Igreja Batista Getsemâni

“A UFMT superou muitos desafios”, diz reitor sobre retomada das aulas de forma virtual

Evandro Soares apoiou a retomada das atividades acadêmicas por EaD

Redação Muvuca Popular
redacaomuvuca@gmail.com

Evandro Aparecido Soares Silva 2.jpg

Foto: Reprodução

O atual reitor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Evandro Soares, divulgou um artigo neste sábado (8), defendendo a decisão adotada pela Instituição em retomar as atividades acadêmicas de forma virtual.

De acordo com o professor, a escolha pela flexibilização de ensino, fez com que a UFMT superasse os desafios trazidos pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19) em Mato Grosso.

“Foram muitas reuniões em conselhos superiores, discussões de projetos iniciativas e resoluções, em que muitas adversidades foram superadas. E, mesmo com esse cenário desafiador, o retorno por meio digital é fundamental para os estudantes da UFMT, já que não sabemos quanto tempo ainda durará a pandemia da Covid-19 e o retorno, é uma forma de minimizar os danos causados no ensino, na pesquisa e na extensão da principal instituição de ensino do Estado”, escreveu.

Além disso, Evandro garantiu que o ensino e, muito menos os profissionais serão prejudicados, visto que, a UFMT é pioneira no Ensino à Distância.

“Para minimizar as dificuldades, a UFMT disponibilizou capacitação para discentes que iniciarão aulas remotas neste período suplementar sobre introdução a ambientes virtuais de aprendizagem, além de guias para orientação de discentes, docentes e coordenadores de curso com informações sobre a flexibilização na UFMT para facilitar a utilização dos meios digitais para aprendizagem e auxílios para estudantes em situação de vulnerabilidade econômica. A UFMT é pioneira na modalidade de educação à distância no Brasil e está se preparando ainda mais para atender a todos no difícil cenário que estudantes e professores estão passando”, declarou.

Confira na íntegra:

"UFMT supera desafios e retoma suas atividades de forma virtual

O avanço da pandemia da Covid-19 tem trazido grandes impactos na vida de todos os brasileiros. Muitas atividades tiveram que ser interrompidas e uma delas foi as aulas presenciais nas universidades públicas de ensino. A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) conta hoje com cerca de 17 mil alunos matriculados nos cursos de Graduação e Pós-graduação, que não podem retornar às aulas presenciais para não comprometer a saúde e a segurança de cada um deles, dos professores, técnicos e outros colaboradores que atuam dentro da universidade. Mesmo em meio a adversidades da pandemia, a UFMT decidiu pela retomada das atividades acadêmicas na graduação de forma digital, que estava com calendário suspenso desde março, e mantém a regularidade de oferta na Pós-graduação, Educação a Distância, extensão e pesquisa.

Segundo o painel de monitoramento das Instituições Federais, de 69 universidades federais – com um montante de 1.123.691 discentes – 44 instituições estão com atividades suspensas. Um dado preocupante quando apenas 36% das universidades federais tem desenvolvido atividades por meio de Tecnologias da Informação e da Comunicação (TICs) ou ensino remoto. Para minimizar as dificuldades, a UFMT disponibilizou capacitação para discentes que iniciarão aulas remotas neste período suplementar sobre introdução a ambientes virtuais de aprendizagem, além de guias para orientação de discentes, docentes e coordenadores de curso com informações sobre a flexibilização na UFMT para facilitar a utilização dos meios digitais para aprendizagem e auxílios para estudantes em situação de vulnerabilidade econômica. A UFMT é pioneira na modalidade de educação à distância no Brasil e está se preparando ainda mais para atender a todos no difícil cenário que estudantes e professores estão passando.

Um dos primeiros desafios foi preparar a comunidade docente para o trabalho com as TICs. Em menos de um mês, a UFMT conseguiu reunir a experiência técnico-científica de professores das diversas faculdades e institutos – especialistas em comunicação, educação, tecnologias e organizar uma formação on-line promovendo condições para imersão de aproximadamente 1.400 docentes em Ambientes Virtuais de Aprendizagem.

Foi necessário atender também a reivindicação de estudantes na perspectiva da inclusão digital, já que muitos não possuem equipamentos ou acesso diário a internet. A UFMT lançou de imediato 02 editais contemplando a inclusão digital dos estudantes da universidade, o primeiro com 2.000 vagas para estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômicas, visando apoiar o acesso à internet, e o segundo edital, para apoio a aquisição ou locação de equipamentos (estudantes vulneráveis e deficientes) com valores que variam de R$ 800,00 a R$ 1.500 reais. Além disso, a UFMT também investiu esforços na preparação de cursos on-line para a formação de estudantes para processos de educação por meio digital.

Para que fosse possível dar continuidade as atividades em forma remota, a administração da UFMT precisou agir com responsabilidade. Afinal, sem garantias mínimas de condições solicitadas pela comunidade universitária não era possível empreender tais iniciativas. Isso exigiu da administração superior da UFMT grande capacidade de negociação com toda a comunidade universitária.

Foram muitas reuniões em conselhos superiores, discussões de projetos iniciativas e resoluções, em que muitas adversidades foram superadas. E, mesmo com esse cenário desafiador, o retorno por meio digital é fundamental para os estudantes da UFMT, já que não sabemos quanto tempo ainda durará a pandemia da Covid-19 e o retorno, é uma forma de minimizar os danos causados no ensino, na pesquisa e na extensão da principal instituição de ensino do Estado. A pandemia fortaleceu a percepção de todo o mundo sobre a necessidade e a importância da ciência para o combate a Covid-19 e a propor novas soluções possíveis é o melhor a se fazer agora.

Evandro Aparecido Soares Silva

Atual reitor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Graduado em Engenharia Elétrica pela UFMT, com mestrado e doutorado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). É Professor Associado da Faculdade de Arquitetura, Engenharia e Tecnologia, no Departamento de Engenharia Elétrica, câmpus de Cuiabá, da UFMT. Já ocupou os cargos de coordenador do curso de graduação em Engenharia Elétrica e de vice-reitor, com atuação no Colegiado do curso de Engenharia Elétrica e nos Conselhos Diretor, Universitário (Consuni) e Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe)."


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://www.muvucapopular.com.br