Confira o perfil dos pré-candidatos ao Senado em MT (Atualizada) | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 15 de Julho de 2020

POLÍTICA Sábado, 18 de Janeiro de 2020, 21h:00 | - A | + A




Corrida Eleitoral

Confira o perfil dos pré-candidatos ao Senado em MT (Atualizada)

Se em 2018 foram apenas 11 candidatos, disputa em 2020 já conta com pelo menos 16 nomes


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Reprodução

A lista de candidatos para a eleição suplementar ao Senado, após a cassação do mandato da ex-senadora Selma Arruda (PODE), não para de crescer. Se em 2018 foram 11 candidatos na disputa, até a publicação dessa reportagem, já são 20 pré-candidatos e partidos que estão de olho em uma boquinha no cargo federal.

Nomes como Abílio Júnior (PSC), Adilton Sachetti (PRB), Carlos Fávaro (PSD), Carlos Abicalil (PT), Cidinho Santos (PL), Dr. Leonardo (Solidariedade), Elizeu Nascimento (DC), Gisela Simona (PROS), José Medeiros (PODE), Juca do Guaraná (Avante), Júlio Campos (DEM), Lúdio Cabral (PT), Mário Nadaf (PV), Maria Lúcia (PC do B), Max Russi (PSB), Nelson Barbudo (PSL), Nilson Leitão (PSDB), Otaviano Pivetta (PDT), Sebastião Carlos (Rede), Silvio Fávero (PSL), Victório Galli (PATRI) e Waldir Caldas (Novo) estão cotados para a eleição.

Além dos nomes citados, o MDB, DEM, PP e PSDB se aliaram para uma candidatura conjunta, que tem o nome do ex-governador Júlio Campos (DEM) como principal pré-candidato. No espectro da esquerda, o deputado estadual Lúdio Cabral (PT) descartou uma possível candidatura, mas confirmou que o partido entrará na disputa. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) deve anunciar a nova data da eleição no dia 22 de janeiro.

Confira o perfil dos pré-candidatos:
Abílio Júnior (PSC)

Resultado de imagem para abilio junior

O vereador Abílio Júnior, 33, de Cuiabá e ligado à oposição na Câmara Municipal, mostrou interesse em uma possível candidatura ao Senado Federal nas redes sociais. Deslumbrado, o parlamentar não sabe o que fazer da vida política: se concorre à prefeitura, se disputa como senador, ou se tenta reeleição como vereador.
Entretanto, a situação do vereador Abílio na Câmara de Cuiabá não é nada favorável. O parlamentar corre o risco de perder o mandato por quebra de decoro, e a Comissão de Ética da Casa de Leis investiga o caso. Se for cassado, Abílio ficará inelegível por 8 anos, ficando de fora da disputa. 
Adilton Sachetti (PRB)

Resultado de imagem para adilton sachetti

O ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB), 63, de Nova Veneza (SC), disputou a eleição de 2018 junto com a ex-senadora Selma Arruda, ficando em quarto lugar com 12,10% dos votos, logo atrás de Fávaro - que obteve 15,80%. O político está na lista dos que não sabem se disputam a prefeitura, ou se encaram a eleição suplementar ao Senado.
Sachetti esteve no Congresso Nacional entre 2015 e 2019. O ex-parlamentar está ligado aos interesses do agronegócio e já liderou movimentos como o Sindicato Rural de Rondonópolis e a Associação Mato-grossense de Produtores de Algodão.

Carlos Abicalil (PT)

Carlos Abicalil.jpg

O ex-deputado federal Carlos Abicalil, 57, de Nova Friburgo (RJ), é um dos principais nomes pelo diretório do PT. A carreira política de Abicalil mostra que o ex-deputado tem chances de trazer um contraponto às eleições – além de deputado federal, Abicalil tem força dentro do partido e já ocupou o cargo de Secretário de Educação Especial no Ministério da Educação, durante o governo de Dilma Rousseff (PT). 

