Após acusação de assédio, Catão pede exoneração da presidência do Indea | MUVUCA POPULAR

Domingo, 07 de Março de 2021

POLÍTICA Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2021, 15h:35 | - A | + A




Polêmica

Após acusação de assédio, Catão pede exoneração da presidência do Indea

Dirigente irá continuar no órgão em seu cargo efetivo de médico veterinário


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Montagem

Após ser acusado de assédio sexual, o presidente do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), Marcos Catão, pediu exoneração da direção do órgão. O servidor de carreira voltará para seu cargo efetivo de médico veterinário. Em nota divulgada por seu advogado, Francisco Faiad, Catão relatou que decidiu deixar o cargo para evitar desgastes à instituição.

“Para evitar maiores desgastes à instituição ao qual presto serviços há 27 anos, solicitei nesta segunda-feira (18) meu afastamento da presidência do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (INDEA-MT)”, afirmou.

Em novembro de 2020, o agora ex-presidente foi acusado de assédio sexual por uma ex-assessora de 19 anos, no entanto, Catão nega o relato da jovem e garante que irá provar ser inocente.

“Dedicarei meus esforços em construir minha defesa e provar minha inocência em relação a esta situação levantada contra mim. Confio nos órgãos de investigação e na Justiça, que certamente vão apurar e julgar os fatos de forma independente e imparcial”.

No Diário Oficial que circulou nesta segunda-feira (18), o Governo do Estado prorroga por mais 10 dias a substituição de Catão pela servidora Emanuele Gonçalina de Almeida no cargo de presidente.

Entenda o caso

Uma jovem de 19 anos, que assumia o cargo de assessora técnica no Indea, registrou um boletim de ocorrência por assédio e importunação sexual contra o presidente do Indea, Marcos Catão, em novembro de 2020.

A assessora relatou que foi até a sala do presidente para repor as garrafas de água e começou a conversar com Marcos. Em determinado momento, ele disse que ela não precisaria de usar máscara dentro de sua sala e, em seguida, começou a massagear o pênis por cima da calça, por alguns minutos e olhando para ela.

Na denúncia, a servidora informou que ficou em estado de choque, mas voltou no dia seguinte ao trabalho. Ela contou ao pai sobre o fato, que a aconselhou a registrar um boletim de ocorrência e pedir exoneração.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(4) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Indeano da Silva - 19-01-2021 03:29:29

Pedir exoneração é o mínimo que esse sujeito deve fazer diante da contundência dos fatos. Na verdade esse cidadão desde que tomou posse no Indea há mais de 25 anos sempre foi assediador moral contumaz, porém ao assumir o cargo de Presidente da Instituição ele achou que podia tudo, achou que era mais importante do que Deus , inclusive que podia até assediar sexualmente a ex- assessora e ficar impune como sempre ele ficou. Portanto, ser exonerado não elimina os atos insanos e covardes que ele cometeu , por isso, esse cidadão tem que responder ao processo administrativo para apurar os escândalos que ele cometeu dentro da Instituição e ainda não se esquecendo do outro que cometeu escândalos dentro da Instituição o Diretor Técnico aquele das cuecas. O novo Presidente da nossa Instituição tem obrigação de passar tudo a limpo através do PAD instrumento esse que esse ex-Presidente tanto gostava de aplicar em seus desafetos.

Responder

5
0


Zé verdade - 19-01-2021 07:56:39

Pelo q foi dito, taí uma boa razão para rever os PADs abertos enquanto este senhor presidia a correição do Indeia. Quantos servidores sofrem psicologicamente com isso?

Responder

3
0


Indeano - 18-01-2021 20:05:22

Agora é com o dr eng Edivaldo Mendes. Futuro presidente do INDEA. Profissional conhecido e respeitado.

Responder

0
7


Busadores não passaram - 18-01-2021 17:55:09

Tomara que nunca mais faça isso com ninguém

Responder

3
0


4 comentários

coluna popular
Fundadora de sites
Pista foi interditada
Em comércio
Principal nome a ser indicado
João Batista não concorda com decisão

Últimas Notícias
07.03.2021 - 08:52
07.03.2021 - 08:10
06.03.2021 - 20:30
06.03.2021 - 17:23
06.03.2021 - 15:41




Informe Publicitário