Mendes lembra que sem FEX Estado segue na "corda bamba" | MUVUCA POPULAR

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019

POLÍTICA Sexta-feira, 19 de Abril de 2019, 08h:24 | - A | + A




SEM DINHEIRO

Mendes lembra que sem FEX Estado segue na "corda bamba"

O governador Mauro Mendes (DEM) revelou que promessa de pagamento do FEX  atrasado de 2018 apenas após Reforma da Previdência deixa Estado na "corda bamba". A declaração dele aconteceu logo depois da marcha dos prefeitos em Brasília, nesta semana.

"O ministro Paulo Guedes garantiu que paga este ano R$ 500 milhões de 2018, mas depois da previdência, quer dizer então que não vai garantir, assim na “corda bamba” né.

O democrata lembra de propostas que estão na união, mas que até o momento não sairam do papel e não estão no caixa do executivo.

"A união concordaria com R$ 10 bilhões, colocaria na lei por ano que Mato Grosso passaria a receber R$ 1 bilhão e cem, quer dizer, esses 1 bilhão e cem mais R$ 500 milhões, não estão na conta do Estado”, disse em entrevista a Rádio Capital, nesta semana.

Mendes afirma que se o recurso de R$ 500 milhões que está atrasado entrar vai auxiliar a pagar o atrasado que existe com os fornecedores de forma mais rápida, já que o Estado deve quase R$ 4 bilhões. 

"O Estado deve um valor gigantesco dessa dívida de R$ 3 bilhões e 500 milhões, então se entrar R$ 400 milhões, 390 e pouco, seria a parte do estado de Mato Grosso, isso nos ajudaria um pouquinho a regularizar, tanto a dívida que o estado tem com os município na área da saúde, com os nossos fornecedores, fornecedores de medicamento, com equipes médicas que trabalharam em todo o estado prestando serviço, e que lamentavelmente não foi pago no ano de 2018", explica.

No entanto, ele destaca que o recurso ainda é pequeno para arcar com as dívidas. Por isso, ele chama atenção para que o cidadão acompanhe suas redes sociais, pelo fato de postar a prestação de contas mês a mês para que todos tenham conhecimento.

"Tivemos o cuidado, a nossa equipe elaborou aquilo lá com muito critério, para ficar muito simples do cidadão entender quanto que o Estado arrecada, quando que nós mandamos para a Assembleia Legislativa, e é obrigatório mandar para os poderes, para a Assembleia, para o Tribunal de Justiça, Ministério Público, quanto que nós mandamos para os municípios, quanto que o Estado usa para pagar a dívida, ou seja, em poucas linhas, o cidadão consegue entender o que é feito com o dinheiro que é arrecadado e quanto que está sobrando ou faltando no final do mês, então".

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

alexandre - 19-04-2019 13:37:24

Cortar os duodécimos que é bom, nada...

Responder

4
0


Carlos Nunes - 19-04-2019 09:35:14

Pois é, a Lei Kandir que se relaciona com o FEX, foi criado em 1.996, no Governo do FHC...de lá pra cá passaram Lula, Dilma, Temer...e no Estado de Mato Grosso diversos Governadores, Senadores, Deputados Federais...e ninguém se preocupou em mudar, modificar, melhorar, a Lei e o FEX pra Mato Grosso. Ninguém pensou nisso? E o Blairo Maggi, que enriqueceu com o Agronegócio, com Lei Kandir, nunca se preocupou em melhorar o negócio a favor do Estado? Foi Governador, Senador, Ministro, e nada? As riquezas que são produzidas usando o solo mato-grossense, tem que ser repartidas por aqui. Temos que pegar um percentual desses Bilhões de reais...de 1.996 a 2019 são 23 anos, onde muitos encheram o bolso, ficaram mais milionários. Nem tio Taques, como Senador e Governador, moveu uma palha pra melhorar o negócio...teve 4 anos no Senado, 4 anos no Governo...e nada?

Responder

8
0


2 comentários