Carlos Fávaro (PSD)

Resultado de imagem para carlos favaro

O nome de Carlos Fávaro, 50, de Bela Vista do Paraíso (PR), voltou em evidência após a cassação da rival Selma Arruda. Faltou pouco para Fávaro ser eleito em 2018 como senador, ficando em terceiro lugar, atrás de Jayme Campos. Na época, cerca de 55 mil votos (2%) o deixaram de fora da vaga no Senado. Fávaro foi o responsável pelo pedido de cassação da ex-senadora.
O político, que já foi vice-governador do estado na chapa de Taques, possui o apoio da base aliada de Mauro Mendes (DEM). Entretanto, o Chefe do Executivo não decidiu qual será o seu apoio nas eleições e está dividido entre nomes de peso ligados ao governo, como Júlio Campos e Otaviano Pivetta.
Cidinho Santos (PL)

Resultado de imagem para cidinho santos

O ex-senador e suplente de Blairo Maggi, Cidinho Santos, 51, de Janiópolis (PR), ligado à bancada bolsonarista e do agronegócio, também pode ser candidato. O ex-parlamentar afirmou que o grupo político de Maggi, um dos mais fortes do estado, deve definir um candidato até o final de janeiro.
Caso Cidinho não seja candidato, o político é cotado para assumir a primeira-suplência de Otaviano Pivetta (PDT), ligado ao governo de Mendes.
Dr. Leonardo (Solidariedade)

Resultado de imagem para dr leonardo deputado

O deputado federal Dr. Leonardo, 41, de Rio Verde (GO), foi lançado como possível candidato pelo prefeito de Rondonópolis, Zé do Pátio (SD). A ideia seria uma aliança de centro-esquerda em torno do parlamentar, já que o partido apoia a candidatura. O político é representante da região oeste de MT, e foi avaliado como o melhor parlamentar entre os deputados e senadores que compõem a bancada federal, de acordo com o Levantamento do Ranking dos Políticos do Brasil.
Elizeu Nascimento (DC)

Resultado de imagem para elizeu nascimento

O deputado estadual Elizeu Nascimento, 43, de Tangará da Serra (MT), também não esconde o interesse público em disputar a vaga. Em 2019, conduzindo o seu primeiro mandato na ALMT, Elizeu foi o parlamentar com mais proposições e cobranças ao governo. O político foi contra projetos como Cota Zero e o aumento da alíquota previdenciária dos servidores público, sem esconder a oposição feroz ao governo de Mendes.
Uma aliança entre o Democratas e o Patriotas, partido do ex-deputado federal Victório Galli, deve lançar Elizeu como candidato. Entretanto, Galli também sonha em ser senador.
Gisela Simona (PROS)

Resultado de imagem para gisela simona

A superintendente do Procon em MT, 42, de Cuiabá (MT), Gisela Simona, foi anunciada pelo partido como pré-candidata. Simona também figura na lista dos que não sabem se coloca os pés no chão e disputa um cargo municipal na prefeitura, ou se encara o Senado. Força é o que não falta para a superintendente, que teve 50 mil votos em sua primeira eleição em 2018 como deputada federal.
José Medeiros (PODE)

Resultado de imagem para josé medeiros

Colega de partido de Selma Arruda, o bolsonarista José Medeiros, 49, de Caicó (RN), é cotado pelo partido para assumir a vaga. Medeiros desconversa sobre a eleição e segue orientação do Podemos de se posicionar somente após o lançamento oficial do pleito pelo Tribunal Eleitoral, em respeito à Selma.
Vice-presidente da bancada governista na Câmara, Medeiros ganhou força com a crise do PSL, antigo partido de Jair Bolsonaro. Entretanto, o apoio de Selma Arruda pode ficar com Pivetta ou Adilton Sachetti, apesar da juíza aposentada não ter manifestado nenhum apoio.

Juca do Guaraná (Avante)

O vereador Juca do Guaraná, 41, de Cuiabá (MT), afirmou que deve disputar a cadeira deixada por Selma, e que o seu nome tem respaldo do presidente da Câmara de Cuiabá, Misael Galvão (PTB). O objetivo é montar um forte apoio político dentro da Casa de Leis, apesar de afirmar que pretende se licenciar do cargo de parlamentar para percorrer Mato Grosso durante a campanha. Caso não seja eleito senador, Juca pode retornar para o legislativo e ainda disputar a reeleição como vereador.

