Mato Grosso pode firmar parcerias para produzir commodities sem desmatamento  | MUVUCA POPULAR

Domingo, 20 de Outubro de 2019

POLÍTICA Quarta-feira, 10 de Julho de 2019, 15h:37 | - A | + A




Redução da emissão de carbono

Mato Grosso pode firmar parcerias para produzir commodities sem desmatamento

Proposta foi apresentada pela organização Tropical Forest Alliance (TFA), responsável pela redução da degradação ambiental


redacaomuvuca@gmail.com

Embora várias empresas e países tenham se comprometido em reduzir suas emissões de carbono até o ano de 2020, muitos ainda não o fizeram e estão à procura de um local apropriado para concretizar o projeto. Neste cenário, Mato Grosso, por sua dimensão, produção e valor ambiental, é um forte candidato a firmar parcerias com quem queira negociar este tipo de redução.

Este foi o motivo da visita, na segunda-feira (08), da coordenadora regional da Tropical Forest Alliance (TFA) para a América Latina, Fabíola Zerbini, ao governador Mauro Mendes. Segundo a assessora de Assuntos Internacionais de Mato Grosso, Rita Chiletto, a percepção do Governo é a de que a TFA pode se tornar uma eficiente articuladora de parcerias para o Estado, estimulando agricultura, pecuária e reflorestamento de áreas degradadas, entre outras iniciativas.

“Como o governador Mauro Mendes foi claro ao afirmar que sustentabilidade continua sendo pauta de Estado, Fabíola Zerbini não só se conscientizou de que Mato Grosso tem firme este objetivo, como ainda se colocou como articuladora de parcerias e divulgadora de Mato Grosso para o mundo”.

A coordenadora do TFA para América Latina também apresentou propostas e convites internacionais para o governador, a serem avaliados. “Serão ocasiões em que Mato Grosso poderá apresentar todo o seu potencial ambiental e econômico, para conquistar parcerias indutoras de negócios, investimentos, troca de experiências técnicas e tudo que possa trazer para este estado a garantia de uma produção sustentável, que hoje não é apenas um discurso, mas uma prática”.

Como exemplo desta prática, ela cita os programas Page (firmado com cinco agências da Organização das Nações Unidas – ONU), REM (coordenado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente – Sema), Estratégia PCI (que se estrutura para se transformar em um instituto catalizador de recursos para ações de sustentabilidade) e Assessoria Internacional, cujo papel é buscar parcerias internacionais.      

O TFA 2020

O Tropical Forest Alliance 2020 (TFA 2020) é uma parceria público-privada global na qual os parceiros adotam ações voluntárias, individualmente e em conjunto, para reduzir o desmatamento tropical associado ao abastecimento de commodities como óleo de palma, soja, carne, polpa e papel.

Agindo desta forma reduzem-se significativamente as emissões globais de gases de efeito estufa, melhoram os meios de vida de milhões de pequenos agricultores, conservam-se os habitats naturais e protegem-se as paisagens tropicais para as gerações futuras. Trata-se de um aspecto-chave da promoção de um desenvolvimento econômico rural inclusivo e sustentável e nos países com florestas tropicais.

O TFA 2020 detém uma posição única para fomentar colaborações intersetoriais baseadas no entendimento comum e cada vez mais aprofundado das barreiras e oportunidades associadas às cadeias de suprimento sem desmatamento.

Seu maior oferecimento é a parceria com campeões de economias globais e locais que não requerem desmatamento, demonstrando cadeias de suprimentos sustentáveis como caminhos eficazes para uma economia melhor e para a realização dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (SDGs).

O TFA 2020 e seus países parceiros, empresas e organizações da sociedade civil trabalham em conjunto para:

Melhorar o planejamento e gerenciamento relacionados à conservação de florestas tropicais, uso de terras agriculturáveis e posse da terra;

Compartilhar as melhores práticas para a conservação de florestas, ecossistemas tropicais e produção de commodities, incluindo trabalho com pequenos agricultores e outros produtores na intensificação da agricultura sustentável, promover o uso de terras degradadas e de reflorestamento;

Fornecer experiência e conhecimentos para assistir no desenvolvimento de mercados de commodities e de commodities processadas que promovam a conservação de florestas tropicais;

Aprimorar o monitoramento do desmatamento tropical e degradação florestal para medir seu progresso.

A TFA foi fundada em 2012, durante a Conferência Rio +20, e atualmente é formada por 81 membros, incluindo 10 governos e 30 empresas. Seu secretariado global está baseado no Fórum Econômico Mundial, em Genebra (Suíça). Um de seus integrantes é a Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Floresta, do qual Mato Grosso é membro fundador desde 2008.  

Participaram também da audiência, o secretário da Casa Civil, Mauro Carvalho; a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti; o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda; e o diretor-executivo da Estratégia PCI, Fernando Sampaio.  

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Paula - 11-07-2019 10:33:47

Vamos cooperar minha gente começamos pela nossa casa

Responder

0
0


Diego - 11-07-2019 10:31:33

Parece ser um bom trabalho

Responder

0
0


2 comentários