Igreja Batista Getsemâni

Professores terão que provar que não participaram da greve para receber salário

No mínimo dois professores afirmam estarem sendo impedidos de darem aula

Redação Muvuca Popular
redacaomuvuca@gmail.com

 

O governo do Estado avisou que os profissionais da Educação que não aderiram à greve da categoria, que foi iniciada em 27 de maio, terão que provar que estavam em desacordo com a paralisação e foram impedidos de trabalhar para não terem os salários descontados.

Pelo menos dois professores da Escola Estadual Marcelina de Campos, situada no bairro Jardim Santa Amália, em Cuiabá, registraram boletim de ocorrência para comprovar que estavam dispostos a trabalhar, mas foram impedidos.

De acordo com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), casos assim devem ser informados à Assessoria Pedagógica que atende à unidade escolar.

Mesmo após o anúncio do corte de ponto, os profissionais da Educação decidiram em conjunto, em assembleias gerais e nas sub-sedes, que a greve continua por tempo indeterminado.

O governador Mauro Mendes (DEM) afirma que é inviável para o Estado conceder o aumento de 7,9% que é reivindicado pelos profissionais. De acordo com o governo, até o início desta semana, 35 escolas estaduais concordaram com a decisão de voltar às atividades.

O estado de Mato Grosso possui cerca de 700 unidades de ensino e o sindicato afirma que o corte de salários não enfraquece o movimento grevista.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://www.muvucapopular.com.br