"Escondendo" empresa e "dobrando" bens, Abílio está longe de ser honesto | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 25 de Janeiro de 2021

POLÍTICA Terça-feira, 24 de Novembro de 2020, 10h:03 | - A | + A




Candidato do presidente

"Escondendo" empresa e "dobrando" bens, Abílio está longe de ser honesto

Envolvido em diversas polêmicas, vereador tenta sempre pregar a transparência


redacaomuvuca@gmail.com

Divulgação

Abílio Câmara

 

Querendo ser sempre o candidato que “exala” honestidade, Abílio Junior (Podemos), coleciona situações que provam valores totalmente contrários do que prega em sua carreira política e também na vida. Como já noticiado pelo Muvuca Popular, na semana passada o político foi “desmascarado”, já que foi descoberto que o vereador não declarou todos os seus bens ao TSE, o que é obrigado pela regência do órgão. Além do que, um certo tempo atrás um levantamento feito pelo G1 mostrou que o parlamentar “dobrou” seus bens, em comparação com o ano de 2016.

Relembre agora apenas duas, das diversas irregularidades atribuídas e comprovadas, que se remetem ao político, que prega, mas não cumpre com sua honestidade.

Empresa não declarada

Mesmo sendo obrigatório ter que especificar todos os bens que há em seu nome, assim como qualquer outro candidato, o político Abílio, que concorre ao posto da prefeitura de Cuiabá, não destacou uma empresa de sua propriedade na declaração de bens feita ao Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE -MT). Informações obtidas pela reportagem do site Gazeta Digital apontaram na última quarta-feira (18), que o parlamentar é sócio administrador de uma empresa chamada Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Urbano Ltda. A informação foi omitida justamente pelo candidato que prega sempre a honestidade em suas ações.

Vale lembrar que pode ser considerado crime quando o candidato exclui ou deixa de repassar informações em totalidade na sua declaração de bens. Isso porque, o TSE obriga todo aquele que for disputar um pleito a listar em completo tudo aquilo que possui. Porém, a regra possui diversas brechas, lacunas essas que podem ter sido utilizadas pelo político em questão, para omissão de informações.

A empresa que não foi declarada por Abílio tem um patrimônio de R$ 150 mil, segundo dados da Receita Federal. O Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Urbano Ltda foi criado em 2 de outubro de 2014 para prestar atividades de consultoria e de prestação de serviços técnicos de arquitetura, como projetos de arquitetura de prédios, projetos de ordenação urbana e uso do solo e projetos de arquitetura urbanística.

Abílio declarou um patrimônio de R$ 92,5 mil à justiça eleitoral. O atual vereador por Cuiabá, que liderou a oposição contra o prefeito Pinheiro (MDB), afirmou possuir R$ 16 mil na poupança, um Jeep 2018 financiado no valor de R$ 74 mil e uma Moto Action Flex 2013 no valor de R$ 2,5 mil.

Questiona-se agora por qual motivo, o intitulado “Bolsonaro de Cuiabá” não listou a empresa em questão.

Destaque por “riqueza” em todo o país

O vereador de Cuiabá e candidato à prefeitura de Cuiabá nas eleições deste ano, também foi destaque em um levantamento feito pelo G1 e divulgado no dia 2 de outubro passado, que mostrou os candidatos que mais enriqueceram no país.

Na situação, foi mostrado que em 2016, Abílio declarou ter patrimônio de apenas R$ 6.983, contudo, neste ano, o vereador afirmou à Justiça Eleitoral ter bens que somam R$92.500, o que representa crescimento de 1225% em quatro anos.

De acordo com a declaração de bens apresentada por Abilinho à Justiça Eleitoral em seu pedido de registro de candidatura, na época ele tinha R$ 16 mil em depósito bancário numa conta poupança, uma motocicleta ano 2013 no valor de R$ 2,5 mil e um Jeep ano 2018 que foi financiado e declarado pelo pré-candidato no valor de R$ 74 mil.

Em nota enviada ao G1, sobre este “crescimento expressivo”, Abilinho disse que o patrimônio considera um veículo comprado por meio de financiamento bancário no valor de R$ 74 mil, sendo que o candidato pagou, por enquanto, apenas R$ 16 mil. “Considerando o valor da remuneração percebida por um vereador da capital, o patrimônio do vereador e candidato a prefeito de Cuiabá é absolutamente compatível com a normalidade”, diz.

