Empresa é contratada para fazer estudo da viabilidade econômica do VLT e do BRT em MT | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020

GERAL Terça-feira, 26 de Novembro de 2019, 10h:32 | - A | + A




Empresa é contratada para fazer estudo da viabilidade econômica do VLT e do BRT em MT

Foto: Gcom-MT

vlrt.jpg

 

Uma empresa de consultoria ganhou uma licitação para o estudo de viabilidade econômico-financeira de continuidade das obras do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), na Grande Cuiabá, que estão paradas desde 2014. O resultado da licitação foi divulgado no Diário Oficial do Estado, que circula nesta terça-feira (26).

Pelo valor de R$ 464,3 mil, a empresa deve elaborar e apresentar no prazo de 90 dias um relatório sobre a retomada do VLT e a viabilidade de construção do BRT (Buss Rapid Transit) - que consiste em corredores exclusivos para a circulação de ônibus coletivos.

A empresa Oficina Engenheiros Associados fez uma proposta 35,6% menor que o valor de referência, de R$ 721 mil.

De acordo com a Secretaria Estadual de Infraestrutura (Sinfra), em cinco dias, o secretário da pasta, Marcelo Duarte, irá homologar o resultado da licitação, declarando a empresa vencedora.

A consultoria deve apresentar uma proposta de integração do transporte da Região Metropolitana do Vale do Rio Cuiabá.

Obra do VLT está parada desde dezembro de 2014 e vagões estão parados — Foto: Mayke Toscano/Gcom-MTObra do VLT está parada desde dezembro de 2014 e vagões estão parados — Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT
Obra do VLT está parada desde dezembro de 2014 e vagões estão parados — Foto: Mayke Toscano/Gcom-MT

Outro estudo
Paralelamente a essa consultoria, está sendo feito um estudo técnico sobre a viabilidade ou não do VLT. O estudo está sendo feito por um Grupo de Trabalho composto por vários órgãos, e comandado pela secretaria Nacional de Mobilidade Urbana, vinculada ao Ministério de Desenvolvimento Regional.

O grupo de trabalho foi montado em julho deste ano, após reuniões feitas em Brasília entre os governos estadual e federal.

A comissão é composta pelos secretários Marcelo Oliveira, de Infraestrutura e Logística; Rogério Gallo, de Fazenda; Emerson Hideki Hayashida, da Controladoria Geral; Carlos Fávaro, do Escritório de Representações e o procurador Lucas Schiwinden Dallamico, como representante da Procuradoria Geral do Estado.

O VLT
O VLT começou a ser construído em 2012 pelo consórcio VLT Cuiabá Várzea Grande, com um custo inicial de R$ 1,4 bilhão. O prazo de entrega era 13 de março de 2014, para facilitar a mobilidade dos turistas durante a Copa do Mundo de 2014, já que Cuiabá foi uma das sedes do mundial, e até a presente data não foi terminado.

Em 2009, quando Cuiabá foi escolhida para ser uma das sedes da Copa, a decisão do governo era para que o modal de transporte a ser utilizado era o BRT (Bus Rapid Transit), com o custo de R$ 400 milhões a época.

Foi em 2012 que o governo federal autorizou a troca do modal, que Mato Grosso optou pelo VLT, com recursos da Caixa Econômica Federal e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A obra do VLT foi projetada para ter uma extensão de 22 quilômetros, com dois itinerários. Segundo o projeto, o primeiro trecho ligaria o Aeroporto Marechal Rondon até a Avenida Rubens de Mendonça. O segundo trecho sairia da Avenida Tenente Coronel Duarte até a região do Coxipó.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Luto
Forças na ALMT
Oportunidade
Conselheiro do TCE
Eleições 2020

Últimas Notícias
03.08.2020 - 11:02
03.08.2020 - 10:06
03.08.2020 - 09:53
03.08.2020 - 09:22
03.08.2020 - 08:54




Informe Publicitário