Em uma semana, 50 escolas de Mato Grosso desistem de manter greve | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019

MUVUCADAS Terça-feira, 18 de Junho de 2019, 08h:57 | - A | + A




Adesão caiu de 52,94% para 46,41%

Em uma semana, 50 escolas de Mato Grosso desistem de manter greve

Adesão caiu de 52,94% para 46,41%

 

Nos últimos sete dias, boa parte das escolas estaduais de Mato Grosso que haviam aderido ao movimento grevista do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT) desistiram totalmente ou em parte e retornaram às atividades.

Na segunda-feira passada (10), levantamento feito pela Secretaria de estado de Educação (Seduc) apontou que, das 767 escolas estaduais, 406 (52,94%) estavam em greve.

Outras 326 (42,5%) não haviam aderido à greve, enquanto que as 35 restantes (4,56%) estavam funcionando parcialmente.

Já nesta segunda-feira (17), novo levantamento apontou que o número de escolas paradas diminuiu consideravelmente, passando das 406 para 356 (46,41%). Por outro lado, as escolas que continuaram a funcionar normalmente passaram de 326 para 346 (45,11%).

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Fiscal da geral - 19-06-2019 07:51:09

Isso é para o povo aprender a nunca mais confiar em empresário salafrário. Não é porque o cara tem empresa que é bom gestor ou que não vai sacanear. Não conheço nenhum empresário honesto ou justo aqui nesse mato grosso

Responder

0
0


Maria - 18-06-2019 12:38:22

Mentira. Tanto que a Seduc mais uma vez enviou documento para as escolas, pressionando para incluir as faltas no sistemas. Neste novo documento, obriga-se as escolas lançarem faltas para dias de feriado. Que espécie de governo é esse, que atropela a Lei, o calendário e se nega a conversar? Jogando inverdades na mídias???

Responder

1
0


Enciclopédia - 18-06-2019 12:02:52

Não é verdade!!! A Seduc está tentando dar pressão nos servidores para desmobilizar a Categoria... Não tem como retornar as aulas parcialmente. Ou se encerra a greve e volta cem por cento dos servidores a trabalhar ou não há condições legais e nem práticas para tal... Os amedrontados que "voltarem" para as escolas agora terão obrigatoriamente que repor os dias de paralisação. Ou seja, terão que trabalhar dobrado e receber um único salário... Isso é legalmente irregular... A Seduc também está tentando forçar a gestão da escola a cometer uma ilegalidade, lançando "faltas" de quem está em greve"...

Responder

2
0


3 comentários