Governo do Estado irá renunciar R$6,3 bilhões em receitas que tem direito  | MUVUCA POPULAR

Domingo, 19 de Janeiro de 2020

POLÍTICA Segunda-feira, 13 de Janeiro de 2020, 08h:22 | - A | + A




RENÚNCIA FISCAL

Governo do Estado irá renunciar R$6,3 bilhões em receitas que tem direito

Valor da renúncia em 2020 seria suficiente para construir 10 estádios


redacaomuvuca@gmail.com

Palácio fachada foto.jpg

 Foto: reprodução 

O governo de Mato Grosso vai renunciar ao longo de 2020 R$ 6,3 bilhões em receitas que tem direito de receber, apesar do orçamento estar com deficit de R$ 572,4 milhões para este ano.

A renúncia seria menor, mas os deputados derrubaram o veto do governo e o Estado terá que cumprir todos os contratos do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic), alvo de polêmicas pelo que a gestão atual classifica de injustiça tributária e por conta dos casos de corrupção.

Só de ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação) o Estado vai renunciar uma receita na ordem de R$ 5,5 bilhões.

No caso do IPVA (Imposto sobre Propriedades de Veículos Automotores) a renúncia vai chegar a R$ 163,5 milhões em 2020. Já no ITCD (Imposto sobre Transmissão Causa Mortis e Doação) a renúncia será de R$ 20,1 milhões.

Quanto às taxas cobradas pelo governo para realização de serviços, como a confecção de Registro Geral (RG), a renúncia será de R$ 23 milhões.

Para receber dívidas antigas o governo também precisa renunciar a juros e multas e isso custará ao Estado menos R$ 604,3 milhões nos cofres no ano de 2020.

O valor da renúncia em 2020 seria suficiente para construir 10 estádios como a Arena Pantanal.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Mauro - 13-01-2020 10:26:37

Resumo do governo Mauro Mendes: (1) aumentou o preço das mercadorias no varejo, inclusive álcool e alimentos; (2) congelou reajuste do funcionalismo; (2) reduziu as aposentadorias com taxação extra; (3) reduziu o orçamento da educação; (4) favoreceu megaempresários elevando os incentivos fiscais para R$6,3 bilhões/ano; (4) aumentou a carga tributária; (5) dá mais orçamento para segurança que para a saúde; (6) aumentou orçamento dos poderes; (7) aumento da fiscalização no trânsito para arrecadar em cima dos motoristas.

Responder

3
0


alex r - 13-01-2020 08:30:25

Estado quebrado sei.... Fácil deputados serem a favor qdo o duodécimo deles esta garantido!

Responder

5
0


2 comentários

coluna popular
ALMT estará em manutenção
Ator caiu em um golpe e teve o celular roubado
Carreira medíocre
Um tal de Gilberto
Rondonópolis é apontada como uma das bases

Últimas Notícias
19.01.2020 - 19:02
19.01.2020 - 18:52
19.01.2020 - 14:45
19.01.2020 - 11:12
19.01.2020 - 11:00




Informe Publicitário