financeira", consta dos autos.

Ocorre que "as devedoras, após a homologação do plano de recuperação judicial, não conseguiram dar continuidade a sua atividade empresarial e, ao invés de vir a Juízo pedir sua autofalência, optaram, por vias indiretas, reconhecer seu estado falimentar, fechando suas portas, comunicando por intermédio de anúncio afixado na porta das empresas, o encerramento das atividades".

  •  

Assim, determina a justiça: que se oficie ao Registro Público de Empresas (JUCEMAT), solicitando que proceda à anotação da decretação da falência no registro dos devedores, para que conste a expressão “FALIDA”, a data da decretação da falência e a inabilitação de que trata o art. 102 da Lei n. 11.101/2005 (LRF - art. 99, inciso VIII).

Ainda, ao Administrador Judicial a responsabilidade sobre os bens, documentos e livros (art. 110), bem como a avaliação dos bens, que ficarão eles sob sua guarda e responsabilidade (art. 108, § 1º), comunicando a decretação da falência e a indisponibilidade de eventuais recursos financeiros existentes.

Caberá ao administrador judicial também promover meios para a alienação dos bens, por uma das formas previstas no artigo 140, da Lei n.º 11.101/2005, observada a ordem de preferência; devendo a venda ocorrer por determinação do juízo.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Racha no grupo de Pivetta
Luto em VG
Evento on-line
Vice-governador pode ser expulso do partido
Nem aí para os professores

Últimas Notícias
19.10.2020 - 19:00
19.10.2020 - 18:29
19.10.2020 - 17:51
19.10.2020 - 16:47
19.10.2020 - 15:38


Muvuca (PL)

Adevair Cabral (PTB)

Chico 2000 (PL)

Misael Galvão (PTB)

Ricardo Lobo (PL)

Aladir (PL)

Sargento Joelson (SD)

Juca do Guaraná (MDB)

Luluca Ribeiro (MDB)

Macrean

Renivaldo Nascimento

Toninho de Souza

Edna Sampaio (PT)

Robson Cireia (PT)

Ricardo Saad

Oseas Machado (MDB)

Rogério Varanda

Alex Ribeiro (PP)

Maurélio (PSDB)

Dudu Santos

Marcelo Bussiki

Vinícyus Clovito

Diego Guimarães

Mário Nadaf

Marcos Veloso

Gisele Almeida

Orival do Farmácia

Wilson Kero-Kero

Dr. Xavier

Justino Malheiros

Zidiel Coutinho

Sargento Vidal

Dídimo Vovô

Clebinho Borges

Júlio da Power

Jamilson Moura

Emídio de Souza (PSL)

Adalberto Cavalcanti

Ricardinho

Kako do CPA

Dilemário Alencar

Max Campos (PSB)

Cezinha Nascimento

Edienes Hadassa

Dr Luiz Fernando

PF Rafael Ranalli

Gabriel Henrique

Itamar Jefferson (PL)

Cristiano Paraqueda

Sebastião Moraes

Daniel

Justino Campos

Rafael "Faré"

Darley Gonçalves

Osmar Rodrigues "Chefinho"

Elenir Pereira

Prof.instrutor Joaquim Neto

Diogo Fernandes

Ade Silva

Sargento Ozeni

Dito Paulo

Paulo Macedo

Luiz BA

Professor Frankes

Paulo da VGDI

Valdemir MM

Weto Salgado

Dr. Daúde

Bob Medina

Wagner Vinícius

Luis Carlos

Carlos Henrique do Correio

Adv Cris

Elenir Pereira

Zé Carlos

Luis Cláudio

Huelton Souza

Rosenil Luiz (Canelinha de pacu) (PL)

Sargento Ozeni

Luiz Poção (PL)

Edilson Odilon (PL)

Paulinho CPA

Germânio Araújo

Chico do Leblon

Delegado Garcia

Renato Anselmo

Cleber Adôrno

Doidinhoducorte

Neno do Pascoal Ramos

Prof. Jorginho

Itamar Carvalho

Sidney de Souza

Marquinhos Carioca

Renato Anselmo

Pablo Queiroz

Pastor Jeferson

Paulo do Carmo

Vinícius Pardi

Aroldo Telles

Marcus Brito Jr.

Elzio Xaulin

Ledevino Conceição

Elias Santos

Edmilson Carmo

Gato Louco

Nilda Tosca



Informe Publicitário