Liderança indígena promete defender território contra CPI de José Medeiros  | MUVUCA POPULAR

Domingo, 25 de Agosto de 2019

POLÍTICA Quinta-feira, 07 de Fevereiro de 2019, 11h:01 | - A | + A




Povos indígenas

Liderança indígena promete defender território contra CPI de José Medeiros

Lúcio Xavante afirmou que os povos indígenas serão prejudicados com CPI de Medeiros

(redacaomuvucapopular@gmail.com)
Redação

mmm.jpg

 


 

Em entrevista ao site emanuelzinho, o assessor da Federação dos Povos e Organizações Indígenas de Mato Grosso (FEPOIMT), Lucio Xavante, explicou por que a criação da comissão parlamentar de inquérito (CPI) proposta pelo Deputado Federal José Medeiros (PSD), que visa investigar o processo de demarcação de Marãiwatsédé, vai afetar os povos indígenas.  

“O processo já foi encerrado perante o STF. Todo o processo está dentro da legalidade conforme a constituição de 1998. O território já foi devastado pelos não-indígenas que viviam lá, e agora o parlamentar quer criar a CPI para tirar os indígenas de lá”, declarou.  

Lucio ainda afirmou que a comunidade já está tomando medidas de defesa para proteger o território que é tradicional do povo Xavante. No entanto, ele espera que a CPI não seja aprovada, pois várias terras indígenas já têm seu território ameaçado.  

“A gente espera que essa CPI não aconteça, por que ela pode trazer um grande retrocesso para essas comunidades. É uma questão de vida também, alguns indígenas de Mato Grosso já têm seu território e suas reservas ameaçadas”, afirmou.  

Por fim, a liderança indígena declarou que se a CPI for instaurada, os indígenas vão defender os seus direitos e a comunidade. “Prometemos que vamos defender nossos direitos garantidos na Constituição”, disse.  

Entenda o caso

O deputado federal José Medeiros propôs uma CPI para investigar o processo de demarcação de Marãiwatsédé/ Suiá Missú que aconteceu entre 2012 e 2013, em Mato Grosso. Ele quer contraprovas e análises periciais dos laudos antropológicos que embasaram a retirada dos 165 mil hectares da posse de pequenos produtores rurais para transformar em terra indígena.  

Para o parlamentar, a pauta indígena foi pano de fundo para muita gente alimentar seu fanatismo ideológico durante os governos do PT. Medeiros ainda alegou que a retirada dos produtores rurais foi ignorada por muitos representantes públicos.  

O deputado pretende descobrir tudo que envolveu essa demarcação, inclusive se haviam interesses internacionais e a provável interferência de ONGs nacionais e internacionais.

Demarcações 

Entre os anos de 2012 e 2013, 97 famílias foram retiradas da terra Xavante após decisão judicial do Supremo Tribunal Federal (STF) que determinou a imediata retirada dos não-índios do local. Na época, um grupo, que era contra a retirada dos posseiros, passaram a atrapalhar o processo para liberar a área e tentaram por diversas vezes reocupar as terras.

Os denunciados teriam formado uma ‘organização’ que cometeu diversos crimes, entre eles ameaças contra policiais rodoviários e militares que trabalhavam na retirada dos posseiros, invasão e destruição de uma sede da Fundação Nacional do Índio (Funai) e diversas ameaças a líderes que apoiavam a causa indígena na região do Araguaia.   

Rodovias foram bloqueadas, carros oficiais destruídos e ocorreram conflitos entre os posseiros e policiais. Uma operação da Polícia Federal, em agosto de 2014, prendeu os principais líderes do grupo.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(4) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Paulo - 07-02-2019 12:29:13

Apesar que ninguém é dono de fato dessas terras tem que investigar mesmo, tem muito índio mala nesse Brasil

Responder

2
7


Olavo - 08-02-2019 01:30:58

É isso mesmo índio quer cobrar pedágio então Não é índio pau neles...

Responder

0
1


Vini - 07-02-2019 12:28:10

Com tanta coisa para esse Medeiros se preocupar ele esta querendo enfrentar os índios? qual a importância? deixa os índios em paz

Responder

8
1


Tombo - 07-02-2019 12:27:03

Imagino a guerra que isso não irá virar

Responder

6
0


4 comentários