Igreja Batista Getsemâni

‘Ministro vai ter que explicar porque quer destruir a universidade pública’, afirma Rosa Neide

Abraham Weintraub foi convocado a prestar esclarecimentos no plenário da Câmara dos Deputados sobre os cortes na educação

João Negrão, para o Muvuca Popular
De Brasília (Agência RBC News)

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi convocado a prestar esclarecimentos no plenário da Câmara dos Deputados, em sessão deliberativa da tarde de terça-feira (14), para prestar esclarecimentos sobre bloqueios no orçamento de sua pasta. O ministro terá que comparecer nesta quarta-feira (15), dia da greve nacional dos trabalhadores na educação. A convocação foi aprovada por 307 votos. Votaram contra 82, que compõe o PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, e o Partido Novo, que foram os únicos que orientaram suas bancadas aos votos contrários.

“O ministro não está sendo convidado. Ele está sendo convocado a explicar a esta Casa porque, de uma hora para outra, resolveu destruir as universidades públicas do Brasil e os institutos federais, fazendo um corte linear de 30% dos recursos, sem conversar com os reitores, sem planejamento, deixando o segundo semestre totalmente descoberto das ações principais que as instituições desenvolvem no interior de seus campi”, afirmou a deputada federal Professora Rosa Neide (PT).

A parlamentar mato-grossense falou ainda sobre a mobilização dos professores para esta quarta-feira. Segundo ela, os profissionais da rede pública receberam a adesão dos da rede privada, porque, como celetistas, serão duplamente afetados pela reforma da Previdência. Lembrando que, inicialmente, a greve da categoria foi convocada com a reforma. Mas, no meio do caminho, surgiram os cortes na Educação e o movimento se ampliou, inclusive com a adesão dos estudantes.

Weintraub já estava convocado para comparecer nesta quarta-feira a audiência pública na Comissão de Educação da Câmara. Com base nisto, o líder do governo na Câmara, deputado Major Vítor Hugo (PSL-GO), e a líder do Governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), argumentaram que não seria necessária a convocação para o plenário do Câmara, que neste caso se transforma em Comissão Geral, justamente para debater temas fora de suas pautas deliberativas.

O requerimento da convocação de autoria do deputado Orlando Silva (PCdoB-SP). “É uma oportunidade para que o povo brasileiro perceba que a Câmara dos Deputados está sensível ao clamor da sociedade, já que amanhã as ruas serão ocupadas por gente preocupada com a cultura e a educação. O ministro vai explicar o corte de 30% das universidades e institutos federais”, comentou o parlamentar comunista.

Confira no vídeo abaixo a entrevista com a deputada Rosa Neide:


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://www.muvucapopular.com.br