“Presente de Natal de servidores será reforma da previdência”, diz Lúdio Cabral | MUVUCA POPULAR

Segunda-feira, 03 de Agosto de 2020

POLÍTICA Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019, 18h:14 | - A | + A




Proposta para 2020

“Presente de Natal de servidores será reforma da previdência”, diz Lúdio Cabral

Deputado ainda declara que funcionários públicos tem sido os maiores afetados pelas “maldades” de Mendes


redacaomuvuca@gmail.com

Foto: Reprodução

O deputado estadual, Lúdio Cabral (PT), compartilhou um vídeo em suas redes sociais, repudiando, novamente, a proposta do atual governador do Estado, Mauro Mendes (DEM), de realizar uma reforma previdenciária para os servidores públicos mato-grossenses.

Conforme o petista, Mendes estaria penalizando os funcionários do Estado por uma suposta crise em Mato Grosso. Além disso, Lúdio declarou que a gestão do democrata, tem sido desde o início, para beneficiar os mais ricos.

“Mais uma vez a parcela vulnerável da população será penalizada, nós estamos no final de dezembro e o governador irá encaminhar hoje para Assembleia um Projeto de Lei que altera as regras das aposentadorias dos servidores públicos. Mais uma vez os bilionários governam para outros bilionários”, disse.

Para Lúdio, é inadmissível que a alíquota da previdência seja aumentada, pois, segundo ele, o Estado poderia realizar métodos de arrecadações muito mais eficientes, se fosse feito de maneira justa.

“Não tem sentido aumentar a alíquota da previdência, não tem sentido cobrar de quem ganha menos, o Estado não pode penalizar os servidores por uma suposta crise, um Governo que consegue 6 bilhões em renúncias fiscais para beneficiar os mais ricos, não mostra um Estado que está em crise, mas sim, que está disposto a governar por interesse”, explicou.

Previdência dos servidores

Hoje, pela regra geral por idade e tempo de contribuição, o servidor estadual pode se aposentar com 60 anos de idade (homem) e 55 anos (mulher), cumulados com 35 anos de contribuição para homens e 30 para mulheres, além de 10 anos de serviço público e 5 anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria. No site do MTPrev o servidor encontra outras regras de aposentadoria voluntária vigentes hoje.

Confira o vídeo na íntegra: 

 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 

O governador de Mato Grosso quer aumentar de 11% para 14% a alíquota cobrada dos servidores estaduais para a Previdência e, além disso, cobrar os mesmos 14% de todos os aposentados e pensionistas que recebem acima de um salário mínimo. Atualmente, todos os inativos que recebem até o teto do INSS (R$ 5.839,00) são isentos de contribuição previdenciária. E aqueles que recebem acima disso, pagam 11% apenas sobre o valor excedente. Acabar com os 6 bilhões em renúncias fiscais concedidas todo ano para os muito ricos??? Nem pensar!!! Vamos resistir aqui na AL! #ServidorPublico #MatoGrosso #ReformaDaPrevidencia #ServidoresPublicosMT #LudioCabral #LudioMT #SomosTodosDeputadosEstaduais

Uma publicação compartilhada por Lúdio Cabral (@ludiocabral) em

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(1) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

alex r - 11-12-2019 11:53:19

Gostaria que a população se ligasse nessas informações: A economia do país é pautada em que? Industria, agro , serviços , comércio . Agro produz mas emprega pouco, tem inúmeras isenções e incentivos.A indústria no Estado é tão pouca que também emprega pouco e depende de incentivos e isenções... Comércio seria meio termo mas anda mau das pernas, hoje sem dúvidas o setor de serviços emprega mais e mantém a economia, uma pesquisa divulgou que são as prefeituras quem mais empregam no Brasil e consequentemente o setor público. Ao tomar direitos e diminuir a renda dos servidores o Gestor - Mendes- atenta contra o próprio Estado, a crise que se abateu foi por desvios de recursos públicos e por má gestão. Dai veio o atual gestor Mauro e valorizou a crise, para ganho pessoal e politico. Deixar que se altere as condições atuais num momento em que não se tenha condições de substituir a pedra fundamental de nossa economia é pedir por criar de verdade uma crise financeira no Estado e ela acontecerá pois sem dinheiro o servidor não compra , comércio para e empresas demitem. Há anos a FIEMT e o senhor Mauro mendes que foi presidente de lá sabe que a indústria que deveria aproveitar esse agro pujante no Estado é praticamente nula, fazendo que outro setor o de serviços mantenha o Estado. Então rogo aos cidadãos desse Estado pesquisem e avaliem pois não minto e cobrem para que hajam politicas de fomento e não apenas aos amigos do rei!

Responder

2
0


1 comentários

coluna popular
Luto
Forças na ALMT
Oportunidade
Conselheiro do TCE
Eleições 2020

Últimas Notícias
03.08.2020 - 10:06
03.08.2020 - 09:53
03.08.2020 - 09:22
03.08.2020 - 08:54
03.08.2020 - 08:46




Informe Publicitário