The news is by your side.

Emanuel: Compra de vacinas por municípios está emperrada

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) disse, na última semana, que a burocracia diplomática tem sido um grande empecilho para a compra direta de vacinas contra a covid-19 pelo consórcio da Frente Nacional dos Prefeitos (FPN).

Criada no início de março, a Frente de Prefeitos ainda não conseguiu negociar nenhuma vacina. Existe uma burocracia muito grande na negociação direta com municípios e estados, mesmo que seja através de consórcios”.

A compra de vacinas pelos municípios seria uma saída para avançar a imunização dos cuiabanos.

Emanuel garantiu que os prefeitos continuam “tentando e articulando”, inclusive com o Governo Federal que deve estar à frente das negociações.

“Está difícil ultrapassar essa fronteira aí, mas estamos tentando e queremos somar com o Governo Federal. Nosso foco é um só: imunizar toda a população”.

A compra das vacinas é de responsabilidade da União, mas em fevereiro o Supremo Tribunal Federal (STF) deu o aval para que estados e municípios comprem o imunizante desvinculos do Ministério da Saúde.

Estado

O Governo do Estado de Mato Grosso briga para conseguir a liberação de vacinas Sputinik negociadas em consórgio de 12 estados brasileiros, mas que teve a importação barrada pela Anvisa.

Imagem: Davi Valle

PMC

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação