Fabrício Carvalho descarta possibilidade de disputar prefeitura de Cuiabá | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019

POLÍTICA Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019, 19h:31 | - A | + A




Muvuca Entrevista

Fabrício Carvalho descarta possibilidade de disputar prefeitura de Cuiabá

Maestro afirmou que o momento é de organizar o PDT


redacaomuvuca@gmail.com

 Maestro Fabrício Carvalho | Foto: Reprodução

Em entrevista exclusiva ao Muvuca Popular, o presidente do diretório municipal do PDT de Cuiabá, Maestro Fabrício Carvalho, afirmou que este ano o objetivo do partido é organizar a sigla internamente, e somente, no ano que vem será discutido os nomes que irão disputar a prefeitura de Cuiabá.

Entretanto, adiantou que considera o ex-juiz federal Julier Sebastião (PDT), o secretário Estadual de Cultura, Allan Kardec (PDT), e a ex-suplente de deputada federal Jusci Ribeiro (PDT) nomes de peso que podem ser candidatos do partido para concorrer ao Palácio Alencastro.

Conforme o maestro, apesar da indefinição de quem irá representar a sigla nas próximas eleições, já está definido que o partido terá candidatura própria na capital, pois foi uma determinação do PDT nacional.

Confira entrevista completa:

emanuelzinho: O seu nome foi cotado para disputar a prefeitura de Cuiabá. Você tem interesse em disputar o Palácio Alencastro?

Maestro Fabrício: Toda minha carreira está ligada a música e a questão da orquestra, sendo que essa é minha primeira experiência à frente de um partido e acho que a gente precisa ficar por dentro do que acontece internamente e aprender, sendo está a minha motivação. Este ano, especificamente, nós não vamos trabalhar a questão da candidatura para prefeitura, por duas razões, primeiro porque o partido precisa se reorganizar fiscalmente e precisamos montar uma chapa de vereadores e para isso precisamos descobrir quem são os pré-candidatos e formar essas pessoas naquilo que o PDT acredita e no que prega o partido, que é um ideal mais trabalhista, com vínculo popular. Outra coisa importante, a resolução nacional do PDT que foi feita no último congresso nacional, em março, determinou que nós teremos candidaturas próprias nas capitais, por essas duas razões que nós não estamos trabalhando nesse ano ainda as pré-candidatura para 2020. Primeiro que é uma certeza que nós já vamos ter, por uma determinação do diretório nacional e segundo que tem muito trabalho anterior para fazer de organização no diretório municipal.

emanuelzinho: Então só no ano que vem?

Maestro Fabrício: Sim, só no ano que vem a gente vai sentar para conversar sobre isso e vamos ter candidatura. Por vontade própria, muita gente está vindo e voltando para o PDT com esse proposito da gente construir uma candidatura, mas os nomes vamos deixar para o ano que vem.

emanuelzinho: Então, a própria pré-candidatura do ex-juiz Julier, que já assinalou que quer concorrer não vai ser discutida nesse ano?

Maestro Fabrício: Não, não será discutido. Assim como nós temos o Julier, temos a Jusci, o deputado Alan Kardec e vários nomes importantes. Essa é uma discussão que nós faremos internamente no ano que vem e depois vamos sentar para conversar com os partidos que tem alinhamento de ideias e ideais e esse ano é um ano muito dedicado à reorganização interna e a formação política dessa militância que tem pretensão de serem candidatos a vereadores e alinhar qual tipo de vereador que a gente quer para Cuiabá.

emanuelzinho: Você apontou três nomes para ser candidatos a prefeitura de Cuiabá? Mas vocês também destaca outros nomes?

Maestro Fabrício: Tem muitos nomes novos, tem o próprio professor Diogo Botelho, que é o nosso vice-presidente, tem a Miriam Calazans que é uma pedetista histórica que está voltando agora para o partido, o que me enche de orgulho e que me enche de admiração, primeiro pela competência técnica que tem e pela disponibilidade para ajudar o partido e certamente só um deles será o escolhido, mas será com muito critério, com muita disponibilidade porque não é uma tarefa fácil, mas tenho certeza que vamos ter a sabedoria para escolher.

emanuelzinho: Como vocês estão trabalhando para chamar novos filiados? Como o partido está se articulando em Cuiabá?

Maestro Fabrício: Nós tivemos uma reunião no último domingo do diretório municipal de Cuiabá e a gente estava discutindo essas questões que você levanta receber os novos filiados, receber as novas lideranças e de certa maneira trazer as lideranças que estavam no partido e estavam distanciadas por não se identificaram com a forma da condução do partido e estão voltando quando a gente propôs na minha tese para ser eleito presidente do diretório uma religação com as bases, com os movimentos sociais, com os movimentos de bairro e trazer o PDT para a linha de chão. De novo como é a sua formação original desde Brizola e Darci Ribeiro e Cristovam Buarque e tantos outros, ter um pensamento elaborado em questão de polícias públicas, mas fundamentalmente ter uma ligação com as pessoas, porque é lá no chão do bairro que a coisa pega e as pessoas precisam de políticas públicas. A gente está fazendo esse movimento de buscar essas pessoas, receber e cuidar da formação.

emanuelzinho: E como será feito no estado?

Maestro Fabrício: Nós teremos eleições agora em setembro. Então, a ideia é também construir na mesma linha do que foi feito em Cuiabá, de retomar uma conversa com os municípios, nós temos hoje oito prefeitos, nós temos mais de 80 vereadores, ou seja, não é um partido pequeno em nível estadual. Temos o vice-governador, temos o secretário de Cultura e Esporte, temos um protagonismo importante. E a ideia é também fazer um movimento de conversar com os municípios e fazer uma grande convenção agora para realinhar e partir para as eleições do ano que vem e tentar fazer o máximo possível de vereadores e prefeitos com qualidade, com ligação com o PDT e com o que a gente acredita para uma sociedade mais equilibrada.

emanuelzinho: Outro ponto importante é garantir a participação da juventude. Como vocês estão trabalhando para trazer os jovens para o partido?

Maestro Fabrício: No diretório nós temos algumas secretarias relacionadas a esses assuntos, juventude, mulheres, negros e indígenas. Diversidade é uma questão que a gente trabalha muito. A Darlene é uma indígena, a primeira mestre indígena no Brasil, e além dela tem outros que vieram comigo para o partido e me emociona. E a Darlene já começou a fazer um movimento com as nações indígenas que estão em Cuiabá para gente começar a discutir e ter candidatos indígenas. Na juventude a gente tem o José Ricardo, um menino novo da militância estudantil e junto com o Bili na Secretária de Cultura faz um trabalho para trazer e discutir política com a moçada, com esses jovens que as vezes são guerrilheiros de Facebook, opinando em tudo, mas as vezes sem muita concepção dos assuntos, e a gente quer tratar justamente com essas pessoas. Então, temos sim um movimento muito forte de trazer a juventude, capacita-los, informa-los e dividir com eles um pouco do conhecimento que a gente tem. Da mesma forma as mulheres, gays, lésbicas, transexuais. Esse ano que não vamos falar de prefeitura e o ano de falar dessas bases teóricas e de formar essas pessoas e ajuda-las e que elas nos ajudem a montar uma tese bacana para Cuiabá 2020.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários