Mendes critica Emanuel por frota de ônibus reduzida em Cuiabá | MUVUCA POPULAR

Sexta-feira, 05 de Junho de 2020

POLÍTICA Quinta-feira, 02 de Abril de 2020, 19h:17 | - A | + A




Apenas 30%

Mendes critica Emanuel por frota de ônibus reduzida em Cuiabá

Prefeito rebateu dizendo está apenas cumprindo com as recomendações do Ministério da Saúde


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Reprodução

O governador do Estado, Mauro Mendes (DEM) criticou a decisão do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (MDB), de deixar apenas 30% dos ônibus em circulação na Capital. A declaração foi dada em uma entrevista no Jornal do Meio Dia, da TV Vila Real nesta quinta-feira (2).

Segundo Mendes, a medida não ajuda no combate ao novo coronavírus (Covid-19). "Deixar 30% dos ônibus está piorando a situação da cidade de Cuiabá", afirmou o governador ao argumentar buscando por uma maior circulação principalmente nos horários de pico dos usuários.
Além disso, Mendes relembrou ainda que o primeiro decreto de Emanuel suspendeu totalmente a circulação dos ônibus. Foi necessário o Governo do Estado entrar na Justiça para garantir uma frota mínima de 30%.

"Vamos analisar a sensatez, a prudência das medidas. O que o Governo diz? Já que nós temos que distancia pessoas, transporte coletivo municipal só pode funcionar com pessoas sentadas. Então não pode ter aquela aglomeração. Para evitar contaminação. As pessoas não ficarem trombando umas nas outras. Não é recomendado nesse momento. Aí o prefeito diz: 'suspende o transporte coletivo na cidade de Cuiabá'. Nós entramos na Justiça falando: 'olha gente, isso não é razoável'. Nós temos de 30 a 35% de profissionais da saúde que precisam andar nos ônibus. Nós temos profissionais da segurança pública que precisam andar nos ônibus", disse.

Foi necessária decisão judicial do juiz plantonista Onivaldo Budny para que 30% dos ônibus fossem garantidos nas ruas. "Se você para os ônibus completamente vai criar um caos de abastecimento. Vai criar um transtorno gigante para serviços essenciais funcionarem e decreto federal proíbe isso".

Dias depois da Justiça garantir o mínimo de circulação, conforme levantamento apresentado pela Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob), houve uma queda de 91% no número de usuários transportados.

O problema para muitos é que, com a diminuição da frota, a aglomeração dos poucos que ainda precisam do transporte coletivo possibilita a propagação do coronavírus.

A prefeitura se manifestou da seguinte forma:

A decisão quanto à suspensão do transporte público, adotada pela Prefeitura de Cuiabá, para o período de 23 de março a 5 de abril, atende a recomendações do Ministério da Saúde de que o isolamento social é uma das principais ferramentas para evitar a disseminação do novocoronavírus.

A Prefeitura de Cuiabá, anteriormente a duas decisões judiciais versando sobre a liberação de um terço da frota para atendimento, já estudava plano de atendimento aos profissionais da saúde e de serviços essenciais (limpeza urbana da cidade).

Oportuno esclarecer que todas as iniciativas implementadas – por mais drásticas que sejam nesse momento - visam resguardar e proteger vidas.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

alex r - 03-04-2020 08:03:59

Esta claro que os 2 faltam com a verdade... Um quer minimizar os prejuízos da empresa de ônibus vendo que diminuiu o número de passageiros e assim assegurar a quarentena... Já o outro quer criticar por criticar alfinetando por ser período pré eleitoral...

Responder

0
0


1 comentários

coluna popular
Fiscalização continua
Assintomático e isolado em casa
Ninguém quer assumir
Números não param de subir
Presidente do PV é cotado à prefeitura de Cuiabá

Últimas Notícias
05.06.2020 - 21:46
05.06.2020 - 20:06
05.06.2020 - 19:43
05.06.2020 - 19:40
05.06.2020 - 19:34




Informe Publicitário