The news is by your side.

Prefeitura estuda incluir vans escolares no auxílio ao transporte urbano

A CCJR (Comissão de Constituição e Justiça e Redação) deu parecer contrário ao Projeto de Lei 089/2021, de autoria do vereador Sargento Joelson (SDD), que dispõe sobre a autorização para veículos do transporte escolar urbano, regularmente permissionados pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana – SEMOB, a realizarem transporte alternativo de passageiro em horário de pico, enquanto perdurar o Estado de calamidade pública causada pela pandemia da Covid – 19.

O parecer contrário da CCJR foi a votação em plenário, e o resultado foi de 2 Sim, 18 Não, 1 Abstenção e 3 Ausências. Com este resultado foi derrubado este parecer da CCJR, e o projeto seguirá a tramitação na Casa de Leis a qual tramitará na Comissão de Transporte e Urbanismo e Meio Ambiente até retornar ao Plenário para votação final.

Na Sessão Ordinária desta quinta-feira, 13, o referido projeto recebeu o apoio de vários vereadores que disseram ser positivo a ação.

Com o surto pandêmico do Covid-19, o serviço de Transporte de Vans Escolares sofreu duras penas, estão praticamente sem trabalhar neste período, a não liberação total das aulas presenciais não tem volta e sem nenhum ganho real para pagar as contas, estão na sua maioria parados.

O vereador ressaltou a necessidade de ajudar esta classe e assim buscar opção para que possam trabalhar, sendo contratados pela prefeitura ou até mesmo com a liberação do pagamento de passagens. “Principalmente neste momento que está se abrindo tudo, estamos à beira de uma terceira onda e na medida que se libera tudo, o fluxo nos ônibus aumenta, pessoas se aglomeram e se facilita o contágio. Quero dizer da tranquilidade de votar este projeto mesmo com vício de iniciativa apresentado pela CCJR, a competência para mudar é do município, votei contra ao parecer e espero que o prefeito possa entender e acatar, e se acatar acaba o vício de iniciativa. Temos de dar uma resposta para sociedade acerca das ações contra o covid-19 e essa é uma delas, pode vir a terceira onda possivelmente”. Diz Joelson.

A categoria espera esta votação desde o início da pandemia segundo a presidente (Aspetre) Jussania Santos, houve uma discussão acerca do tema no ano passado, e até então aguarda novas medidas.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação