Pivetta comete mesmo crime eleitoral que tirou Selma do Senado | MUVUCA POPULAR

Quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020

POLÍTICA Quinta-feira, 23 de Janeiro de 2020, 22h:30 | - A | + A




Contratou Antero

Pivetta comete mesmo crime eleitoral que tirou Selma do Senado


redacaomuvuca@gmail.com

 

O vice-governador Otaviano Pivetta (PDT) contratou o ex-senador Antero Paes de Barros para tocar sua campanha ao Senado.

Informações de bastidores afirmam que Antero deve assumir o pacote completo da campanha e incluir serviços de coordenação de marketing, assessoria de imprensa, produtora, pesquisas e redes sociais.

O valor do contrato ainda não foi divulgado, porém já existem rumores de que com esse fato o pré-candidato ao Senado já comete um crime eleitoral por abuso de poder econômico, já que o início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão para eleição suplementar ao Senado em Mato Grosso começa no dia 23 de março. Trinta e quatro dias antes do pleito que será no dia 26 de abril, segundo calendário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Antes disso, é proibida e considerada crime eleitoral.

Se o fato se comprovar, Pivetta corre risco de perder a cadeira antes mesmo de entrar na disputa para assumir um possível mandato.

A vaga é justamente para preencher a cadeira deixada pela ex-senadora Selma Arruda (Podemos), que foi acusada pelo mesmo motivo (abuso de poder econômico) e caixa dois durante as eleições de 2018.

Denúncias apontaram que Selma recebeu um empréstimo de seu suplente, o fazendeiro Gilberto Possamai, no valor de R$ 1,5 milhão — a soma não foi informada à Justiça Eleitoral. Com este valor, a magistrada contratou empresas de pesquisas e de marketing antes do início formal da campanha.

Para a acusação, trata-se de "caixa 2" e de abuso de poder econômico, pois ela teria antecipado o início da disputa eleitoral. Já a defesa da senadora alega que não se tratava de atos de campanha, e que os gastos não precisavam ser declarados.

Já a lei eleitoral, permite que candidatos recorram a empréstimos, desde que estes sejam concedidos por instituições financeiras ou que sejam oferecidas garantias pelo candidato. E, conforme o alvo da denúncia de Selma, ela não seguiu nenhuma das condições.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(7) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos Nunes - 24-01-2020 16:37:10

Na verdade, tal como a Juíza SELMA, não tá cometendo crime nenhum...ANTES que ocorra a Convenção Partidária e o registro da Candidatura não é absolutamente candidato a NADA...é só vice-governador...ou só um simples eleitor. O Código do Consumidor diz que...um cidadão comum pode contratar Quem quiser, é uma relação entre um cidadão e um profissional. Só não pode pedir votos, divulgar pesquisas eleitorais, etc. Aliás, neste momento tem uma porção de partidos, e prováveis candidatos ao Senado, fazendo pesquisas pra ver preferência do eleitor sobre o Senado...é o que os partidos chamam de "pesquisas internas".Já o pagamento do serviço prestado pelo Antero, ou outro qualquer, deve ser em cheques, e não por mala de dinheiro, a fim de que a Receita Federal examine, na época oportuna, e verifique se deve ou não cobrar Imposto de Renda. A Juíza fez tudo isso...quando não era ainda candidata a nada, nem a porteira de cemitério. Não é um caso pra Justiça Eleitoral investigar. Ela só entra na estória...DEPOIS que ocorrer a Convenção Partidária, que escolherá o candidato oficialmente, e o candidato registrar a candidatura no TRE...Deve analisar tudo o que acontecer da data do registro até a contagem final dos votos, que lhe dará a vitória ou a derrota. Comparativamente, é o mesmo caso da possível reeleição do atual Prefeito de Cuiabá, que tá usando a máquina pública municipal, o marketing político da Prefeitura, em seu benefício...e ninguém pode impedir isso, pois ele oficialmente não é candidato à reeleição nenhuma...pois nem ocorreu a Convenção Partidária pra definir isso, nem houve registo da candidatura no TRE. No caso da Juíza, passaram a carroça na frente dos burros, traduzindo: fizeram um Processo acusatório, pedindo a cassação, de fatos que aconteceram quando ela nem era candidata ao Senado, nem podia ser. A não ser que Convenção Partidária, e registro da candidatura no TRE, não valha mais bulhufas. Se for isso, tem que investigar tudo o que os prováveis candidatos a Prefeito de Cuiabá, e seus partidos, tão fazendo de pesquisas, consultando marqueteiros...que pelo menos eles tenham o bom senso de fazer tudo legalmente com movimentação bancária, cheques, etc. E não com malas de dinheiro, por debaixo do pano. A Juíza SELMA fez dois empréstimos pessoais em Abril e Julho/2018, tudo foi depositado em sua conta, não escondeu nada...a Convenção Partidária que a escolheu como candidata aconteceu em Agosto/2018, e o registro da candidatura depois...entretanto, por ela ter feito esses empréstimos, a trataram como criminosa. Como se não pudesse fazer empréstimo, quando nem era candidata a nada. A Receita Federal diz que qualquer pessoa pode fazer empréstimos em Instituições Bancárias, ou com parentes, amigos ou conhecidos. Como ela não era ainda candidata a nada, quando fez os empréstimos, não tinha obrigação de pedir permissão, prestar contas ao TRE, de forma alguma.

Responder

4
1


Rafael - 24-01-2020 09:37:20

Que matéria cheia de mistério

Responder

0
2


Feippe - 24-01-2020 09:31:49

Todos sabem dos Crimes desses políticos e a justiça é Cúmplices e o povo não sabe votar

Responder

4
0


Marcio Pereira - 24-01-2020 09:29:23

Agora e assim? descaradamente DANOSE ,cade a JUSTIÇA. PIVETTA NÃO

Responder

4
0


Deiane - 24-01-2020 09:28:43

Isso não é proibido não? Ele não tinha que estar preso?

Responder

4
0


Abadia - 24-01-2020 09:27:39

É tudo a mesma coisa, pode reparar não tem jeito não

Responder

4
0


alexandre - 24-01-2020 08:55:06

O TRE nada Vê..

Responder

5
0


7 comentários

coluna popular
Parlamentar é acusado por tráfico de drogas
Grupo protesta contra “Parlamentarismo branco”
Prefeito de Cuiabá tem surpresa positiva
Dedicada aos trabalhos sociais
Audiência pública debate regularização fundiária

Últimas Notícias
26.02.2020 - 18:29
26.02.2020 - 18:10
26.02.2020 - 16:26
26.02.2020 - 15:37
26.02.2020 - 14:56




Informe Publicitário