Igreja Batista Getsemâni

Com ausência de propostas, Barbudo quer proibir o consumo de "carne de soja"

Parlamentar acredita que associar o termo “carne” a produtos vegetarianos pode confundir consumidores

Redação Muvuca Popular
redacaomuvucapopular@gmail.com

O deputado federal, Nelson Barbudo (PSL), protocolou na última terça-feira (14), um Projeto de Lei (PL) um tanto quanto inusitado. A PL 2876/2019 do presidente do PSL-MT, serve como um reflexo interessante, a respeito do trabalho que ele tem exercido na Câmara Federal.  A proposta consiste basicamente em proibir que o termo “carne” seja associado a produtos que não sejam de origem animal.

A justificativa do deputado, é que associar a palavra “carne” a embalagens, rótulos e publicidade de alimentos de Proteínas Texturizada de Soja (PTS) pode confundir a população na hora da compra.

“O presente Projeto de Lei tem por escopo evitar essa grande confusão que permeia o mercado no que se refere à palavra “carne”, que vem sendo utilizada não apenas aos tecidos comestíveis de espécies de açougue (notadamente bovinos, suínos e aves)”, consta no documento protocolado.

Além disso, o deputado enfatizou que o uso de nomes que associam comidas de origem vegetal à carne, de certa forma “enganam” os consumidores. Segundo Nelson, eles podem consumir o produto acreditando que irão usufruir do mesmo valor nutricional fornecido pelo alimento de origem animal.

“O consumidor é induzido a crer que, ao adquirir um produto de origem vegetal, está ingerindo alimento similar à carne quando, na verdade, está ingerindo extratos, polpas de frutas e etc., que não possuem o mesmo caráter nutricional”, justifica.

Para sua proposta, Barbudo se espelhou em uma decisão da Assembleia Nacional Francesa, que optou a proibição de “termos associados a produtos de origem animal para comercializar alimentos contendo uma proporção significativa de materiais à base de plantas”.

Veja o documento na íntegra:

PL 2876/2019 


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://www.muvucapopular.com.br