Criação de novos ministérios é vista “com bons olhos” por Jayme Campos | MUVUCA POPULAR

Domingo, 26 de Maio de 2019

POLÍTICA Terça-feira, 14 de Maio de 2019, 13h:32 | - A | + A




Decisão de Bolsonaro

Criação de novos ministérios é vista “com bons olhos” por Jayme Campos

Bolsonaro quer desmembrar o Ministério do Desenvolvimento


De Brasília (Agência RBC News)

 

A criação de dois novos ministérios está posta na mesa principal da sala esquerda do terceiro andar do Palácio do Planalto, de onde despacha o presidente Jari Bolsonaro. A ideia é desmembrar o Ministério do Desenvolvimento e fazer ressuscitar os ministérios da Integração Nacional e das Cidades, extintos pela Medida Provisória 870, editada pelo presidente tão logo assumiu, para reorganizar a administração federal.

A MP 870 reduziu de 29 para 20 o número de pastas, mas a possibilidade de retorno dos dois ministérios está sendo saudada por vários parlamentares. O senador mato-grossense Jayme Campos (DEM) é um deles. “Vejo com bons olhos. Meu partido entende que são dois ministérios que não deveriam ter sido extintos, pois são importantes para as ações em prol das regiões, estados e municípios”, afirmou Campos.

O retorno dos dois ministérios já foi acertado no Congresso Nacional, no bojo da votação da MP 870, que passou por uma comissão especial mista e deverá ir aos plenários da Câmara dos Deputados e do Senado para votação final. Há quem interprete a concessão do governo de Jair Bolsonaro como uma forma de angariar mais apoio para a aprovação da medida. Mas houve resistência, e a matéria, que deveria ser votada a partir desta semana, foi contida pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia.

Novos ministérios, novos cargos a se negociar. Pelo que se especula, os presidentes do Senado e Câmara fariam as indicações para a Integração Regional e Cidades, dois dos ministérios que mais tiveram verbas nos governos petistas. Por esta razão, foi muito de se estranhar que Rodrigo Maia tenha segurado a votação pelo plenário da Câmara.

Contudo, sabe-se que há fortes manobras para que a retirada do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) do Ministério da Justiça e Segurança Pública, do titular Sérgio Moro e retorno à pasta de origem, o Ministério da Economia. Maia identificou manobras no sentido de assegurar a Moro o controle do Coaf. Daí a principal razão de segurar a votação.

De todo modo, há avaliações de que, mesmo no plenário, Sérgio Moro não irã conseguir votos necessários para lhe assegurar domínio sobre o Coaf. “O Coaf é órgão do Ministério da Fazenda (agora da Economia, ligado à Receita Federal). Sempre foi assim e assim o é em todos os demais países. E, quando necessário, forneceu informações para todas as investigações. Para quem um ministro com super poderes?”, indagou um parlamentar.  

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(3) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Severo - 15-05-2019 09:29:14

Claro né, mais cabide de emprego rsrs

Responder

0
0


jose a silva - 14-05-2019 17:11:27

Pois é! Para empregarem mais apaniguados sanguessugas vagabundos!

Responder

4
0


Olavo - 14-05-2019 14:30:20

Gostou né jayme, tá doido pra pegar um carguinho, louco por uma boquinha....

Responder

7
0


3 comentários