Prefeito vira exemplo após reduzir 20% do próprio salário para driblar crise financeira | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 23 de Setembro de 2019

POLÍTICA Sábado, 24 de Agosto de 2019, 08h:00 | - A | + A




Servidores Priorizados

Prefeito vira exemplo após reduzir 20% do próprio salário para driblar crise financeira

Altair Marques do Amaral, gestor de Poconé, preferiu cortar suas regalias e as dos secretários do que prejudicar o município


redacaomuvuca@gmail.com

O prefeito de Poconé, Atail Marques do Amaral, conhecido popularmente como Tatá, assinou um decreto que reduz em 20,5% seu próprio salário, juntamente com o do vice-prefeito e dos secretários da gestão.

Além dos salários, o decreto assinado também prevê a redução de concessão de diárias e determina a economia de despesas com manutenção de automóveis, ônibus, caminhões, máquinas e equipamentos.

Segundo o gestor, a medida foi tomada para controlar a crise financeira que o município vem enfrentando e, além disso, para dar prioridade às funções vitais da cidade, sem prejudicar a população.

“A finalidade desta medida, que foi tomada depois de sucessivas reuniões com minha equipe, é garantir a execução dos serviços públicos, dentro da capacidade financeira do município e sem prejuízos à população”, afirmou Tatá.

Com a redução dos gastos com os salários, deve ser possível manter em pleno funcionamento o município e outros serviços públicos, como o pagamento de servidores municipais que prestam serviço para a sociedade.

Ademais, o prefeito ressaltou que problemas financeiros não atingem somente ao município, mas sim o Brasil inteiro e cabe a cada governante decidir como contornar a situação.

“São medidas que visam a contenção de despesas para o enfrentamento da crise econômica que recai sobre a Prefeitura. Essa crise não é apenas na Prefeitura de Poconé, mas vem acometendo prefeituras de maior parte do Brasil”, pontuou.

Em Poconé, os servidores foram priorizados e Tatá preferiu cortar suas regalias com as dos secretários, mas a nível estadual, os funcionários estaduais vem sofrendo com o parcelamento infinito dos salários, a incerteza do pagamento do 13º e a negação do Reajuste Geral Anual (RGA).

De acordo com a Prefeitura, conforme a situação financeira do município vá se estabilizando, os cortem devem ser suspensos, até que os salários voltem ao normal e Poconé tenha condições de arcar novamente com todos os custos mensais.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(2) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carlos - 25-08-2019 16:43:04

Só para aparecer na mídia, não resolve pissirica nenhuma.

Responder

2
0


alexandre - 24-08-2019 09:18:15

Em mato grosso, eles aumentam os duodécimos e verba indenizatória, dos poderes..

Responder

6
0


2 comentários