Mulher acusada de matar o marido e enrolar corpo em tapete da sala passa por júri popular  | MUVUCA POPULAR

Terça-feira, 02 de Junho de 2020

MATO GROSSO Segunda-feira, 10 de Fevereiro de 2020, 14h:51 | - A | + A




POLÍCIA

Mulher acusada de matar o marido e enrolar corpo em tapete da sala passa por júri popular

Raimunda Ferreira Seriano, de 50 anos, passa por júri popular nesta segunda-feira (10), acusada de ter assassinado o marido em junho de 2018, em Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá.

Os advogados de Raimunda, Thiago Rannieri e Renato Henrique Carneiro afirmaram que não há provas de que ela seja a assassina.

“Ela foi denunciada por duas testemunhas apenas. Não há prova nenhuma no processo, não há quebra de sigilo telefônico, digitais no local do crime”, disse Renato.

 
O corpo de Paulo Sérgio foi encontrado com os pés e as mãos amarrados e enrolado no tapete da sala na casa dele, em Rondonópolis — Foto: TV Centro AméricaO corpo de Paulo Sérgio foi encontrado com os pés e as mãos amarrados e enrolado no tapete da sala na casa dele, em Rondonópolis — Foto: TV Centro América

O corpo de Paulo Sérgio foi encontrado com os pés e as mãos amarrados e enrolado no tapete da sala na casa dele, em Rondonópolis — Foto: TV Centro América

O corpo do missionário Paulo Sérgio Soares Seriano, de 49 anos, foi encontrado em uma casa, no Bairro Jardim Liberdade.

 

Paulo pregava em uma igreja evangélica no Bairro Jardim Buriti.

Ele teria sido asfixiado com a própria gravata. A principal suspeita, segundo a polícia, é a mulher da vítima. Ela teria confessado o crime ao genro dela.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Rodrigo - 19-02-2020 19:03:24

Mais uma vítima de masculinicidio. Não há lei que proteja o homem de uma assassina. Se este homem pedisse uma medida protetiva nenhuma autoridade policial lhe daria. Já uma mulher, basta criar uma história triste e a medida sai em 48h, de forma inconstitucional, pois não há investigação e o acusado não é chamado para se defender. O juiz lê um texto de poucas linha de defere a medida protetiva. Mas como assim? Simples. Ele tem poucas horas para decidir e caso seja verdade a acusação e a mulher sofrer algo se torna réu. Com isso ele prefere acatar pois pode se comprometer gravemente. Mulheres usando como ferramenta de vingança, extorsão, alienação parental, chantagem Ao homem basta rezar para que sua companheira não seja uma agressora, pois se for não haverá lei para lhe proteger. Tem que rezar ainda mais para não ser vítima de golpe, pois numa lei que julga todas as mulheres como incapazes de mentir e todos os homens como agressores natos, nada há o que fazer, se não contar com a sorte. Este senhor não teve a sorte que nós, ainda vivos, temos. Foi morto sem direito de pedir proteção.

Responder

1
0


1 comentários

coluna popular
Suspeita de coronavírus
Projeto viabilizado
Ano letivo prejudicado
Violência doméstica em pauta
Jocelito Eraldo de Souza não resistiu à doença

Últimas Notícias
02.06.2020 - 12:23
02.06.2020 - 11:44
02.06.2020 - 11:21
02.06.2020 - 10:00
02.06.2020 - 09:15




Informe Publicitário