The news is by your side.

Confaz autoriza estados a congelarem preço de combustíveis por 3 meses

O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) aprovou por unanimidade na manhã desta sexta-feira (29.10) o convênio que autoriza os estados a congelarem o Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final (PMPF) dos combustíveis por três meses. A proposta aprovada foi apresentada na reunião anterior do Confaz pelo secretário de Fazenda de Mato Grosso, Rogério Gallo, e valerá para os meses de novembro e dezembro de 2021 e janeiro de 2022.

Ao congelar o PMPF, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) cobrado nas vendas de combustíveis não passa por alterações. A medida foi adotada com o objetivo de contribuir no controle dos preços dos combustíveis vigentes, principalmente após os sucessíveis aumentos anunciados pela Petrobras.

O Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final dos combustíveis que vai vigorar a partir de 1º de novembro foi publicado no Diário Oficial da União do dia 25 de outubro, por meio do Ato Cotepe nº 38. Nele, o PMPF gasolina comum é de R$ 6,22. O valor está R$ 0,25 menor do que o preço médio praticado no mercado que é de R$ 6,47, conforme levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Rogério Gallo que está acompanhando o governador Mauro Mendes nas discussões da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021, a COP 26, avaliou a decisão do Confaz como positiva.

“O governador Mauro, sensível à situação dos preços dos combustíveis imposta pela Petrobras, me solicitou e nós encaminhamos ao Confaz um pedido de congelamento do ICMS por 90 dias. A decisão foi tomada pela unanimidade dos estados. Agora esperamos que a Petrobras tenha a mesma sensibilidade”, afirma Gallo.

O secretário Adjunto da Receita Pública, Fábio Pimenta, explicou como fica a questão. “Com essa aprovação o ICMS dos combustíveis fica fixo, a partir de 1º de novembro, por um prazo de 90 dias. Hoje o PMPF de Mato Grosso já está abaixo dos valores praticados na última semana, divulgados pela ANP, e se tiver novos reajustes o ICMS não vai aumentar, ele fica congelado nos próximos 3 meses”.

Pimenta lembra, ainda, que o Governo de Mato Grosso vai reduzir os impostos de alguns setores, dentre eles o de combustíveis. Com isso, o ICMS da gasolina passará de 25% para 23%, do diesel de 17% para 16% e do gás industrial de 17% para 12%. O projeto de lei está em tramitação na Assembleia Legislativa e, se aprovado, a medida já começa a valer em janeiro de 2022.

“A projeção é de que a partir de janeiro de 2022 haja uma redução de até R$ 0,16 no preço médio da gasolina comercializada em Mato Grosso”,  concluiu.

Comentários

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar se desejar. Aceitar consulte Mais informação