Editorial: Juiz de Cuiabá revela sua estupidez machista em audiência | MUVUCA POPULAR

Sábado, 24 de Agosto de 2019

POLÍTICA Quarta-feira, 17 de Julho de 2019, 00h:10 | - A | + A




Desumano, misógeno, vil

Editorial: Juiz de Cuiabá revela sua estupidez machista em audiência

Ao negar defesa para mulheres fragilizadas Jurandir Castilho Júnior dá mau exemplo


Muvuca Popular

A explosão do juiz Jurandir Castilho Júnior sobre a defensora pública Rosana Leite é o resumo do que há de violência masculina sobre a existência feminina desde sempre. O juiz atacou a “intrusa” porque ela se atreveu a acompanhar uma mulher fragilizada dentro do que ele considerou como seu espaço de poder.

O homem-juiz exercitando sua força sobre outro homem-advogado e outro homem-promotor através da vítima-mulher. O jogo de “macho alfa”, ou manutenção infantil do status quo foi quebrado naquele dia com a entrada na sala de audiência pela defensora Rosana Leite.

E todos sabem quem é Rosana Leite, filha de um velho advogado, ex-procurador da Assembleia Legislativa, esposa de juiz, é nora do legendário Gilson de Barros, e principalmente, há anos é dos movimentos sociais, e se dedica a fortalecer os comitês de defesa dos direitos das mulheres, especialmente na periferia.

A defensora Rosana é reconhecida como uma das referências para mulheres vítimas de violência, e qualquer uma delas, de qualquer extrato social, prefere que ela acompanhe seus casos, as oriente ou simplesmente as ouça para se organizarem emocionalmente.

O juiz Jurandir Castilho sabe de tudo isso, mas a presença da defensora Rosana Leite foi uma ameaça a “sua audiência”. O juiz também é conhecedor da gravidade psíquica que envolve um caso de estupro, e naquela audiência havia uma jovem estuprada pelo próprio pai. Apesar do seu conhecimento não foi humano o suficiente para permitir que outra mulher, com autoridade, ficasse ao lado da vítima.

A solidariedade feminina foi rechaçada pelo juiz, e aceito silenciosamente pelos outros homens, em especial pelo promotor de justiça que poderia ter se levantando e encerrado a audiência. Isso porque juízes, promotores e defensores têm o mesmo nível de autoridade, e uma audiência não existe com a ausência de um deles.

Agredida, a defensora saiu chorando. “Bateu a porta, de forma deselegante”, disse um comunicado escrito para defender o juiz. Curioso que o comunicado foi escrito por outro homem que representa uma corporação profissional do Estado que existe para defender cidadãs como aquela garota vítima de estupro, e que ficou acuada na sala após o juiz expulsar a defensora pública.

É claro que o  tomaria partido de um dos lados.

A defensora pública Rosana Leite exerce um tipo de militância muito árduo e sem muita expectativa de glória ou grandes feitos. O mundo é machista e voraz devorador de corpos femininos e liberdades humanas. E apesar dessa constatação, ainda se dedica a ver as lágrimas, ouvir os choros e a sentir as dores das outras mulheres.

Outros ficariam indignados com a violência contra as mulheres, mas isso não basta para Rosana Leite. A injustiça contra a mulher é vista em várias passagens da Bíblia, como em Samuel. “O rei Davi ficou indignado”, quando soube que sua filha Tamar havia sido estuprada por seu filho Ammon. Apenas isso, indignado. O rei, que era o juiz, deveria aplicar a lei, mas não o fez porque a punição quebraria o status quo da casa real. A opção foi afastar a vítima dos olhos da sociedade.

Isso foi há três mil anos. A delegada Miedir Santana lembra que há quarenta anos surgiu um problema em Cuiabá que mostra como a questão feminina é tratada pelas autoridades, em sua maioria, composta de homens. O governo estava preocupado com a quantidade de donas de casa contaminadas por doenças venéreas. A atenção se voltou para as casas de prostituição.

A polícia faria um arrastão e ficharia todas as prostitutas para poder acompanhar a sua saúde. O problema é que 160 meninas cuiabanas, entre 11 e 17 anos foram apreendidas, e se descobriu que a maioria tinha sido violada por seus pais. O caso se tornou uma aberração na época, e o governo preferiu esquecer tudo. Aquelas meninas foram jogadas a própria sorte.

O que a delegada mais queria quando foi trabalhar na especializada de atendimento à mulher, era a companhia de mais profissionais mulheres, mais escrivãs, mais assistentes sociais, mais delegadas, mais promotoras, e mais defensoras públicas.

