Igreja Batista Getsemâni

Acusado de crimes sexuais, ex-assessor de imprensa do MBL é solto pela Justiça

Leonardo Heitor Miranda Araújo não será submetido ao uso de tornozeleira eletrônica

Redação Muvuca Popular
redacaomuvuca@gmail.com

Reprodução

Reprodução

Reprodução

Leonardo Heitor Miranda Araujo

Acusado de importunar diariamente mulheres com mensagens de cunho sexual pelo aplicativo Whatsapp, o jornalista Leonardo Heitor Miranda conseguiu ter a prisão preventiva revogada pela Justiça na tarde desta quarta-feira (26).

A liberdade foi concedida pela juíza da 2ª Vara de Violência Doméstica, Tatiane Colombo. A magistrada ainda dispensou o jornalista de ser submetido a medidas cautelares como o monitoramento de tornozeleira eletrônica.

Leonardo Heitor foi preso no dia 25 de novembro de 2019 quando desembarcava no Aeroporto Marechal Rondon em razão de uma viagem feita a Bahia.

Na época, o mandado de prisão foi expedido em razão de descumprimento de medida protetiva, uma vez que, devia manter distância de 1 mil metros de distância de uma mulher que o acusou de estupro, mas ainda assim compareceu ao prédio onde a jornalista trabalhava, o que foi entendido como ameaça.

Inicialmente, pesava uma denúncia de estupro de vulnerável contra Leonardo Heitor, que foi arquivada pelo Ministério Público Estadual (MPE) por entender que não havia provas suficientes para denunciá-lo. Ainda assim, o jornalista deverá responder a cinco ações penais por importunação sexual.

Leonardo Heitor ainda responde a processos no Estado do Espírito Santo, onde é acusado por 10 mulheres de importunação sexual.

Após trabalhar na imprensa nacional, e em assessorias de imprensa em Brasília, Leonardo Heitor desembarcou em Cuiabá e trabalhou na assessoria de imprensa do deputado estadual Ulysses Moraes (DC) na Assembleia Legislativa, onde veio a ser demitido após um grupo de jornalistas se organizar para denunciá-lo na Delegacia da Mulher em Cuiabá.

Enquanto trabalhou com o deputado Ulysses Moraes, o jornalista ainda encaminhava nas redações material do MBL (Movimento Brasil Livre) do qual o parlamentar fazia parte.

Histórico de crimes sexuais

Enquanto trabalhou na imprensa de Cuiabá, Leonardo Heitor costumava dizer as mulheres que abordava que tinha um pênis de 24 centímetros.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://www.muvucapopular.com.br