Pesquisa sobre o novo coronavírus resulta na prisão de 55 pessoas  | MUVUCA POPULAR

Domingo, 07 de Junho de 2020

POLÍTICA Sexta-feira, 22 de Maio de 2020, 07h:50 | - A | + A




Covid-19

Pesquisa sobre o novo coronavírus resulta na prisão de 55 pessoas

Colaboradores foram alvos da truculência policial e de “fake news”


redacaomuvuca@gmail.com

Corona

 

Mato Grosso registra 55 prisões de pesquisadores que atuam na primeira fase de pesquisa para levantar a evolução dos casos de covid-19 no país, financiada pelo Ministério da Saúde (MS). As 4 últimas ocorreram em Cuiabá, na quinta-feira (21). Coordenada pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e aplicada por pesquisadores do Ibope Inteligência, a primeira fase, que transcorreu entre 14 e 21 de maio, ficou inviabilizada em 4 das 5 cidades em que deveria ocorrer: Cuiabá, Barra do Garças, Sinop, Rondonópolis e Cáceres. A pesquisa abrange 133 municípios brasileiros com realização de cerca de 100 mil testes.

Segundo Renato Neri, coordenador da pesquisa no Estado, os colaboradores trazidos de outros estados a Mato Grosso foram alvos da truculência policial e das “fake news”, que colocaram parte da população contra eles. Algumas notícias falsas diziam que os pesquisadores tinham o objetivo de contaminar os entrevistados com o coronavírus. A única cidade em que a pesquisa conseguiu avançar foi Cáceres, apesar da prisão de 15 colaboradores do Ibope por lá. Mas, após as prisões, o prefeito pessoalmente se empenhou e possibilitou que a pesquisa fosse concluída. Em Rondonópolis, foram 5 prisões e a pesquisa ficou inviabilizada pela administração municipal que, com grande burocracia, tornou impossível a coleta de dados e amostras de sangue.

Em Barra do Garças, a situação foi muito pior, afirma Neri. Ao todo 16 pesquisadores foram presos e, ao contrário do que ocorreu nas demais cidades, os pesquisadores foram todos autuados em Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) e responderão pelos artigos 132, 268 e 47 do código penal, acusados de colocar em risco a saúde da população e por atuarem sem a presença de profissional de saúde. Todo material apreendido foi contaminado e perdido, e os tabletes usados pelas equipes só serão entregues na próxima semana. Em Sinop, foram 15 prisões e o trabalho não foi realizado.

Lamenta as situações constrangedoras pela qual passaram os profissionais, que inclusive tiveram as imagens expostas na mídia, tratados como criminosos. Lembra ainda dos prejuízos aos cofres públicos, já que o financiamento é do próprio Ministério da Saúde. Em Cuiabá, a delegada Jannira Laranjeiras, da Central de Flagrantes, recebeu a ocorrência trazida pelos policiais militares, que fizeram a detenção dos pesquisadores no bairro CPA 1. Ela disse que teve dificuldade em obter, na própria Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a confirmação de que se tratava de pesquisa autorizada. Em um primeiro momento, foi alegado desconhecimento, só mais tarde conseguiu a informação de que o município tinha conhecimento do trabalho.

Com informações do Jornal A Gazeta 

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

jose a silva - 22-05-2020 08:22:16

E o que está de errado aí? Não houve divulgação, nenhuma informação. Hoje em dia, com mais golpistas na praça do que gente, foi a atitude correta! Quem deveria pagar também, é quem promoveu esse tipo de palhaçada! Caboquinho chega na sua casa, com algum tipo de vestimenta ou documento de apresentação (viram os crachás desse povo?) e acham que tem passe livre? A sociedade está arisca e tem que ser assim mesmo!

Responder

2
0


Carlos Nunes - 22-05-2020 08:11:20

Pois é, nem pesquisar CORONAVÍRUS pode mais? Ué. Agora querem fazer uma Norma onde ninguém será RESPONSABILIZADO pelas mortes ocorridas, ou que vão ocorrer, pelo CORONAVÍRUS. Ninguém vai ser responsabilizado? A gente lendo várias matérias no Google, assistindo vários vídeos no Youtube, sabe que o tal do Protocolo de Tratamento, divulgado pela OMS, e aplicado no Brasil, pelo tio Mandetta, e outros...TÁ FURADO. A mortandade pelo mundo e no Brasil...é consequência de Protocolo de Tratamento ERRADO...que Governadores, Prefeitos, copiaram. De CORONAVÍRUS mesmo, nem OMS, nem Governadores e Prefeitos entendem BULHUFAS. Se fosse bom não morria...Medicina Boa SALVA...Medicina Ruim MATA. Exemplo> Enquanto o médico judeu, Dr. ZELENKO, já descobriu a fórmula pra curar do coronavírus, utilizando a HIDROXICLOROQUINA + AZITROMICINA + SULFATO DE ZINCO...aqui no Brasil, tão descutindo Usa ou não Usa a HIDROXICLOROQUINA...naquela de quem nasceu primeiro o ôvo ou a galinha...enquanto discutem...o povo morre, uai. A fórmula do Dr. ZELENKO foi exposta no vídeo> Rudolph Giuliani entrevistou o médico Dr. ZELENKO que tratou cerca de 500 pacientes com Covid-19. No último sábado, considerando que esse vídeo é mais antigo, o DR. MARCOS DA AMAZÔNIA atualizou os dados...disse> Dr. ZELENKO já curou mais de 2 mil pessoas com essa método de tratamento. O que o Ministério da Saúde tá esperando pra procurar o Dr. ZELENKO pra ele implantar esse método no Brasil? Ele já tem experiência prática nisso...sabe todos os efeitos colaterais da HIDROXICLOROQUINA e como evitá-los.

Responder

2
2


2 comentários

coluna popular
Quatro servidores foram contaminados com Covid-19
Thelma de Oliveira diz que não irá se afastar
Nota de Pesar
Fiscalização continua
Assintomático e isolado em casa

Últimas Notícias
06.06.2020 - 18:36
06.06.2020 - 18:33
06.06.2020 - 15:10
06.06.2020 - 15:01
06.06.2020 - 12:23




Informe Publicitário