Igreja Batista Getsemâni

Emanuel diz que é mais fácil Papa renunciar do que ele desistir de reeleição

Prefeito negou suposições de recuo em sua candidatura

Matheus Maurício
redacaomuvuca@gmail.com

emanuel certo .jpg

Foto: Reprodução

Durante uma coletiva de imprensa virtual, realizada na tarde desta quarta-feira (23), o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), garantiu que em hipótese alguma deixará de se candidatar à reeleição para o comando do Alencastro. O gestor negou as suposições de que desistiria do pleito e ainda afirmou que seria um sonho de seus adversários.

“Sonho de verão dos nossos adversários, mas um sonho de verão que não irá ocorrer. É mais fácil o Papa Francisco renunciar ao pontificado, do que eu renunciar a candidatura à reeleição à prefeitura da terra que eu tanto amo, e que eu nasci”, pontou.

Em relação à crítica feita por seu colega de partido, deputado federal Carlos Bezerra (MDB), onde disse a Emanuel que seria “ganância” lançar seu filho Emanuelzinho (PTB) como candidato a prefeito de Várzea Grande, Pinheiro reitera que está fazendo sua escolha de apoiá-lo, mas que não tem pautado o “coronelismo” em seu mandato.

“Tenho um respeito fraterno pelo nosso presidente do partido (...) mas nesse ponto ele foi injusto, primeiro porque não existe no meu histórico político qualquer perfil de ganância, arrogância ou de coronelismo”, ressaltou.

O prefeito ainda citou que seu filho é detentor de suas escolhas e decisões, que não são pautadas por aquilo que ele quer, assim como a sigla (PTB) definiu que Emanuelzinho seria a melhor pessoa para a disputa do pleito pela Cidade Industrial.

“O Emanuelzinho tem direito de construir e fazer seus projetos sozinho (...) que direito um pai tem de podar o sonho de um filho, eu não imponho Emanuelzinho a ser candidato e nem a tirar a sua candidatura”, apontou.

Pinheiro ainda reiterou que entende as críticas feitas pelos correligionários de seu partido, que não teriam achado correta a candidatura de seu filho, já que teriam assim duas simultâneas entre Cuiabá e VG. Quanto a isso, Emanuel pontou que já conversou com a maioria e eles “entenderam” sua posição frente ao exposto.

“Já conversei com todos praticamente e maioria deles entendeu. Hoje, claro, apoiam o Kalil em Várzea Grande e apoiam o Emanuel em Cuiabá. Eles viram que não tem nada a ver comigo essa decisão, é um direito que o Emanuzelzinho e o PTB têm de construir o seu projeto. É uma estratégia política do partido que eu não tenho direito de tolir”, finalizou.


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://www.muvucapopular.com.br