O que se questiona com esses e outros exemplos, no entanto, é a idoneidade do político, que crítica constantemente seus colegas do meio, mas, não é transparente em assuntos que dizem respeito a sociedade num todo, qual esta que o candidato diz querer representar como administrador da Capital.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(10) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Wagner - 24-11-2020 17:24:54

O Muvuca é candidato? O pt tá no 2○ turno? Kkkkk....estamos falando do ABELHO....digo MOMENTO EVANGÉLICO....LGBT INTROSPECTIVO E INVASIVO....ATRÁS DAS PALMEIRAS.....votar nele é votar no BOZO....depois não digam que foram enganados.....

Responder

9
3


luluzinha - 24-11-2020 16:37:29

Nao foi o muvuca que levou menos de 700 votos? kkkkkkkkkkkkkkkkkkk piada

Responder

4
3


junior - 24-11-2020 17:11:10

Lulu 200 e pouco e sob Judies ainda kkkkk

Responder

0
0


Oi? - 24-11-2020 11:29:39

Em números tudo cabe. Dá pra acreditar em 332 mil, com o tanto de material gráfico (bandeiras, adesivos etc.) que estão usando? Com o marqueteiro linha ouro (que diz que é voluntário!?, kkk)? Esse negócio de dinheiro arrecadado com camisetas e de voluntários é conversa pra boi, ou gado, dormir. Depois, fica a conta da incompetência pro povo pagar. Já estamos sofrendo disso na carne (sentido literal e figurado): falta de energia no Amapá, covid-19 correndo solta, testes PCR a caminho do lixo, desastres diplomáticos, abobrinhas e ofensas a todo momento, e por aí vai. Não tá fácil escolher, mas sanidade emocional e mental é indispensável para um gestor público.

Responder

14
6


junior - 24-11-2020 15:02:54

Sim Fica em Casa q vai Resolver tudo, a conta Sempre Chega, Prefiro palavras duras e Diretas q mentiras Roubalheiras, a Falta de Energia eh culpa do pouco investimento na Regia em 16 anos de governo perdido nd de infra estrutura só Roubo e esquemas, a Covid eh uma Pandemia temos o remédio e o tratamento, e toda gestão foi barrado pelo FTS então se eh para os municípios decidirem se der erado a culpa e do presidente?????? Não eh da gestão do município. Tudo q ele falou deu certo a OMS de esquerda so apoia o caos e o comunismo, prefiro um governo honesto q um corripto q fala oq vc qr escutar ou a Dilma q so fala memes kkkkkkk.

Responder

2
5


Bolão - 24-11-2020 17:25:04

Cara para de viajar na maionese! A responsabilidade do apagão é de uma Empresa, não é trabalho prestado pelo setor público, pelo contrário, a estatal que teve que limpar a sujeira feita pela Empresa Privada! O que o apagão do Amapá diz sobre a privatização do setor elétrico no Brasil? Empresa privada não tinha transformador reserva e foi socorrida pela Eletrobras, estatal que Bolsonaro quer vender!

Responder

3
1


Schutz - 24-11-2020 16:08:21

Petista adora um corrupto né, chamar o inteligente de gado é fácil, difícil e assumir que é um burro. #foraPaleto #foraPT

Responder

4
7


junior - 24-11-2020 10:42:55

Caro jornalista mostre o gasto com campanha dos 2 candidatos a vaga de prefeito Abilio 300 mil e o Emanuel do Palitó 5 Milhões e o Prefeito simbolo da Corrupção q compra Remédios pra Covid em Sexy Shop kkkkk, Cuiabá 300 foi um fiasco sem precedentes com esquemas de alugues de prédios abandonados tudo fruto da corrupção sem Limites. https://www.midianews.com.br/politica/emanuel-gasta-r-53-milhoes-em-campanha-abilio-chega-a-r-332-mil/388626 O povo vai dar a resposta nas Urnas FORA PALITO DE OURO Cuiabá não aguenta mais tanto Roubo.

Responder

7
17


- 24-11-2020 14:36:23

Já teria tendenciosa essenmuvuca é mais um ue mama nas tetas do estado usurpador do.dinheiro público, a teta secou amigo agora vai ter trabalhar......Ass David Wilkerson.

Responder

7
4


Schutz - 24-11-2020 16:11:34

Muvuca, sua credibilidade é do tamanho da honestidade do Paletó, Zero. Kkkkkk

Responder

3
8


10 comentários

coluna popular
Reconhecimento
Colapso na saúde
“Prejuízos pedagógicos”
R$ 23 mi
Disputa de poder

Últimas Notícias
25.01.2021 - 15:21
25.01.2021 - 15:08
25.01.2021 - 14:14
25.01.2021 - 14:11
25.01.2021 - 13:52




Informe Publicitário