Igreja Batista Getsemâni

"Barões do agro" são alvos de críticas por ‘cruzarem os braços’ para a pandemia

Ex-presidente da AL fez críticas ao grupo por falta de ações

Redação Muvuca Popular
redacaomuvuca@gmail.com

 

Para o primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, o deputado Eduardo Botelho (DEM), os "barões do agronegócio" continuam acumulando riquezas enquanto microempresários e famílias enfrentam situação de vulnerabilidade econômica no Estado por conta da pandemia do novo coronavírus, a Covid-19.

Durante sessão plenária desta segunda-feira (5), o parlamentar criticou empresários do setor por cruzarem os braços em meio ao avanço da doença no estado.

"É preciso fazer um chamamento dos grandes dos empresários, especialmente do agronegócio. Estamos vivendo a seguinte situação: quem está sofrendo hoje são os comerciantes e o setor de eventos, que estão pagando por todos. Se eles estão fechados, é para o bem de todos, não é? Ora, então é justo que todos paguem essa conta", disparou.

O parlamentar seguiu dizendo que os latifundiários e grandes produtores de commodities (soja, milho, algodão, carne e etc) ignoram as questões sociais do Estado, mas são "os caras" no momento de fazer politicagem. Apesar de não citar nomes, a crítica foi direcionada aos empresários Eraí e Blairo Maggi, que nas eleições de 2020 apoiaram a candidatura do senador eleitor Carlos Fávaro (PSD).

"Enquanto uns pagam a conta, outros estão nadando no berço esplêndido. Na hora que reúnem para escolher um candidato a senador, eles são bons, levantam dinheiro, recursos e são os caras. Quem eles apoiam elege mesmo. Agora, não é hora deles virem a frente e fazer uma grande campanha para arrecadar recursos para ajudar os pequenos e as pessoas que passam fome?", questionou o democrata.

Botelho ainda apelou ao presidente do Observatório Socioeconômico da Assembleia, Carlos Avallone (PSDB), que inicie o diálogo com os comandantes do setor produtivo. "Peço que convoquem essas pessoas para iniciarmos um grande debate contra a fome em Mato Grosso".


Fonte: MUVUCA POPULAR

Visite o website: https://www.muvucapopular.com.br