Mais de 100 famílias são afetadas por incêndios que destruíram 11,4 mil hectares de terras indígenas em MT | MUVUCA POPULAR

Domingo, 25 de Outubro de 2020

MATO GROSSO Terça-feira, 15 de Setembro de 2020, 13h:54 | - A | + A




Incêndio em aldeias

Mais de 100 famílias são afetadas por incêndios que destruíram 11,4 mil hectares de terras indígenas em MT

whatsapp-image-2020-09-14-at-09.01.59-1-.jpeg

 

Os incêndios e a falta de estrutura para combate do fogo ameaçam mais de 100 famílias indígenas no Pantanal mato-grossense. De janeiro a agosto, foram detectados 148 focos de calor em terras indígenas no bioma.

O mês de agosto, em que a alta incidência de ventos na região aumenta o risco da propagação dos incêndios, concentrou 81% das ocorrências.

A Terra Indígena Perigara, a mais impactada pelas queimadas neste ano em todo o estado, teve 8,1 mil hectares consumidos pelos incêndios, o que representa mais de 75% de seu território.

A área equivale a mais de oito mil campos de futebol em extensão atingida pelo fogo que destrói alimentos e remédios naturais e coloca em risco as moradias dos indígenas na região.

Cerca de 35 famílias do povo bororo que vivem na TI Perigaga foram afetadas.

Na Terra Indígena Baía dos Guató, homologada em 2018 e uma das três atingidas pelos incêndios, cerca de 80 famílias do povo guató estão hoje ameaçadas pelo fogo que avança sobre o Pantanal.

Já a Terra Indígena Tereza Cristina perdeu 12% de área para o fogo, que atingiu 3,3 mil hectares.

As TIs Perigara e Baía dos Guatós estão localizadas no município de Barão do Melgaço, que figura como segundo município mais atingido pelo fogo no estado, com 123,6 mil hectares incendiados, atrás apenas de Poconé, líder em queimadas em todo o estado, com 312 mil hectares impactados.

Os dados são da pesquisa “Caracterização das áreas atingidas por incêndios em Mato Grosso” do Instituto Centro de Vida (ICV) que analisou informações disponibilizadas pela Global Fire Emissions Database da NASA e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

O estudo combina focos de calor e interpretação de imagens de satélite para estimar as áreas atingidas pelos incêndios no período de janeiro ao dia 17 de agosto.

A área destruída deve ser ainda maior até o fim do período de seca. É o que aponta o Monitor de Queimadas do ICV, que acompanha os números de focos de calor no estado.

Os dados representam um aumento significativo para as TIs no bioma. Em 2019, a categoria somou cinco ocorrências no mesmo período e, em 2018, não contabilizou nenhuma.

Nas três TIs impactadas, a Baía dos Guatós lidera a lista com 89 focos, seguida da TI Perigara com 48, e da TI Tereza Cristina com 11.

De acordo com Soilo Urupe Chue, assessor da Federação dos Povos e Organizações Indígenas de Mato Grosso (FEPOIMT), nenhuma das terras indígenas atingidas pelo fogo no Pantanal conta com brigadistas indígenas ou equipamentos.

Isso preocupa as aldeias, já que as casas são de palha e podem pegar fogo muito rápido.

Uma outra preocupação dos indígenas guató é a mortandade dos peixes que a sujeira dos incêndios pode causar na época da cheia. Como o peixe é a principal base alimentar, eles estão apreensivos.

Risco à saúde acentuado
Além dos riscos às moradias e aos cultivos de subsistência das aldeias, as queimadas ainda agravam a situação de vulnerabilidade acentuada vivida pelos indígenas durante a pandemia do novo coronavírus.

A fumaça pode causar ou agravar doenças respiratórias, consideradas de risco com a incidência do vírus.

Até o dia 2 de setembro, Barão do Melgaço contabilizou 97 casos confirmados de coronavírus e quatro óbitos. Poconé, município que abarca pequena parte do território da Baía dos Guatós, registrou 514 casos confirmados e 21 óbitos. Os dados são do Boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

O acesso a TI Baía dos Guatós é limitado pelas vias fluviais, o que dificulta o serviço dos agentes do Distrito Sanitário de Saúde Indígena (DSEI) Cuiabá.

Alessandra relata que o posto de saúde da TI está em condições precárias – foi construído de forma provisória e não tem energia elétrica. Hoje, conta com apenas dois técnicos de enfermagem contratados pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI).

 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Era servidora municipal
Sem chance
Corrida ao Senado
Desmandos, assedio moral e denúncias
Live marcada para domingo

Últimas Notícias
24.10.2020 - 18:19
24.10.2020 - 18:04
24.10.2020 - 15:13
24.10.2020 - 13:01
24.10.2020 - 12:23


Muvuca (PL)

Adevair Cabral (PTB)

Chico 2000 (PL)

Misael Galvão (PTB)

Ricardo Lobo (PL)

Aladir (PL)

Sargento Joelson (SD)

Juca do Guaraná (MDB)

Luluca Ribeiro (MDB)

Macrean

Renivaldo Nascimento

Toninho de Souza

Edna Sampaio (PT)

Robson Cireia (PT)

Ricardo Saad

Oseas Machado (MDB)

Rogério Varanda

Alex Ribeiro (PP)

Maurélio (PSDB)

Dudu Santos

Marcelo Bussiki

Vinícyus Clovito

Diego Guimarães

Mário Nadaf

Marcos Veloso

Gisele Almeida

Orival do Farmácia

Wilson Kero-Kero

Dr. Xavier

Justino Malheiros

Zidiel Coutinho

Sargento Vidal

Dídimo Vovô

Clebinho Borges

Júlio da Power

Jamilson Moura

Emídio de Souza (PSL)

Adalberto Cavalcanti

Ricardinho

Kako do CPA

Dilemário Alencar

Max Campos (PSB)

Cezinha Nascimento

Edienes Hadassa

Dr Luiz Fernando

PF Rafael Ranalli

Gabriel Henrique

Itamar Jefferson (PL)

Cristiano Paraqueda

Sebastião Moraes

Daniel

Justino Campos

Rafael "Faré"

Darley Gonçalves

Osmar Rodrigues "Chefinho"

Elenir Pereira

Prof.instrutor Joaquim Neto

Diogo Fernandes

Ade Silva

Sargento Ozeni

Dito Paulo

Paulo Macedo

Luiz BA

Professor Frankes

Paulo da VGDI

Valdemir MM

Weto Salgado

Dr. Daúde

Bob Medina

Wagner Vinícius

Luis Carlos

Carlos Henrique do Correio

Adv Cris

Elenir Pereira

Zé Carlos

Luis Cláudio

Huelton Souza

Rosenil Luiz (Canelinha de pacu) (PL)

Sargento Ozeni

Luiz Poção (PL)

Edilson Odilon (PL)

Paulinho CPA

Germânio Araújo

Chico do Leblon

Delegado Garcia

Renato Anselmo

Cleber Adôrno

Doidinhoducorte

Neno do Pascoal Ramos

Prof. Jorginho

Itamar Carvalho

Sidney de Souza

Marquinhos Carioca

Renato Anselmo

Pablo Queiroz

Pastor Jeferson

Paulo do Carmo

Vinícius Pardi

Aroldo Telles

Marcus Brito Jr.

Elzio Xaulin

Ledevino Conceição

Elias Santos

Edmilson Carmo

Gato Louco

Nilda Tosca



Informe Publicitário