O que aconteceu na audiência entre o juiz e a defensora poderia estar encerrado. O juiz pediria desculpas dizendo que estava cansado, a defensora em contrapartida se colocaria à disposição, e a vida seguiria, com a Justiça mantendo as aparências de que está acessível a qualquer cidadão. Mas o orgulho de macho ofendido encontrou solidariedade entre outros machos para mostrar às mulheres de Cuiabá o quanto elas continuam desprotegidas.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(16) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carla - 23-07-2019 21:34:08

Acho muito triste esse linchamento virtual. Antes de emitir opniões deveríamos buscar conhecimento e ter opniões respeitosas. Todos nós estamos aí, prestes a sofrem esse tipo de linchamento em nossos trabalhos e gostaríamos de ser tratados assim?

Responder

0
0


Marcelo - 17-07-2019 18:17:23

Pessoal não estou do de lado nenhum , simplesmente a Dr Rosana está fazendo o papel dela , só que a lei é clara pra fazer parte de uma audiência ela tem que estar devidamente constando nos autos e isso eles sabes disso, e tem que punir o infrator nos autos da lei.

Responder

6
4


Hil - 17-07-2019 21:20:01

Defensores Públicos não são advogados, veja a constituição Federal. Atuam por lei é não por constituição da parte por procuração. Ademais, são autoridades do mesmo nível dos magistrados e promotores, sendo inclusive dotados da mesma INAMOVIBILIDADE CONSTITUCIONAL DOS JUÍZES. portanto, juiz não tem autoridade pra determinar quando, onde e quando um defensor público pode atuar, pois este órgão também, além da inamovibilidade, tem autonomia funcional e administrativa NA CONSTITUIÇÃO. ASIM RETIRAR UM DEFENSOR DE SUA ATUAÇÃO É IMPOSSÍVEL A LUZ DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL, É O MESMO QUE RETIRAR O PROMOTOR DA VARA, É O MESMO QUE RETIRAR O PRÓPRIO JUIZ DA VARA. ESSE JUIZ DEVERIA ESTUDAR MAIS PRA ENTENDER DA LEI É DA CONSTITUIÇÃO, É SUA OBRIGAÇÃO.

Responder

6
2


Sinopense - 17-07-2019 13:51:10

Esse juiz é extramamente educado e os fatos nem de perto ocorreram tal como narrados nessa reportagem. Qual a razão da reportagem não ter entrevistado os presentes na audiência e tomado partido com base apenas no relato da defensora?! Achei um absurdo e uma falta de respeito querer destruir a dignidade de alguém dessa forma.

Responder

7
8


GABRIELLY - 17-07-2019 13:35:01

Um Juiz que acha que pode ser mais que a Lei não merece ser Juiz. Deve deixar o Cargo. uma vergonha o que ele fez.

Responder

6
5


Campos André - 17-07-2019 10:17:53

Tem que ter processo administrativo para apurar o abuso de autoridade do juiz, isso não pode ficar impune se com ela ele fez isso, imagina com outras? Belo texto, Muvuca

Responder

17
5


Marciano de Tangara - 17-07-2019 10:06:25

Juiz merece ser afastado

Responder

14
5


Luciana - 17-07-2019 10:03:32

Pessoas como esse juiz só faz o país e nos mulheres a ter fim triste e violentos.

Responder

14
5


Jandira - 17-07-2019 10:02:34

Será que seremos dominadas por esse tipo de juiz???

Responder

10
5


Amanda - 17-07-2019 10:01:52

Rosana Leite é Maravilhosa, não merece ser trada assim, esse juiz vai sofrer suas punições?

Responder

13
4


Dominique - 17-07-2019 10:00:03

Toda pessoa tem direito de permanecer do lado do seu advogado ou defensor público durante depoimento em Juiz. Ele não pode tirar esse direito

Responder

15
4


Andreia - 17-07-2019 09:58:48

Por esses e outros motivos que muitas mulheres até evitam de se prestar a ir em uma delegacia registrar o BO é muita humilhação além de sofrer as agressões em casa

Responder

11
3


Felipe - 17-07-2019 09:57:27

Cada dia que passa mais me surpreendo com tanta barbaridade

Responder

12
2


Line - 17-07-2019 09:54:46

Como assim, espaço de poder? ele acha que é todo poder? só quero saber o que vai acontecer com ele depois disso

Responder

9
3


Marcos - 17-07-2019 09:52:54

Quando é assim já está tudo arquitetado para punir a mulher. E por isso a gente nunca é levada a sério, que tristeza saber dessa atitude de um Juiz

Responder

11
4


Jerico - 17-07-2019 09:51:46

Que absurdo um homem estudo cheia de informações agir assim?

Responder

11
4


16 comentários