Júlio Campos (DEM)

 

Julio Campos.jpg

 

O cacique do DEM, Júlio Campos, 73, de Várzea Grande (MT), é um dos maiores nomes de peso para a eleição. Campos tem uma trajetória política longa no estado, que começou em 1973: já foi prefeito de Várzea Grande, deputado federal por 3 vezes, governador do estado e, também, senador entre 1991 e 1999. O político disputa, ao lado de Fávaro, o apoio de Mauro Mendes, que tem adotado uma postura neutra. Caso não seja senador, Júlio Campos pode ser vice-prefeito na chapa de Emanuel Pinheiro (MDB).

Lúdio Cabral (PT)

Lúdio Cabral.jpg

Apesar de ter descartado uma candidatura ao Senado, o deputado estadual Lúdio Cabral (PT), 48, de Rio Verde (GO), confirmou que o PT deve entrar na corrida eleitoral para representar a esquerda. Conforme a reportagem do emanuelzinho, o parlamentar pode ser a virada de mesa do partido em MT. A repentina crescida da direita do e do governo de Jair Bolsonaro (sem partido) deu espaço para a sigla, assim como a soltura do ex-presidente Lula (PT), um dos maiores líderes políticos contra a direita.

Mário Nadaf (PV)

Resultado de imagem para mário nadaf

Juntamente com o Abílio, outro vereador que sonha em sair da Câmara de Cuiabá e ir direto para o Senado Federal é o professor Mário Nadaf, 53, de Cuiabá (MT), que colocou seu nome à disposição publicamente no plenário. O parlamentar é consolidado em Cuiabá, com quatro mandatos no legislativo cuiabano desde 1992. O político se classificou como um “bom soldado que está emprestando o seu nome para concorrer à disputa”.

 

Professora Maria Lúcia

Ex-Reitora da UFMT

 

iliada ao PC do B, a ex-reitora da UFMT, Professora Maria Lúcia, enfrentou a batalha por uma das vagas ao senado em 2018, tendo ficado tendo recebido 6,26% dos votos (172.259). E é a aposta comunista novamente. E agora, garante o partido, em igualdade de condições com os postulantes. A candidatura da professora representa um voto ideológico, voltado para as esquerdas, e faz um contra-ponto às duas outras candidaturas femininas já colocadas (Gisela Simona e Shirlei Teis).

 

Max Russi (PSB)

Resultado de imagem para max russi

Cogitado dentro do forte grupo político de Mendes, o deputado estadual Maxi Russi, 43, de Salto da Lontra (PR), terá que disputar seu lugar entre nomes como Júlio Campos (DEM) e Neri Geller (PP). O PSB faz parte de uma aliança de várias siglas para definir um pré-candidato. Apesar do nome de Russi aparecer dentro do grupo do DEM, o parlamentar votou contra a principal pauta do Executivo, o aumento da alíquota previdenciária de MT.

Nelson Barbudo (PSL)

Outro defensor ferrenho da agenda bolsonarista, o deputaNdo federal Nelson Barbudo, 59, de Poloni (SP), é o principal nome do partido para a disputa. Barbudo busca a benção do presidente da república, mas já afirmou que será candidato mesmo sem o apoio de Bolsonaro, que deixou o PSL para criar o partido Aliança Pelo Brasil. Agricultor, o deputado federal nunca teve uma carreira política muito atraente ou cargos significativos antes da onda direitista.

 

 

Nilson Leitão

Natural de Cassilândia (MS), e com base eleitoral em Sinop, onde foi prefeito por dois mandatos e vereador, Nilson Aparecido Leitão (Nilson Leitão), é o nome apontado pelo PSDB de Mato Grosso como provável candidato à cadeira de Selma Arruda. Leitão disputou o senado em 2018 e ficou na quinta colocação. Ex-deputado federal em duas legislaturas, o tucano integra o grupo de comando da agremiação no estado e tem forte influência nacional, tendo sido líder de bancada com grande destaque quando atuou em Brasília.

