Presidente da AL diz que Energisa não respeita o povo de Mato Grosso | MUVUCA POPULAR

Terça-feira, 12 de Novembro de 2019

POLÍTICA Terça-feira, 15 de Outubro de 2019, 17h:31 | - A | + A




Insatisfação Geral

Presidente da AL diz que Energisa não respeita o povo de Mato Grosso

Eduardo Botelho (DEM) alegou que os serviços da companhia elétrica têm sido totalmente insatisfatórios


redacaomuvuca@gmail.com

Deputado estadual Eduardo Botelho (DEM) / Foto: Reprodução

O presidente da Assembleia Legislativa (ALMT) e deputado estadual, Eduardo Botelho (DEM), declarou que a Energisa não respeita os consumidores de Mato Grosso e que os serviços prestados pela empresa têm sido de péssima qualidade. “O povo de Mato Grosso não vai aceitar esse tipo de usurpação. Respeite o povo de Mato Grosso. Há insatisfação generalizada”, afirmou.

As declarações do parlamentar foram realizadas nesta terça-feira (15), durante audiência púbica que debateu o assunto com a participação do Procon-MT, vereadores e segmentos do setor. “Nesta audiência oportunizamos para fazer as explanações e levar as reclamações para que a concessionária entenda que precisa mudar”, pontuou Botelho.

Em razão da quantidade de reclamações, o deputado estadual Elizeu Nascimento (DC) propôs a criação da CPI da Energisa, para que sejam investigados os problemas recorrentes da companhia elétrica. “Como presidente não posso propor a CPI, mas articulamos com alguns deputados para montar a CPI da Energia para que possamos entrar mais a fundo na questão das contas, do atendimento, da redução da estrutura da Energisa. Enfim, no descaso com o consumidor de um modo geral”, alegou Eduardo.

Em resposta ao diretor-presidente da Energisa, Riberto José Barbanera, que falou à imprensa que foi surpreendido pela criação da CPI e que compete a Agência Nacional de Energia Elétrica - Aneel e Ministério das Minas e Energia discutir essa concessão, Botelho disse que a comissão parlamentar de inquérito é importante porque levará a apuração ao conhecimento da Aneel.

“Acho uma fala muito ruim do presidente. Acho que ele devia começar a respeitar o Parlamento e principalmente respeitar o povo de Mato Grosso. A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) tem sim importância importância e todas as deliberações apontadas aqui serão encaminhadas a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que disse que vai estar aqui conosco. Então, ele já está começando errado em falar que a CPI não tem importância”, afirmou Botelho.

A superintendente do Procon de Mato Grosso, Gisela Simona, relatou informações inerentes às reclamações chamando a atenção para a péssima qualidade dos serviços prestados pela concessionária, que segundo ela, é extremamente prejudicial ao consumidor.

Destacou que em 2018, o Procon MT recebeu 5.787 reclamações sobre energia elétrica e mais 4.749 por cobranças indevidas ou abusivas. Já neste ano, até setembro foram registradas 4.828 reclamações sobre energia e mais 4.023 sobre cobranças indevidas ou abusivas.

Gisela detalhou que, conforme o Procon, os problemas são: má prestação de serviço por pequena mão de ora (leitura, atendimento presencial, telefônico e cumprimento das ordens de serviços); falta de transparência na fatura; falta de informação para o consumidor, baixa renda, leitura plurimensal, eficiência energética, etc; contrato de concessão com vantagens exageradas ao fornecedor (IGPM/ IPCA); realização de procedimentos unilaterais sem informações adequada ao consumidor  sem direito ao contraditório e defesa; ambiente regulatório extremamente prejudicial ao consumidor – exclui o risco do negócio das empresas do setor elétrico; meta de DEC e FEC extremamente alta para Mato Grosso e escalonamento do ICMS precisa ser revisto.

“Nosso apoio a CPI no sentido que busque alternativas que venham resolver questões do consumidor. Fica aqui nosso chamado para saber do consumidor o que está acontecendo em suas casas através do site oficial WWW.consumidor.gov.br e pelo email PROCON-mt@setas.mt.gov.br”, informou Gisela.

