Justiça nega pedido de Arcanjo e bicheiro continua réu  | MUVUCA POPULAR

Sexta-feira, 10 de Abril de 2020

POLÍTICA Sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2020, 16h:15 | - A | + A




Lavagem de Dinheiro

Justiça nega pedido de Arcanjo e bicheiro continua réu

Acusado de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Reprodução

A juíza da Sétima Vara Criminal, Ana Cristina Silva Mendes, negou pedido do ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro e manteve a decisão que o tornou réu por suposta participação no esquema que desviou milhões da Assembleia Legislativa (AL/MT). Arcanjo é acusado de praticar crime de lavagem de dinheiro e formação de quadrilha ou bando.

A defesa de João Arcanjo interpôs Recurso em Sentido Estrito contra a decisão de indeferiu o pedido de desconsideração incidental da extensão da extradição, bem como do não Reconhecimento da Prescrição da Pretensão Punitiva.

No pedido, a defesa alegou que houve a violação de direito fundamental ao ser deferido a extensão da extradição do acusado, sem ter sido oportunizado vista à defesa, desrespeitando o princípio do contraditório e da ampla defesa.

Ao final, a defesa do ex-bicheiro requereu provimento do Recurso, a fim de desconsiderar o pedido de extensão da extradição do acusado em relação à Ação Penal, procedendo-se a renovação do ato, garantindo o direito ao contraditório e a ampla defesa.

Em sua decisão, publicada no Diário da Justiça Eletrônico (DJE), a juíza Ana Cristina Silva, disse que os argumentos trazidos no Recurso não traz o condão de modificar o entendimento deste Juízo, e desta forma manteve a decisão que estendeu a extradição dele, emanada pelas Autoridades Uruguaias, o tornando réu para responder pelos crimes imputados acima.

Importante destacar que o processo é oriundo da Operação Arca de Noé, deflagrada pela Polícia Federal em 2002, para desarticular esquemas fraudulentos na AL/MT. Os desvios teriam ocorrido quando a Mesa Diretora da Assembleia era presidida por José Riva e Humberto Bosaipo, e que cheques emitidos pela Confiança Factoring Fomento Mercantil, de propriedade do grupo de João Arcanjo Ribeiro, teriam dado “suporte” ao suposto esquema. 

Além de Arcanjo, foram denunciados ainda o ex-chefe de gabinete de José Geraldo Riva, Geraldo Lauro, Joel Quirino Pereira, José Quirino Pereira e Nilson Roberto Teixeira (ex-gerente da factoring de Arcanjo). 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

COMENTÁRIOS

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

comentários

coluna popular
Assessor de Jayme Campos
Não está de olho em reeleição
Intuito é que a população monitore contaminados
Pesquisa foi divulgada pela UFMT
Partido se prepara para eleições

Últimas Notícias
09.04.2020 - 21:54
09.04.2020 - 20:51
09.04.2020 - 20:27
09.04.2020 - 19:18
09.04.2020 - 18:50


Carlos Fávaro (PSD)

Coronel Rúbia (Patriota)

Elizeu Nascimento (DC)

Gisela Simona (Pros)

José Medeiros (Podemos)

Júlio Campos (DEM)

Nilson Leitão (PSDB)

Otaviano Piveta (PDT)

Procurador Mauro (PSOL)

Reinaldo Morais (PSC)

Valdir Barranco (PT)

(Nenhum deles)

Feliciano Azuaga



Informe Publicitário