A derrota ao senado pôs fim a uma sucessão de vitórias desde que entrou na política, e a campanha foi marcada por divergências na coligação que tinha a própria Selma Arruda (PODE) como companheira de chapa. Leitão foi o mais perdulário, tendo gasto, de acordo com sua declaração, R$ 2,9 milhões na campanha.

 

 

Otaviano Pivetta (PDT)

Resultado de imagem para otaviano pivetta

O vice-governador do estado, Otaviano Pivetta, 60, de Caiçara (RS), tem intenções de ser candidato, mas primeiro precisa da benção do governador. O PDT está no bloco governista, e a sigla chegou a confirmar que o nome de Pivetta é garantido na disputa. Apesar disso, o vice-governador depende de outros fatores, como a aprovação do presidente nacional do partido, Carlos Luppi, e também do governador do estado.
Sebastião Carlos (Rede)

Resultado de imagem para sebastião carlos

Nas eleições de 2018, Sebastião Carlos, 71, de Aragarças (GO), entrou na disputa, mas perdeu feio: ficou em último lugar, com cerca de 8 mil votos. Mas o político não deixou por isso mesmo e, junto com Carlos Fávaro, abriu uma ação de cassação contra a ex-senadora. Deu certo, afinal. O político ainda não se pronunciou publicamente, mas existem grandes chances de uma possível candidatura, já que o sonho de Sebastião era tirar a juíza aposentada do Senado.

Silvio Fávero (PSL)

Resultado de imagem para silvio fávero

O deputado estadual, Silvio Fávero, 53, de Umuarama (PR), terá que disputar com Nelson Barbudo, do mesmo partido, uma vaga como candidato ao Senado. Ou seja: com ou sem Barbudo o PSL irá entrar na disputa. Bolsonarista roxo, o parlamentar colocou o seu nome à disposição e aguarda a resolução do partido. 

Victório Galli (PATRI)

Resultado de imagem para victório galli

O ex-deputado federal, Victório Galli, 58, de Rosana (SP), está desesperado por uma boquinha no Senado e, inclusive, já começou a sua campanha. Galli tenta reviver a onda bolsonarista e, conforme publicado pelo emanuelzinho, estampa em sua foto do Whatsapp uma montagem com o presidente. Apesar de já confirmar a candidatura, em julho de 2019, Galli afirmou que estava se preparando para a prefeitura de Cuiabá. O ex-deputado saiu do PSL após ter ficado isolado e sem apoio dentro da sigla, apesar de já ter sido assessor especial de Jair Bolsonaro, cargo pelo qual recebia R$ 16,2 mensalmente.

Waldir Caldas (NOVO)

Resultado de imagem para waldir caldas

O advogado Waldir Caldas, 65, de Corumbá (MS), pretende, novamente, tentar se eleger senador. Em 2018, o político conquistou o oitavo lugar nas eleições, com apenas 2,6% dos votos válidos (71 mil). Em sua campanha, o advogado defendeu a privatização de serviços públicos essenciais, como os presídios.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(14) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos Nunes - 19-01-2020 08:43:35

Ih! Segundo o que o professor Onofre disse no Programa Estúdio ao Vivo...tio Márcio Lacerda tá entrando com uma tese junto à Justiça, de que houve cassação da chapa da Juíza, e isso deveria ter sido feito ANTES da Eleição, considerando que a suposta denúncia de irregularidade foi feita em Setembro, e a eleição ocorreu em Outubro...e o TRE/MT ter dado Aval pros mais de 600.000 mil eleitores saírem de suas casas, e irem votar. Tudo foi culpa do TRE/MT, que sacaneou com os eleitores...mais de meio milhão de eleitores foram sumariamente tapeados. Dá até medo de pensar nisso...imagine a situação do atual Prefeito de Cuiabá, lança na campanha da reeleição, pode ser o mais votado, ganha...reelege, e depois é cassado por causa do paletó? Tem que resolver a situação do paletó ANTES da eleição...senão mais uma vez os eleitores serão tapeados...votam, mas o candidato que ganha, não leva. É bom que tio Márcio entre mesmo na Justiça pra verificar isso...nos mínimos detalhes...se entrar não tem eleição nenhuma pra Senador, até a alta esfera da Justiça resolver esse imbróglio. No caso da Juíza as denúncias constantes no processo são de fatos anteriores até a Convenção Partidária, que a escolheu como candidata, e anteriores ao registro da candidatura...nesse período anterior a Juíza não era candidata a nada, nem podia ser...era uma simples eleitora. Tem que entrevistar o tio Márcio pra saber os detalhes disso tudo...