Da mesma forma, Dillon Caporossi, presidente do Sindicato dos Urbanitários de Mato Grosso – Stiu/MT, destacou os inúmeros problemas relacionados à Energisa. Lembrou que uma indústria, em Várzea Grande, ficou sem energia devido ao temporal ocorrido no último fim de semana, e a concessionária não resolveu em tempo hábil o restabelecimento de energia. Questionou a redução do efetivo e que os poucos trabalhadores que atendem a grande demanda, são ameaçados.

“A Energisa maquia os números. Fechou agência da Morada da Serra, da estrada de Santo Antônio de Leverger e outras para dificultar o acesso do povo. Para arrancar dinheiro da população de Mato Grosso. Arrancou call center e transferiu para Euzédio, no Ceará. Agora, temos informações que os empregados quando pegam ‘gato’ o cálculo era feito aqui, mas que serão transferidos não sabemos pra onde. Ora, retira emprego do nosso povo, manda pra outros estados. Não é possível uma empresa ter milhões de lucro e deixar pessoas sem energia por dias”, disse, Caporossi, ao acrescentar que a Energisa opera num ciclo vicioso.

Outro lado

Conforme o diretor-presidente da Energisa, Riberto José Barbanera, desde que assumiu o controle da energia em Mato Grosso, o Grupo Energisa investiu em melhorias da qualidade do serviço prestado no valor de R$ 3,5 bilhões de 2012 a 2019.

“Desde que chegamos ao estado em 2014 já foram mais de três bilhões de investimentos. O setor elétrico remunera a distribuidora pelos investimentos que ela faz. Então, se quero mais investimentos tenho que entender que esse investimento vem na tarifa. A gente tem um ponto de equilíbrio entre investimento e qualidade. Somos estimulados pela legislação federal a buscar eficiência. Outra forma é combater a inadimplência e os chamados gatos ou furtos de energia. A gente consegue traduzir isso para o bom cliente reduzindo a tarifa dele”.

VOLTAR IMPRIMIR

COMENTÁRIOS

(8) COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do MPopular. Clique aqui para denunciar um comentário.

Carina - 16-10-2019 11:04:34

Pq não tem fiscalização ?? O que a energisa faz com a população é roubo

Responder

1
0


Mauro - 16-10-2019 11:02:47

Parabéns ao presidente

Responder

0
0


Alan - 16-10-2019 10:58:43

Além do aumento exorbitante, um péssimo serviço prestado a população isso tem que ser investigado

Responder

1
0


Luis - 16-10-2019 10:56:34

falta de gestão da nisso, ainda bem que acordaram a tempo e tomara que não acaba em pizza

Responder

1
0


João - 16-10-2019 10:53:55

Não respeita mesmo isso é um roubo na cara dura

Responder

2
0


Carlos - 16-10-2019 14:33:44

Estes deputados deveriam tb fazer um projeto de lei baixando valor icms que é de 43% do valor da conta isto pesa e muito na conta ,cadê os deputados que só sabe defender os servidores públicos ,deveriam trabalhar para toda população para aumentar imposto são ótimos para baixar ficam quietos

Responder

1
0


Cleber - 16-10-2019 07:44:39

Como usuário sou a Favor da abertura da CPI da Energisa, pois minha fatura dobrou de valor, como de muitos colegas que conheço, convoco os deputados como cidadão que vota, eu e meus familiares, colegas e amigos, a solicitares aos senhores deputados estaduais e federais a abertura da CPI da Energisa, com aval do MPEMT.

Responder

2
0


wagner - 16-10-2019 06:33:20

A Energisa não respeita o Povo ,por que ela sabe que o POVO não tem representantes, e faz com eles o que bem quiser !!! Não? Vejamos ,o Presidente da companhia entrou da audiência rindo ,e saiu dando GARGALHADAS !!! É sabedor que vai dar em nada !!! Os seus acusadores ,são na imensa maioria VENAIS , ¨corruptos¨de carteirinha ,alguns deles com VÁRIOS PROCESSOS por corrupção !!! Esta CPI vai dar em....PALANQUE e ACHAQUES !!!

Responder

4
2


8 comentários