Responder

3
3


Bolão - 19-01-2020 08:43:32

Para Senador Lúdio Cabral do PT! Lúdio lutou pelos trabalhadores e Servidores públicos de Mato Grosso, enquanto os outros candidatos, a maioria se juntou à Bolsonaro na reforma da previdência e trabalhista, destruindo a aposentadoria e o ganha pão dos cidadãos brasileiros. Eu e todos os meus conterrâneos votaremos em Lúdio para o Senado e Lula para Presidente. Fora Bolsonaro e toda a sua corja.

Responder

9
9


Antonio - 14-01-2020 14:32:42

FAVARENTO ficou em terceiro lugar,e o JULIO segundo investigações não tem dois assassinatos nas costa?

Responder

5
1


alex r - 14-01-2020 08:13:51

Só curva de rio ... pqp , só coisa ruim... Deus me livre de tantos picaretas!

Responder

8
1


Carlos - 14-01-2020 08:07:27

Não voto em nenhum deles, mas vcs propositalmente esqueceram do NELSON BARBUDO, que também não tem meu voto.

Responder

5
3


pablo - 14-01-2020 08:24:35

rapaz barbudo está nesse impasse de sair do psl... é provável que não represente a sigla. e eles colocaram o silvio favero

Responder

3
0


jose a silva - 14-01-2020 06:04:48

Gisela Simona ou Sirlei Teiss, o resto é balela, resto de fundo de saco que nem pra esterco serve!

Responder

6
4


VARZEAGRANDENSE - 19-01-2020 11:33:31

Penso que entre AMBAS a única comparação possível é serem advogadas. O perfil para o cargo, penso que dentre outros critérios, exige fluência no uso do vocabulário, sem os recursos, a meu juízo, enfadonhos de escutar aqueles "né? " ( SIC) durante falas parecendo querer ganhar tempo pra raciocinar. . . Ademais, entrar numa disputa apenas pra obter visibilidade e, assim, pra garantir Vitória pra prefeitura, como fora pela mídia veiculada notícia, parece-me OPORTUNISMO logo, ...

Responder

0
0


caio - 14-01-2020 01:37:31

Nenhum candidato forte de esquerda... Difícil. O PT precisa se manifestar PRA ONTEM!!!!!!!!

Responder

5
7


Amtomo - 14-01-2020 13:04:38

PT está morto.Não sonha

Responder

2
6


Cesar - 13-01-2020 19:59:29

Meu voto é de Eliseu nascimento !!!

Responder

4
11


Carlos - 14-01-2020 08:09:13

Mas conhecido aqui no Vale do São Lourenço como BATORÉ.

Responder

3
0


Giorge - 13-01-2020 19:58:50

Desses aí conheço uns dois só

Responder

2
0


claudinei - 13-01-2020 19:57:39

A maioria é só firula, tá aí pra aparecer e depois concorrer a vereador pq a eleição já é em seguida

Responder

3
1


14 comentários

coluna popular
Impactos do Covid-19 no comércio
Alex Vieira Passos está cumprindo quarentena
Durante quarentena
Proteção à trabalhadores na linha de frente
Polêmica

Últimas Notícias
14.07.2020 - 22:30
14.07.2020 - 21:37
14.07.2020 - 21:23
14.07.2020 - 20:46
14.07.2020 - 20:17




Informe Publicitário